Fique conectado

Cidade

Padre Marcelo abre no dia 2 maior igreja católica de SP

Para a missa de inauguração, às 11h do dia 2 haverá as presenças dos cantores Alexandre Pires e Agnaldo Rayol.

Publicado em

181

Padre Marcelo Rossi

Após 8 anos, será aberto em 2 de novembro, com a missa de Finados, o megatemplo do famoso padre Marcelo Rossi, na região de Santo Amaro, zona sul. “Será um novo cartão-postal de São Paulo”, entusiasma-se o sacerdote. “Uma construção para durar 700 anos.” Com capacidade para 20 mil pessoas – e mais até 80 mil na área externa -, será a maior igreja católica de São Paulo.

Para a missa de inauguração, às 11h do dia 2, estão confirmadas as presenças dos cantores Alexandre Pires e Agnaldo Rayol. Batizado de Santuário Theotokos – Mãe de Deus, a igreja foi construída em um terreno de 30 mil m² na Avenida Interlagos. Antes, o local abrigava uma indústria de cervejas.

Trata-se do quarto endereço das badaladas missas do sacerdote mais pop do Brasil. Nos outros locais, sempre galpões alugados na região de Santo Amaro, ele enfrentou uma série de problemas com vizinhos, incomodados com o barulho dos eventos religiosos e o grande número de peregrinos católicos.

O terreno definitivo foi comprado em julho de 2004. “Custou R$ 6 milhões”, conta padre Marcelo, ressaltando que pagou mais da metade e o restante foi doado pelo empresário Antônio Ermírio de Moraes. Depois disso, toda a renda obtida com a venda de seus produtos é revertida à construção da igreja.

Ainda em 2004 surgiu um parceiro de renome. “O arquiteto Ruy Ohtake doou o projeto”, conta o padre. “Como católico, quero o bem da humanidade”, comenta o arquiteto. “Quando elaborei o projeto, desenhei o espaço procurando reflexão e meditação.”

O que seria um presente acabou se revelando um problema. “Com o projeto cheio de curvas, tudo passou a custar dez vezes mais”, diz o padre. Ele não revela, de jeito nenhum, o valor gasto nas obras. De acordo com suas contas, o templo terá capacidade para 100 mil pessoas. “Será o maior do mundo”, exagera – na Basílica de São Pedro, no Vaticano, cabem 60 mil fiéis apenas na área interna. Ohtake é mais comedido: diz que a igreja comportará em torno de 20 mil pessoas, mais 60 mil no pátio descoberto.

A maquete foi apresentada em dezembro de 2004. No projeto, uma cruz de 44 metros de altura que pode ser vista a 1 km de distância. Tudo em estilo moderno contemporâneo, bem longe da estética tradicional dos templos do catolicismo. Graças às curvas, o pé-direito varia de 6 a 25 metros. A marca principal é o altar, de 5 metros. Outro ponto nobre: uma cripta, sob o altar, onde serão guardados restos mortais de padres e bispos da Diocese de Santo Amaro.

Foram muitas as promessas de inauguração: novembro de 2005, maio de 2006, Natal de 2006, julho de 2007 e… “Será em algum agosto. O de Deus”, passou a esquivar-se, de quatro anos para cá.

Ao jornal “O Estado de S. Paulo”, o padre contou que dinheiro foi o principal problema. “Em 2009, em um almoço, d. Fernando (Figueiredo, bispo de Santo Amaro) disse que nem com décadas de venda de CDs conseguiríamos pagar o Santuário”, relata. “Fiquei muito chateado.” Mas o padre foi salvo por um best-seller. Lançado em 2010, o livro Ágape vendeu 8,2 milhões de cópias. E trouxe na esteira outros sucessos: o CD Ágape (1,9 milhões de cópias vendidas), o livro infantil Agapinho (600 mil), o DVD Ágape Amor Divino (302 mil) e o CD de mesmo nome (283 mil). “Isso tudo viabilizou nossa obra”, conta.

