Vale Paranapanema e Caiuá farão parceria com empresa francesa

A Cooperação Técnica será de implantação de duas unidades pilotos de geração fotovoltaica em Rancharia

A reunião contou ainda com a participação do prefeito de Rancharia, Marcos Slobodticov e do secretário municipal de planejamento e desenvolvimento, Mario Cezar Garcia (Foto: Divulgação)

Os engenheiros das empresas Caiuá e Vale Parapanema  receberam na última sexta-feira, dia 17/05, no escritório da subestação P1, da Caiuá,em Presidente Prudente, uma comissão formada por franceses representantes da CEA TECH, uma empresa francesa de pesquisa de energia fotovoltaica (que utiliza a luz solar para geração)  e da prefeitura de Rancharia.

A reunião foi para tratar sobre termos para a implantação de duas unidades pilotos de geração fotovoltaica,em Rancharia. Asunidades serão instaladas no próximo mês.

A empresa de pesquisa francesa foi representada Marcio Marucci, da  Brasil Choice; Charles Huguet, francês, da  Compagnie Européenne d”Intelligence Stratégique e Olivier Wiss , francês, da – Cea Tech . A reunião contou ainda com a participação do prefeito de Rancharia, Marcos Slobodticov  e do secretário municipal de planejamento e desenvolvimento, Mario Cezar Garcia .

Os gerentes Fábio Carrasco Batista ( operação do sistema) e Carlos Eduardo Mariano ( Poder Público e Grandes Clientes) receberam os visitantes que apresentaram uma proposta para a elaboração de um termo  de cooperação para implantação de duas unidades pilotos de micro-geração. Serão instalados dois conjuntos geradores fotovoltaicos sendo que um deles ficará localizado na  ETEC, Escola Técnica de Rancharia, antigo Colégio Agrícola  e alimentará uma sala do laticínio e o outro será instalado no almoxarifado da Prefeitura , na  Avenida Pedro de Toledo.

Segundo Carrasco,  a  energia gerada será injetada direto na rede de baixa tensão da Vale Paranapanema e será em caráter experimental: ” a empresa de pesquisa do governo francês tem muito interesse no levantamento dos dados que serão compartilhados com as empresas Caiuá e Vale Paranapanema.

Exemplo de estação de Energia Fotovoltaica (Foto: Reprodução)

As pesquisas serão utilizadas para subsidiar as empresas francesas com interesse em se instalarem em nossa região para produzirem células fotovoltaicas por meio do silício brasileiro. Os equipamentos para a geração experimental  devem chegar ao Brasil no início de junho”, disse.

Segundo o engenheiro,  o Brasil tem muito interesse na  produção futura da energia fotovoltaica : ” com a popularização da tecnologia será possível nos próximos vinte anos que as residências tenham coletores fotovoltaicos que possam servir não só para o consumo interno, mas também, para que o excedente produzido seja compartilhado com o  sistema de geração;  hoje esta tecnologia já existe, mas é muito cara para a maioria da população.” explicou Carrasco.

#MAIS LIDAS DA SEMANA