Uso de celular por motoristas causa distração e aumenta risco de acidente

Entre as irregularidades flagradas no trânsito de Assis, dirigir falando ao celular é a que mais causa distração ao volante. Este é um comportamento freqüente.

Em 2013 o foram registradas 844 multas em Assis por uso do celular ao volante (Foto: Reprodução)

Conforme o ranking de infrações de trânsito dos quatro primeiros meses deste ano, 365 multas foram aplicadas a condutores que utilizavam o aparelho de telefonia enquanto dirigiam, tanto em ligações quanto no envio ou recebimento de mensagens. Durante o ano passado o Departamento Municipal de Transito em conjunto com a Polícia Militar registraram 844 multas aplicadas por esse motivo.

Prevista no artigo 252 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), dirigir falando ao telefone celular é uma infração classificada como média, com acréscimo de quatro pontos ao prontuário do condutor e multa pecuniária no valor de R$ 85,13.

O Diretor do Departamento Municipal de Transito de Assis, Leonardo Godói Palma, explica que o ato de falar ao celular é complexo do ponto de vista da segurança. Operar outras funções do telefone, porém, é um ato considerado ainda mais arriscado por desviar ainda mais a atenção do condutor.

“Com o celular no ouvido, o motorista dificilmente olha para o espelho retrovisor, reage de forma mais lenta, assume uma trajetória errática na via, reduz ou ultrapassa a velocidade compatível com o tráfego”, pontua Palma. Ele ainda cita a possibilidade dos condutores que estão usando o telefone avançarem sinais sem perceber, não lerem as placas de sinalização e até mesmo não perceber pessoas e veículos próximos. Além de tudo isso, continua, o motorista fica com as mãos ocupadas e tem dificuldade de trocar de marcha. Segundo destaca, todas essas situações podem desencadear um acidente.

O uso de fone de ouvido para atender o celular enquanto dirige também é proibido pelo CTB. Palma afirma que à luz da legislação o ato de conduzir o veículo com fones nos ouvidos conectados à aparelhagem sonora ou de telefone celular constitui infração de trânsito.

Em Assis, as multas de trânsito são aplicadas por agentes do Departamento de Transito, considerados autoridades de trânsito. “Quando o agente lavra o auto de infração, o faz com certeza absoluta do cometimento, sendo que por vezes indica alguns aspectos da infração no campo observações do auto”, informa o diretor.

A não utilização do cinto de segurança é uma infração grave pelo CTB (Foto: Reprodução)

Cinto de Segurança
Outra infração que merece atenção é a falta de uso do cinto de segurança. Dados do ranking de infrações deste ano somam 327 multas para condutores que não usavam o cinto enquanto dirigiam. No o ano passado o Departamento de Trânsito em conjunto com a Polícia Militar registraram 1412 multas. A não utilização do cinto de segurança é considerada uma infração grave pelo Código de Trânsito Brasileiro e soma cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Além disso, o motorista tem que pagar multa de R$ 127,69.

Recursos
Depois do ato do flagrante e feita a notificação, ela é encaminhada pelos Correios para o endereço do proprietário do veículo. Caso o destinatário não seja localizado, o nome é publicado no Diário Oficial do Município. Para recorrer, o proprietário pode fazer a defesa prévia na própria Secretaria de Trânsito e, se julgar necessário, recorrer na Junta Administrativa Municipal de Recursos de Infrações (Jari). Para apresentar a defesa, o motorista infrator tem prazo de 30 dias, a contar do recebimento da notificação. Se o recurso, em 1ª instância, for negado, ainda assim pode recorrer ao Conselho Estadual de Trânsito (CETRAN), em 2 a instância.

VEJA TAMBÉM

#MAIS LIDAS DA SEMANA