Coordenador de Iniciação Científica da Fema participa de evento do CNPq

O encontro promovido pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, tratou sobre os Programas de Iniciação Científica.

O coordenador de Iniciação Científica da Fema, Prof. Dr. Alex Poletto participou da 4° Reunião de Trabalho com Pró-Reitores de Pesquisa e Coordenadores do PIBIC/PIBIC-Af/PIBITI.

A Fundação Educacional do Município de Assis – Fema tem incentivado alunos e professores no desenvolvimento de pesquisas, ciência, conhecimento, tecnologia e inovação. Atualmente a Fema mantem três programas de iniciação científica, PIC, PIBIC e PIBITI, que promovem anualmente uma média de 45 trabalhos, envolvendo alunos bolsistas e professores orientadores.

Neste sentido, o coordenador de Iniciação Científica PIBIC/PIBITI/CNPq da Fema, Prof. Dr. Alex Sandro Romeo de Souza Poletto esteve em Brasília onde participou da 4° Reunião de Trabalho com Pró-Reitores de Pesquisa e Coordenadores do PIBIC/PIBIC-Af/PIBITI. O encontro promovido pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq teve como objetivo debater o cenário para 2014, dos programas relacionados à Iniciação Científica (IC).

A Reunião contou com a presença do presidente do Conselho, Glaucius Oliva e a diretora de Cooperação Institucional (DCOI/CNPq), Liane Hentschke. Criado em 1988, o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) foi o primeiro institucional estruturado para a iniciação científica nacional. De acordo com o presidente, a iniciação científica adotada no Brasil, segue um modelo moderno proposto pelo mundo atualmente. Outro Programa que fez parte das discussões da reunião foi o PIBITI – Programa Institucional de Bolsas de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação que tem por objetivo estimular os jovens do ensino superior nas atividades, metodologias, conhecimentos e práticas próprias ao desenvolvimento tecnológico e processos de inovação.

Segundo o coordenador, Prof. Dr. Alex Poletto, nesta Reunião, representantes de instituições de ensino de todo o país debateram sobre os Programas PIBIC e PIBITI. Um dos destaques da reunião foi à sinalização de um aumento de bolsas para 2014. “Este número ficou congelado alguns anos e agora já existe uma grande chance que estas bolsas sejam acrescidas e deste modo também devem aumentar as vagas oferecidas para alunos e professores nas instituições, como é o caso da Fema”. Outro programa mencionado pelo Professor, o qual a Fema também participa é o “Ciências Sem Fronteiras” que promove intercâmbio de alunos para estágio no exterior.

Segundo o Coordenador da Fema ao promover a iniciação científica no espaço acadêmico os alunos são incentivados a desenvolverem o senso crítico e o gosto pela pesquisa e ciência, de forma que estes alunos saem da instituição com possibilidade de cursar um mestrado e doutorado ou atuarem em grandes centros de pesquisas. “É muito importante incentivar as pesquisas na instituição e cada vez mais é importante destacar, a necessidade em aumentar os trabalhos desenvolvidos e o número de alunos envolvidos. Já para 2014 a Fema aumentou o número de PIC – Programa de Iniciação Científica da Fema, mantido com recursos próprios da Fundação. Tínhamos 30 bolsas e no próximo ano serão oferecidas 35. O número de Bolsas oferecidas pelos Programas do CNPq, PIBIC e PIBITI também teve um acréscimo, e tudo isso é muito bom para a instituição”.

A iniciação científica é um modelo de pesquisa acadêmica desenvolvida por alunos de graduação nas universidades brasileiras, em diversas áreas do conhecimento. Em geral, os estudantes que se dedicam a esta atividade possuem pouca ou nenhuma experiência em trabalhos de pesquisa científica, sendo acompanhados por orientadores durante a função.

O CNPq possui um programa estruturado para bolsas de iniciação científica financiado com recursos próprios e externos. As modalidades que estão sendo geridas pelo programa institucional do Conselho, são: PIBIC (24.210 bolsas); PIBIC-EM (5.588 bolsas); FAPs (4.359 bolsas); Obmep/Impa (3.200 bolsas); PIBITI (3.094 bolsas); PIBIC-Af (800 bolsas); e PICME/Impa (650 bolsas).

Programa de Iniciação Científica Fema PIC 2014 – Na Fema, estão abertas as inscrições para o Programa de Iniciação Científica (PIC) da Fema/Imesa, criado em 2001, com o objetivo de incrementar a graduação e promover estreito relacionamento entre estudantes e pesquisadores da instituição.

O Programa é totalmente financiado pela Fema e já distribuiu, desde a sua criação, mais de 500 bolsas para alunos e professores. No PIC os alunos são orientados por professores com título de doutor e de mestre e frequentemente as pesquisas extrapolam os muros da instituição e são desenvolvidas em conjunto com outras universidades públicas do Brasil.

Para o Dr. Alex Poletto a participação em projetos de iniciação científica oferece aos alunos uma experiência maior e promove aos mesmos um diferencial, “Os trabalhos de iniciação científica são realizados antes do último ano do curso, pois no último ano ele se dedica ao trabalho de conclusão. Então o aluno que passa antes pela iniciação científica chega ao final do curso com uma experiência muito maior que os demais e neste sentido a busca pelos programas oferecidos pela Fema tem crescido muito nos últimos anos”.

Mais informações sobre o a Reunião do CNPq estão disponíveis na página do Conselho www.cnpq.br. Para saber mais sobre os Programas de Iniciação Científica da Fema acesse www.fema.edu.br.

VEJA TAMBÉM

#MAIS LIDAS DA SEMANA