Eles representam um grande prejuízo para os agricultores (Foto: Reprodução)
Eles representam um grande prejuízo para os agricultores (Foto: Reprodução)

De hábito noturno, o javaporco só anda em bando e causa muito prejuízo por onde passa. Em poucos minutos tudo fica destruído no ataque a uma plantação.

O produtor Wilson Ludwig faz ronda na roça e usa rojões para espantar os javaporcos. Cercas elétricas, arame farpado e armadilhas são outras maneiras de proteger as lavouras.

Os javaporcos nasceram do cruzamento do javali com o porco doméstico. Eles foram trazidos da Europa para a América do Sul, principalmente a Argentina e o Uruguai, e chegaram ao Brasil pelo Rio Grande do Sul.

Para conter o crescimento populacional, o Ibama autorizou o abate do animal em todo o território nacional, mas os produtores rurais devem obedecer algumas normas antes da caça.

O javaporco abatido não pode ser transportado de um lugar para outro, a carne do animal também não deve ser consumida, nem comercializada. “Não é uma caça, é um controle populacional”, explica Eliseo Ribeiro, chefe do escritório do Ibama de Assis.

De acordo com o Ibama, cerca de 1,8 mil produtores já fizeram o cadastro em todo o país.

Deixe um comentário

Esta é uma área exclusiva para membros da comunidade

Faça login para interagir ou crie agora gratuitamente sua conta e faça parte.

Assine nossa newsletter

Receba as notícias do AssisNews diretamente em seu email.

VOCÊ PODE GOSTAR

Prefeitura instala câmeras após aumento nos furtos no cemitério

No primeiro trimestre deste ano, já foram registrados dois furtos.

Santa Casa de Assis realiza 1ª cirurgia cardíaca aberta

A cirurgia foi a troca da válvula aórtica por uma moderna prótese.

Há dois sepultamentos na região

Em Assis, não há sepultamento programado para esta sexta-feira.

Ipem-SP realizará plantão de taxímetro em Assis

A ação será realizada pela equipe de fiscalização da regional do instituto em Marília.