Palestra do desembargador Roberto Bacellar, marca abertura da 14ª Semana Jurídica

O Desembargador ainda é colaborador da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam) e foi diretor da Escola da Magistratura do Paraná.

Prof. Ulysses Guariba, prof. Gerson Beneli, juiz federal Luciano Tertuliano, desembargador Roberto Bacellar e diretor prof. Eduardo Vella.

Teve início na segunda-feira, 02, a 14ª Semana Jurídica da Fundação Educacional do Município de Assis – Fema. O evento tradicional na área do Direito tem promovido, ao longo dos anos, momentos únicos com a participação de importantes personalidades do Direito no Brasil.

Mesa de abertura da 14ª Semana Jurídica da Fema.

Na abertura da edição deste ano, a palestra inaugural foi proferida pelo meretíssimo senhor Roberto Portugal Bacellar, Juiz de Direito do Tribunal de Justiça do Paraná, Mestre em Direito Econômico Social pela PUC /PR  e recém nomeado desembargador do Tribunal de Justiça do Estado do Paraná, com posse agendada para o dia 05 deste mês; que compartilhou com alunos do curso de Direito, docentes e profissionais da área sua vasta experiência na solução pacífica de conflitos, enfatizando a necessidade do profissional do Direito e magistrados frente a esta nova tendência e necessidade jurídica atual.

O palestrante Roberto Bacellar que é atual candidato a presidência da Associação dos Magistrados Brasileiros e diretor- presidente da Escola Nacional da Magistratura – ENM, também é especialista em Métodos Alternativos de Solução de Conflitos e divulgador da cultura da conciliação em todo país. O Desembargador ainda é colaborador da Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados (Enfam) e foi diretor da Escola da Magistratura do Paraná.

A cerimônia de abertura contou com a participação do presidente do Conselho Curador da Fema, Prof. Dr. Ulysses Telles de Guariba Netto, do diretor da Fema e Imesa Prof. Ms. Eduardo Augusto Vella Gonçalves, do Juiz Federal Luciano Tertuliano da 1ª Vara Federal em Assis, do Juiz Federal Bruno Santhiago Genovez da 1ª Vara Federal em Tupã e do coordenador do curso de Direito da Fema Prof. Ms. Gerson José Benelli.

O Cinema ficou lotado na abertura da 14ª Semana Jurídica da Fema.

Sobre a abertura da Semana o diretor da Fema, Eduardo Vella falou da importância do evento acadêmico na formação dos futuros profissionais de Direito e afirmou que a Fema se empenha na realização destes eventos de forma a manter a excelência em ensino superior oferecida na instituição e que todas as ações acadêmicas tem como objetivo final os alunos da Fema.

Prof. Dr. Ulysses Guariba falou da primeira semana acadêmica de Direito da Fema. Ele foi um dos responsáveis pela implantação do curso.

Complementando a fala do Diretor o presidente Ulysses Guariba falou da satisfação em ver o Cinema completamente lotado e perceber o carinho dos alunos pelo corpo docente, o que foi demonstrado pelos aplausos aos mesmos. Guariba lembrou da 1ª Semana Jurídica da Fema, ocasião em que também ocupava a presidência do Conselho, sendo  um dos responsáveis pela implantação do curso de Direito na Fundação. Ele lembrou ainda, que ao delinear os novos cursos implantados na época, uma das prioridades foi à realização anual de eventos acadêmicos e científicos de cada curso.

O Professor Gerson Benelli falou da satisfação em ver a Semana de Direito evoluir e que o objetivo é congregar alunos e profissionais com o oferecimento de palestras atuais e com grandes profissionais e pesquisadores. Gerson lembrou que o Teatro, onde antigamente era realizada a Semana ficou pequeno, e que neste ano a coordenadoria de Direito decidiu por realizar o evento no Cinema Municipal e que foi uma satisfação ver o mesmo cheio no primeiro dia do evento. Benelli ainda agradeceu a disponibilidade do palestrante em estar em Assis e compartilhar seus conhecimentos com os participantes da Semana e agradeceu ao Juiz Federal Luciano pela colaboração na vinda do Desembargador. O Coordenador da Fema ainda agradeceu aos parceiros do evento, Caixa Econômica Federal, Buffet Bella Festa e em especial a Escola Paulista de Magistratura.

Bacellar afirmou que a serenidade da conciliação não deve ser a melhor para o juiz, mas sim para as partes.

A fala do desembargador Roberto Bacellar partiu de suas experiências e vivências na área de solução pacífica de conflitos, as quais promoveram ao mesmo sua atuação por mais de cinco anos na capacitação de magistrados para atuarem na conciliação. Bacellar falou da importância da conciliação e da necessidade da atenção do profissional do Direito e dos magistrados ao lado humano, que a mediação de conflitos exige. Segundo ele a conciliação não deve acontecer baseada apenas na técnica jurídica e que ele não concorda que a conciliação seja exclusiva do juiz, segundo ele o juiz deve capacitar e formar conciliadores. O Juiz ainda citou que, em algumas de suas experiências teve a colaboração de voluntários do Direito e demais áreas, que auxiliaram na informação e perícia de alguns casos, afirmando a interdisciplinaridade de um processo de conciliação. Ele ainda afirmou que a serenidade da conciliação não deve ser a melhor para o juiz, mas sim para as partes e que para a eficiência nestes processos deve atentar ao “rapport”, a percepção do mediador a fim de promover a qualidade do relacionamento com as partes.

O Desembargador ainda pontuou que o Brasil ainda não está preparado para a conciliação de conflitos, que ainda existe um despreparo para a eficiência da conciliação e que esta mudança no modus operante do judiciário deverá partir dos Supremos Tribunais, mas que também precisa se estender para todos os profissionais, de forma a impactar na visão atual de que a conciliação representa uma perda de poder e uma ameaça ao profissional do Direito. Para Bacellar os operadores de Direito devem ocupar o espaço que está se abrindo com a conciliação, citando que no exterior a conciliação é muito valorizada e não é uma atividade exclusiva de juízes. O que foi complementado pelo Prof. Gerson, que enfatizou que o objetivo da Semana ao escolher o tema “O Direito e os Meios Alternativos de Solução de Conflitos”, ” ao escolher este tema nosso objetivo foi justamente chamar a atenção dos alunos para o assunto e orientar os mesmos a investir na preparação profissional para atuarem com esta nova visão, onde não apenas aprendam a processar ou litigar judicialmente, mas a dar, muitas vezes uma solução amigável a um conflito” completou Gerson.

Ao final o Desembargador recebeu uma placa de homenagem pela contribuição a Semana Jurídica e ainda pediu para que o momento tão importante fosse registrado. A 14ª Semana Jurídica da Fema segue até quinta-feira, 05, as palestras ocorrem no Cinema Municipal a partir das 20h. Para conferir a programação completa do evento acesse www.fema.edu.br.

Equipe de alunos e colaboradores da Fema participam na organização e recepção durante a Semana.
Alguns participantes da Semana Jurídica junto das autoridades e do palestrante o desembargador Roberto Bacellar, momento registrado ao final da palestra.

#MAIS LIDAS DA SEMANA