Trabalhadores do HSBC exigem valorização em negociação nesta quinta

O banco inglês penaliza os funcionários brasileiros aplicando redutores nos cálculos de sua lucratividade, como a PDD maior do que as necessárias.

Trabalhadores do HSBC exigem valorização em negociação nesta quinta

Os trabalhadores do HSBC exigem valorização já, com o pagamento integral da segunda parcela da Participação nos Lucros e Resultados (PLR), que será creditada em fevereiro. Os bancários querem o reconhecimento pelo seu esforço diário, sem manobras contábeis ou outras interferências negativas que desvalorizem seu trabalho. A negociação acontece nesta quinta-feira, 19 de dezembro, em Curitiba, onde a pauta principal é a formalização do acordo aditivo específico à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT).

O banco inglês penaliza os funcionários brasileiros aplicando redutores nos cálculos de sua lucratividade, como a Provisão para Devedores Duvidosos (PDD) maior do que as necessárias, o que fez com que diminuísse o valor da primeira parcela da PLR paga em outubro e nos últimos cinco anos. “Como se isso não bastasse, o HSBC também diminuiu o valor do seu Programa Próprio de Resultados (PPR). O movimento sindical cobrou do banco apresentação do novo modelo de PPR e respeito às vendas responsáveis, fim das metas abusivas e não interferência desse novo modelo no valor final da PLR”, explica o presidente do Sindicato dos Bancários de Assis, Helio Paiva Matos.

Na reunião, no último dia 6 de dezembro, entre representantes do banco e dos trabalhadores, foram debatidos itens da minuta para a formalização de um Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), que deverá ser aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), com os direitos específi cos já conquistados pelos trabalhadores do HSBC. A luta dos bancários fez com que o banco aceitasse conquistas como plano de saúde e odontológico, direito a folgas por tempo de trabalho e no dia do aniversário, adiantamento salarial, no caso das férias em até cinco parcelas, bolsa educacional, entre outros, a serem formalizados em ACT. Os trabalhadores exigem valorização e estão organizando campanha nacional para garantir pagamento integral da segunda parcela da PLR.

VEJA TAMBÉM

#MAIS LIDAS DA SEMANA