Assis é pré-selecionada para receber curso superior de medicina

Os municípios pré-selecionados receberão visita da comissão de especialistas para verificação da estrutura de equipamentos públicos e programas de saúde.

O Programa faz parte de um amplo pacto de melhoria do atendimento aos usuários do SUS

O Ministério da Educação divulgou nesta terça-feira, dia 3, a relação de 42 municípios pré-selecionados para a implantação de novos cursos de graduação em medicina por instituições de ensino superior, e Assis está entre essas cidades. No estado de São Paulo foram 16 municípios pré-selecionados. A portaria foi publicada no “Diário Oficial da União”.

A cidade de Assis atendeu aos critérios de pré-seleção do Governo Federal, que reconheceu os importantes trabalhos em atenção à saúde que o município realiza. De acordo com a portaria, os municípios pré-selecionados receberão visita da comissão de especialistas para verificação da estrutura de equipamentos públicos e programas de saúde existentes.

O Prefeito Ricardo Pinheiro Santana comemorou a notícia de pré-seleção do município, e disse que esse é mais um importante passo para que o curso de medicina se efetive na cidade, o que irá garantir um grande desenvolvimento para Assis.

Enquete

“O nosso primeiro passo foi o de inscrever a cidade de Assis no programa, agora recebemos a notícia que a cidade foi pré-selecionada, o que nos deixa muito satisfeitos, isso mostra o reconhecimento do Governo Federal em relação aos trabalhos que estamos realizando em atenção à saúde de Assis, e não vamos medir esforços para que a cidade de Assis receba um Curso Superior de Medicina” ressaltou Ricardo Pinheiro Santana.

A pré-seleção ocorre depois de o Prefeito Ricardo Pinheiro inscrever Assis no Programa “Mais Médicos” que prevê a criação de 11.447 vagas em faculdades de medicina até 2017. O Programa também faz parte de um amplo pacto de melhoria do atendimento aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), com o objetivo de acelerar os investimentos em infraestrutura nos hospitais e unidades de saúde e ampliar o número de médicos no País.

#MAIS LIDAS DA SEMANA