Enfermagem da Fema firma parceria com Coren-SP e participa do Ingressa Coren

Na última semana alunos do 3º e 4º ano de Enfermagem participaram de uma palestra com o conselheiro Evandro Lira do Coren/SP.

Fema firma parceria com Coren-SP e participa de Programa de orientação.

A Coordenadoria do curso de Enfermagem da Fundação Educacional do Município de Assis – Fema firmou parceria com o Conselho Regional de Enfermagem – Coren /SP. A parceria promove a participação dos alunos da Fema em ações do Programa Ingressa Coren, criado pelo Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo com o objetivo de oportunizar a familiarização do futuro profissional com os assuntos relacionados à ética e à legislação.

Dentre as ações promovidas no Programa, foi realizada na noite do dia 20, uma palestra ministrada pelo conselheiro Evandro Lira, que apresentou aos alunos a história do Sistema Cofen/Corens, sua finalidade, as atividades desenvolvidas pela autarquia, pelos conselheiros, a estrutura física, de recursos humanos e logísticos, entre outros temas.  Segundo Evandro Lira o Programa Ingressa Coren busca esclarecer os futuros profissionais sobre a complexidade da mão de obra e o entendimento do Conselho perante o profissional, bem como questões de analise preventiva e não punitivas das situações “Hoje o Conselho Regional de Enfermagem busca se aproximar do profissional, com o intuito de unir a categoria, promovendo a participação do profissional e pleiteando o avanço da profissão”.

Segundo ele, o Coren é regulamentado por uma lei que busca garantir a segurança do paciente, entretanto não há como garantir esta segurança ao usuário, sem pensar na segurança e na condição de trabalho do profissional, “A questão é que hoje vivemos uma realidade onde o que encontramos no operacional é muito adverso do que está previsto nas normas e por incrível que pareça, estas normas são descritas para garantir a segurança, não só do paciente, mas também do profissional. Neste sentido, o Programa Ingressa Coren busca justamente trazer aos futuros profissionais este entendimento, de que o Coren não é apenas punitivo e autocrático, como historicamente é encarado pelos profissionais, mas sim de que ele deve estar junto do profissional, de uma maneira preventiva e educativa; e para promover isso precisamos iniciar uma reflexão sobre o momento que a profissão está passando hoje, frente à mídia e a sociedade, para que juntos possamos resolver estas questões de dentro para fora. Não adianta fazer apenas uma campanha de valorização da categoria, precisamos promover esta valorização pelo entendimento do acadêmico e do profissional, de forma que isto se estenda na assistência e no próprio entendimento da sociedade, quanto à importância do Enfermeiro na realidade. Hoje, um milhão e oitocentos mil brasileiros fazem parte da categoria de Enfermagem, em São Paulo são 425 mil profissionais. A única equipe que toma conta do paciente nas 24 horas é a  de Enfermagem. Dos procedimentos que são realizados no paciente internado no Hospital, de 60% a 65% são promovidos pela equipe de Enfermagem, e a sociedade não tem este entendimento”. Ainda segundo Evandro, muitas vezes o profissional é colocado em situações, que parece que ele está servindo hambúrguer no caixa de uma lanchonete, quando na verdade ele está administrando uma medicação endovenosa, um procedimento de grande complexidade e que uma falha pode levar o paciente à morte.

A coordenadora do curso de Enfermagem da Fema, Profª Rosangela Gonçalves da Silva, explicou que o Programa Ingressa Coren é uma iniciativa nova da atual administração do Conselho, que tem como objetivo aproximar os profissionais das instituições envolvidas na profissionalização e regulamentação do exercício profissional da Enfermagem “O Ingressa Coren é um projeto que busca oferecer aos profissionais que estão em fase de formação, principalmente aqueles que estão concluindo o curso, no último e penúltimo ano, uma visão diferenciada da atuação do Coren, de maneira que eles consigam ingressar no mercado de trabalho já com um novo entendimento, “O objetivo é que os novos profissionais passem a ter uma visão diferente daqueles mais antigos, onde a grande maioria infelizmente tem um entendimento pessimista dos órgãos de classe. Eles acreditam que estas organizações só existem para punir os profissionais, criar novas leis ou regras. Quando na verdade nós precisamos dos Conselhos para trabalhar e garantir respaldo diante das situações adversas de trabalho. O Conselho auxilia os profissionais, orientando e aconselhando sobre a prática profissional, prevenindo um problema ou erro, tanto para o paciente, como para o profissional. Este Programa do Coren tem sido muito importante, pois, além de abordar cada categoria dos conselhos, Coren, Cofen, Aben, e determinar suas diferenças, o Ingressa Coren ainda trabalha questões técnicas, trazendo fatos reais do cotidiano, como os erros mais comuns, as competências e atribuições dos enfermeiros, técnicos e auxiliares, as razões que levam os profissionais a cometerem uma infração e como fazer para evitar estas infrações”.

A Coordenadora agradeceu ao Coren pela parceria e enfatizou a importância do Programa para os alunos da Fema, “Esta parceria foi muito boa, pois tem oferecido aos nossos alunos uma nova perspectiva, um novo olhar e a oportunidade de uma conduta diferenciada”.

Ainda sobre as ações em parceria com o Coren, a Coordenadora informou que, após a palestra, os alunos ainda deverão visitar a sede do Coren e Cofen em São Paulo. Para conhecer o Programa Ingressa Coren, ou para maiores informações sobre o Conselho acesse www.coren-sp.gov.br. Para mais informações sobre o curso de Enfermagem da Fema acesse www.fema.edu.br.

#MAIS LIDAS DA SEMANA