Raízen inaugura unidade de bioenergia em Ipaussu

Unidade Termelétrica Ipaussu tem capacidade para gerar 76 MW a partir do bagaço da cana, o suficiente para atender uma cidade de 750.000 habitantes

Unidade Termelétrica Ipaussu tem capacidade para gerar 76 MW a partir do bagaço da cana,

A Raízen inaugurou hoje a Unidade Termelétrica (UTE) Ipaussu, no interior de São Paulo. A planta de bioenergia tem potencial para produzir até 76 MW de energia elétrica a partir do bagaço da cana-de-açúcar. Essa quantidade é suficiente para abastecer uma cidade de 750.000 habitantes, como São Bernardo do Campo (SP), por exemplo. Estiveram presentes na inauguração Vasco Dias, presidente da Raízen, Pedro Mizutani, vice-presidente de Etanol, Açúcar e Bioenergia da Raízen, João Alberto Abreu, diretor de Bioenergia e Tecnologia da Raízen, e o prefeito de Ipaussu, Luiz Carlos Souto.

A companhia obteve, em julho deste ano, a autorização da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para o início das operações comerciais da UTE de sua segunda unidade geradora – de 38 MW. A primeira unidade geradora, também de 38 MW, já estava autorizada pela Aneel desde novembro de 2011.  As duas unidades turbo geradoras instaladas serão responsáveis pela produção, venda e consumo de energia a partir de, aproximadamente, 930.000 toneladas por safra de bagaço de cana-de-açúcar. Da potência efetivamente gerada, espera-se que um terço seja utilizado para consumo interno e o restante seja exportado para o Sistema Interligado Nacional (SIN).

“Este projeto está alinhado à missão da Raízen de prover energia cada vez mais limpa e renovável para melhorar a vida das pessoas”, afirma João Alberto Abreu, diretor de Bioenergia e Tecnologia da Raízen. “A UTE Ipaussu contribuirá de maneira importante nas necessidades de consumo de energia elétrica limpa e ambientalmente equilibrada”, explica.

Em linha com sua preocupação na adoção de práticas alinhadas à sustentabilidade, a companhia utilizou, em todas as caldeiras de alta pressão, equipamentos de controle de poluição (ECP) definidos pela legislação brasileira.

Energia limpa
A Raízen é a maior produtora de energia elétrica do mundo, a partir do bagaço e da palha da cana-de-açúcar. Todas as 24 unidades do grupo são autossuficientes no consumo de energia e 13 de suas unidades já têm contratos de longo prazo para a venda de energia. A companhia possui um potencial de capacidade instalada de 934 MW, energia suficiente para abastecer o consumo residencial de uma cidade com aproximadamente 10 milhões de habitantes, praticamente uma cidade de São Paulo.

A empresa acompanha atentamente a evolução do mercado e investe em tecnologia para a constante melhoria da produção. Prova disso, é que a Raízen já inicia o uso da palha da cana em algumas unidades para complementar a cogeração de energia. “Os investimentos da companhia em bioenergia reafirmam a viabilidade econômica desta matriz energética”, conclui João Alberto.

VEJA TAMBÉM

#MAIS LIDAS DA SEMANA