Considerado um polo gerador de tráfego por reunir mais de 500 pessoas, o santuário teve de cumprir uma lista de exigências da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) para reduzir impactos no trânsito. Mas o pacote de obras viárias não tem alcance para evitar longos congestionamentos em dias de maior movimento. O órgão solicitou apenas instalação de semáforos, placas de sinalização, câmera de monitoramento e guias rebaixadas, entre outras medidas paliativas.

Erguida em uma das vias mais congestionadas da cidade, a igreja tem acesso pelo corredor norte-sul ou pela Marginal do Pinheiros. Segundo os responsáveis pela obra, a maior parte dos fiéis usa fretados ou transporte público. Nesse caso, a preocupação recai sobre o tamanho do estacionamento para ônibus.

Publicidade

Cidade

Padre Vicente é afastado depois de abençoar união homoafetiva

Diocese de Assis (SP) divulgou um documento informando a decisão nesta quinta-feira (12); casamento entre dois homens foi celebrado no último sábado (7).

Publicado em

Do G1
Padre é afastado depois de abençoar união homoafetiva em Assis — Foto: Reprodução/G1
Padre é afastado depois de abençoar união homoafetiva em Assis — Foto: Reprodução/G1

O padre Vicente Paula Gomes foi afastado de suas funções na igreja católica, nesta quinta-feira (12), depois de abençoar um casamento entre dois homens, no último sábado (7), em uma chácara de Assis (SP).

Segundo o documento divulgado pela Diocese, o decreto de medida cautelar foi baseado no Código Canônico e considera “acusações graves” implicando o cânone. O registro foi assinado pelo Dom Argemiro de Azevedo, bispo diocesano de Assis.

Diocese de Assis divulgou um documento comunicando o afastamento do padre nesta quinta-feira (12) — Foto: Diocese de Assis/Reprodução

Diocese de Assis divulgou um documento comunicando o afastamento do padre nesta quinta-feira (12) — Foto: Diocese de Assis/Reprodução

Durante a cerimônia, o padre defendeu o direito do casal ser considerado uma família e abençoou a união entre os dois homens.

“Achamos que lar basta ter um homem e uma mulher. Família não é só isso. Nuclear uma família significa criar condições para uma vida digna. Por isso, é com alegria que estou aqui”, disse o padre durante a cerimônia.

O padre também admitiu que estava nervoso em celebrar o casamento, já que era a primeira vez que ele dava a bênção para um casal homoafetivo.

“Já estou até pensando no que o Dom Argemiro vai falar segunda-feira, mas a bênção não me diminui, nem vai diminuir a igreja, nem vocês”, garantiu o padre.

O documento da Diocese diz que o padre ficará suspenso até o fim dos procedimentos que avaliam a postura dele dentro dos preceitos da igreja. O G1 tentou entrar em contato com a padre Vicente Paula Gomes, mas não obteve retorno.

Outro caso na região

Na região de Bauru (SP), outro padre também foi punido por defender a união entre homossexuais — Foto: Arquivo Pessoal / Fábio Fornaroli

Na região de Bauru (SP), outro padre também foi punido por defender a união entre homossexuais — Foto: Arquivo Pessoal / Fábio Fornaroli

Na região de Bauru (SP), outro padre também foi punido por defender a união entre homossexuais. O Padre Roberto Francisco Daniel, conhecido como Padre Beto, foi excomungado pela Diocese em 2013, depois da divulgação de vídeos na internet nos quais o padre defendia temas polêmicos, como a união entre homossexuais, fidelidade e necessidade de mudanças na estrutura da instituição.

Em 2018, o caso do Padre Beto foi para análise do Supremo Tribunal Federal, que questionou a forma como foi excomungado pela Igreja Católica. Atualmente, o padre fundou uma igreja própria, onde continua celebrando casamentos homoafetivos.

Continue lendo

Cidade

Pelo quinto ano seguido, Assis fica fora da rota da Caravana da Coca-Cola

Cidade recebeu pela última vez a caravana em 2014.

