Fiscalização do trânsito é falha nas ruas de Assis

Faltam agentes para a frota estimada em 71 mil veículos. Carros estacionam em diversos locais proibidos no centro.

Desde o fim do convênio com a Polícia Militar, Assis é um dos municípios paulistas que estão enfrentando dificuldades para fiscalizar o trânsito urbano.

A cidade só conta com os próprios agentes que são insuficientes para dar conta de todo o trabalho. Atualmente, apenas cinco agentes de trânsito estão responsáveis pela fiscalização no município, que tem uma frota estimada em 71 mil veículos.

Com a falta de fiscalização, carros estacionam irregularmente em várias ruas do centro da cidade e até em locais proibidos. “Está tudo largado. As pessoas não estão respeitando, portanto, não há fiscalização de verdade”, conta o comerciante Marcelo Castanho.

Veículos estacionam de manhã e permanecem até
a tarde (Foto: Reprodução/TV Tem)

Segundo os vendedores dos cartões da Zona Azul, grande parte dos motoristas não está mais comprando os bilhetes porque não há fiscalização. “As vendas caíram bastante e como não tem fiscalização, muitos carros estacionam cedo e durante a tarde ainda estão lá”, diz Mailton Peres.

E quem sofre com a falta de aplicação de multas são os taxistas, que chegam para trabalhar e não conseguem estacionar nos pontos. “No centro, as ruas ficam sem dono. O taxista tem que parar no meio da rua porque não consegue estacionar na própria vaga”, conta João Carlos da Silva.

Após o fim do convênio, as ações dos policiais militares no trânsito agora estão restritas às infrações de leis estaduais e fiscalização de documentos. A prefeitura alega que pediu ao governo do Estado a renovação. “Hoje nós temos um problema muito acentuado no centro da cidade e pretendemos minimizar a situação a partir de junho, quando teremos dois agentes permanentes na região”, explica Leonardo Godoy Palmo, chefe do departamento de trânsito de Assis.

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo informou que está analisando o pedido de renovação do convênio com a prefeitura de Assis e que não há prazo para isso. Vale destacar que pelo histórico das infrações cometidas na cidade, 90% são de competência municipal, ou seja, só podem ser registradas pelos agentes da prefeitura.

Com a falta de fiscalização, veículos estacionam em diversos locais proibidos (Foto: Reprodução/TV Tem)

VEJA TAMBÉM

#MAIS LIDAS DA SEMANA