“Igreja deve defender valores da família”, diz bispo nomeado pelo Papa

Escolha do bispo de Marília, Luiz Cipolini, foi divulgada nesta quarta-feira.

Cipolini foi nomeado Bispo da Diocese de Marília
(Foto: Divulgação/ Diocese de S. João da Boa Vista)

O Papa Francisco nomeou nesta quarta-feira (8) dois novos bispos brasileiros. Um deles é o novo bispo de Marília, Luiz Antônio Cipolini, de 51 anos, que fazia parte da diocese de São João da Boa Vista. O anúncio oficial foi feito hoje pelo Vaticano, mas, o novo bispo explica que existe todo um processo para a nomeação.

“Antes é feita uma consulta pelo Núncio Apostólico, que o representante do Papa no Brasil para então ser feita a nomeação oficial”, explica o monsenhor Luiz Antônio Cipolini, que será ordenado bispo no dia 7 de julho.

Em entrevista ao G1, Cipolini disse que ainda não conhece Marília e que para ele o cargo de bispo na cidade será algo novo, um desafio. “Conversei hoje com o bispo diocesano de lá, sei que existe um trabalho muito grande de evangelização na cidade e meu objetivo é ir para lá para somar, ajudar nesta empreitada que já existe na cidade”, completa.

O sacerdote acredita que a escolha do Papa latino-americano voltou os olhos da Igreja para outros países da região, como Brasil e o acolhimento da postura do novo representante da Igreja Católica tem sido grande no país. “Papa Francisco cativou todos com os seus gestos, com o reforço de que a Igreja tem que se voltar para os pobres. Eu não esqueço o que ele disse quando foi eleito que ele queria uma Igreja pobre para os pobres”, declara.

Defesa da família
Sobre a possibilidade de mudanças na estrutura da Igreja Católica, o monsenhor Cipolini afirma que a própria escolha do Papa já foi um sinal disso, mas, ressalta que muitos valores devem ser mantidos como a defesa da instituição familiar e seus valores. Ele acredita que isso motivou a postura da Igreja Católica na polêmica envolvendo o sacerdote de Bauru, Padre Beto, que foi excomungado na semana passada.

“Eu não tive um conhecimento afundo do fato, soube o que houve pela imprensa, mas, a meu ver, a Igreja preza muito a instituição que é a família e foi isso que entrou em jogo nesse caso, a defesa dos valores de essa instituição que monogâmica e indissolúvel na visão católica. Dessa forma a Igreja cumpre o seu dever em defender os valores da família. São valores que a Igreja propõe e não impõe, mas, cabe a ela defendê-los.”

Ordenação
Embora a divulgação do Vaticano tenha sido feita nesta quarta-feira, o novo bispo de Marília vai manter seus trabalhos na diocese de São João da Boa Vista da qual faz parte como pároco da Igreja Nossa Senhora de Fátima, até a Ordenação Episcopal no dia 7 de julho.

De acordo com a nota divulgada no site da Diocese de São João da Boa Vista, a cerimônia será realizada na Catedral da cidade, às 15 horas. Somente após a ordenação, ele irá assumir o cargo de Bispo da Diocese de Marília. Cipolini foi nomeado pelo Papa após o aceite da renúncia do governo pastoral da Diocese apresentada pelo atual bispo, Dom Osvaldo Giuntini, por motivos relacionados a idade.

#MAIS LIDAS DA SEMANA