Publicado em

Do AssisNews
Pelo quarto ano seguido, Assis fica fora da rota da Caravana da Coca-Cola
Pelo quinto ano seguido, Assis fica fora da rota da Caravana da Coca-Cola

Todos os anos, as Caravanas Iluminadas da Coca-Cola circulam pelo Brasil espalhando a magia do Natal.

Mas essa ‘magia’, pelo quinto ano consecutivo, não contagiará os assisenses, já que Assis (SP) ficou mais uma vez fora da rota da caravana.

O último ano em que a caravana iluminada junto ao Papai Noel circulou pela cidade foi em 14 de dezembro de 2014, quando durante o trajeto, o ‘bom velhinho’ saiu distribuindo balas e diversos papéis de carta para as crianças escreverem seus pedidos de natal. (Assista abaixo)

Outras cidades da região também ficaram de fora, como Cândido Mota, Palmital, Ourinhos, Santa Cruz do Rio Pardo e outras.

‘Caravana mais próxima’

Segundo a assessoria da empresa, a cidade mais próxima de Assis em que a caravana irá passar é Marília, no dia 22 de dezembro.

Continue lendo

Cidade

Novo frigorífico da Frimesa não será em Assis (SP) e sim em Assis Chateaubriand

Notícia sobre o empreendimento viralizou nesta terça-feira (03).

Publicado em

Do AssisNews
A Frimesa está construindo o maior frigorífico da América Latina, e vai gerar 5 mil empregos diretos e até 15 mil indiretos (Foto: Reprodução/Novo Oeste)
A Frimesa está construindo o maior frigorífico da América Latina, e vai gerar 5 mil empregos diretos e até 15 mil indiretos (Foto: Reprodução/Novo Oeste)

Uma notícia de uma possível vinda de uma unidade do frigorífico Frimesa em Assis (SP) viralizou entre os assisenses nesta terça-feira (03).

No entanto, a instalação da empresa, não será em Assis (SP) e sim em Assis Chateaubriand, no Paraná e irá gerar pelo menos 5 mil vagas de emprego que serão abertas em 2020.

A coordenação do Departamento do Trabalho e Estimulo à Geração de Emprego e Renda da Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho, está alinhando com a diretoria de Recursos Humanos da indústria de alimentos Frimesa o recrutamento e a captação das 5 mil vagas de emprego que serão abertas em 2020 com a instalação de novas unidades frigoríficas no município de Assis Chateaubriand, Oeste paranaense.

“Estamos ajustando com empresas e representantes das Agências do Trabalhador a distribuição das vagas nas Agências do Trabalhador de Assis Chateaubriand e da região para o segundo semestre do próximo ano”, disse o chefe do Departamento do Trabalho, Eder Colaço.

Neste ano, a Secretaria colocou em prática um formato proativo de captação de vagas a serem intermediadas pelas Agências do Trabalhador de todo o Estado.

Os técnicos do Departamento Estadual do Trabalho já se reuniram, desde o início da gestão, com diversas empresas e em vários municípios com o objetivo de aumentar a oferta de vagas de empregos. “Estamos indo até as empresas e firmando novas parcerias e colocamos as Agências do Trabalhador à disposição para intermediar a seleção de pessoal, para gerar mais emprego e renda ao nosso Estado”, disse o secretário Ney Leprevost.

Como resultado desse trabalho, o Paraná liderou em outubro o ranking nacional de vagas ofertadas nas Agências do Trabalhador em relação ao número de inscritos em busca de emprego.

Segundo dados da Secretaria de Políticas Públicas de Emprego do Ministério da Economia, 15 mil vagas foram oferecidas em todo o Estado para aproximadamente 12,8 mil trabalhadores inscritos – ou seja, foi o único estado brasileiro com mais vagas abertas do que o número de trabalhadores buscando colocação no período.

Com informações do Novo Oeste.

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas