Ibama autoriza o abate de javalis e de javaporcos em todo o país

Segundo o chefe do Ibama de Assis, a carne não deve ser consumida.
Sem predador natural, animais estão presentes em vários estados.

Eles representam um grande prejuízo para os agricultores (Foto: Reprodução)

De hábito noturno, o javaporco só anda em bando e causa muito prejuízo por onde passa. Em poucos minutos tudo fica destruído no ataque a uma plantação.

O produtor Wilson Ludwig faz ronda na roça e usa rojões para espantar os javaporcos. Cercas elétricas, arame farpado e armadilhas são outras maneiras de proteger as lavouras.

Os javaporcos nasceram do cruzamento do javali com o porco doméstico. Eles foram trazidos da Europa para a América do Sul, principalmente a Argentina e o Uruguai, e chegaram ao Brasil pelo Rio Grande do Sul.

Para conter o crescimento populacional, o Ibama autorizou o abate do animal em todo o território nacional, mas os produtores rurais devem obedecer algumas normas antes da caça.

O javaporco abatido não pode ser transportado de um lugar para outro, a carne do animal também não deve ser consumida, nem comercializada. “Não é uma caça, é um controle populacional”, explica Eliseo Ribeiro, chefe do escritório do Ibama de Assis.

De acordo com o Ibama, cerca de 1,8 mil produtores já fizeram o cadastro em todo o país.

#MAIS LIDAS DA SEMANA