Fio exposto e tomadas são os principais riscos de acidentes elétricos

Vale Paranapanema orienta pais para os cuidados em casa com pequenas situações que são verdadeiras armadilhas com riscos de acidentes graves e até fatais com energia

Crianças em casa: fios expostos e tomadas são os principais riscos de acidentes com energia elétrica

Outubro é o mês das crianças, sinônimo de diversão e alegrias. Mas com os pequeninos o cuidado é redobrado. Segundo a ONG Criança Segura, os acidentes, ou lesões não-intencionais, representam a principal causa de morte de crianças de 1 a 14 anos no Brasil.

Dados do Ministério da Saúde divulgados pela ONG Criança Segura, indicam que o choque elétrico é a sexta principal causa de morte entre crianças com idade entre 10 e 14 anos, e menores de um ano.

“As crianças são curiosas, o senso de perigo é muito pequeno. É comum, quando começam a andar, se agarrar no quem vem pela frente para equilibrar, se tivermos fios expostos, é um perigo. Outra situação comum, é colocar a mão ou objetos em tomadas, e aí pode ser fatal”, orientou o Engenheiro de Segurança do Trabalho da Vale Paranapanema, Vinicius Alferes de Oliveira Motta.

O engenheiro orienta aos pais a usar protetores nas tomadas. “Para os mais crescidinhos, que já alcançam e ainda se arriscam a colocar e tirar plugues de aparelhos de tomadas, a dica é tocar no corpo do plugue a nunca puxá-los pelos fios”.

Fios expostos são riscos não só de choque elétrico, mas também de queda, pois os pequenos podem tropeçar e cair. “Neste caso, recomendamos o uso de canaletas, que deixam a fiação segura e longe da criançada”, ressaltou.

O engenheiro orienta ainda que, em caso de acidente “jamais toque na vítima ou no fio, sem saber que estão desligados. Desligue o disjuntor elétrico ou chave geral da casa e chame os bombeiros”.

Eletricidade

• Verifique sempre o estado das instalações elétricas. Fios desencapados podem ser muito perigosos;

• Evite ligar vários aparelhos eletrônicos em uma mesma tomada;

• Substitua as fiações antigas e desencapadas. Os fios devem ficar isolados em locais adequados como canaletas e conduítes;

• As tomadas devem estar protegidas por tampas apropriadas, esparadrapo, fita isolante ou mesmo cobertas por móveis;

• Fios elétricos devem estar isolados e longe do alcance das crianças;

• Evite usar benjamins ou extensões. Muitos aparelhos ligados na mesma tomada podem causar sobrecarga e curto circuito na fiação;

• Só permita que as crianças empinem pipas em campos abertos, com boa visibilidade, sem a presença de fios e postes de eletricidade. Oriente-as quanto aos riscos do uso do cerol e de retirar a pipa caso enrosque na rede;

• Oriente sobre os perigos de entrar nas áreas das estações de distribuição ou nas de torres de transmissão;

• Cuidados com eletrodomésticos em mau estado de conservação como ventiladores e geladeiras, que podem causar choque e curto-circuito. Se possível, faça revisões ou a troca desses produtos e mantenha o hábito de usar chinelo de borracha;

• Antes de consertos e reformas, desligue a chave geral. Prefira os serviços de um eletricista;

• Desligue o chuveiro antes de mudar a chave verão/inverno;

• Não coloque objetos metálicos (facas, garfos, etc.) dentro de equipamentos elétricos;

• Considere a instalação de um dispositivo de proteção residual (DR), no quadro de distribuição de energia elétrica, que tem a função de cortar a vazão de corrente elétrica que causa choques.

Fonte: ONG Criança Segura

VEJA TAMBÉM

#MAIS LIDAS DA SEMANA