Plano de desenvolvimento regional e local é entregue aos municípios

O Plano ainda identificou as Cadeias Produtivas do Agronegócio, sendo: da mandiocultura, da hortifruticultura, do gado de corte e da piscicultura.

Civap entrega plano de desenvolvimento regional e local aos municípios do Vale do Paranapanema (Foto: Assessoria)

Na tarde desta quinta-feira, dia 07, o Consórcio Intermunicipal do Vale do Paranapanema – Civap, apresentou para as autoridades regionais e comunidade em geral, os resultados do Plano de Desenvolvimento Regional e Local dos Municípios do Vale do Paranapanema – PDEVP, elaborado pela empresa Geo Brasilis, com recursos da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Governo do Estado de São Paulo.

Em agosto de 2013 o Plano foi lançado e desde então Prefeituras de 22 Municípios Consorciados e instituições de ensino e pesquisa da região estiveram envolvidos no estudo, que mapeou toda a região, com o objetivo de apontar e propor oportunidades de ações voltadas ao desenvolvimento local e regional.

Ricardo Pinheiro entregou o Plano para os Prefeitos e representantes das instituições de ensino e pesquisa envolvidos (Foto: Assessoria)

A mesa de abertura do evento foi composta pelo presidente do Civap e prefeito de Assis, Ricardo Pinheiro Santana, pelo vice-presidente do Consórcio e prefeito de Cândido Mota, Zacharias Jabur, também pela representante da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Governo do Estado de São Paulo, Margareth Lopes Leal, pelo presidente do Conselho Curador da Fema Dr. Ulysses Telles Guariba Netto, professor Dr. Dario Abel Palmieri da Unesp de Assis, professor Jobel Venceslau Júnior da Unip Assis, Dorival Finotti da Agência Bioma Vale, Luiz Marques da Silva Ayrosa da APTA, Cristiano Geller do EDR – CATI/Assis. Os resultados do Plano foram apresentados pelo diretor da Geo Brasilis José Roberto dos Santos.

Dentre os resultados apresentados estiveram às principais propostas do Plano para consolidar o desenvolvimento econômico regional e local. Foram destacadas a indicação de 44 oportunidades de negócios em âmbito local e 10 projetos estruturantes em âmbito regional; elaboração de três planos de trabalho para captação de recursos públicos; e indicação de uma agenda estratégica de desenvolvimento, estabelecendo ações para dinamização das cadeias produtivas, que integradas possam ser transformados em negócios capazes de contribuir para o desenvolvimento econômico sustentável e a melhoria das condições sociais da região.

Nas oportunidades de negócio e desenvolvimento econômico foram apontados 105 programas, sendo 55 estaduais e 50 federais e 18 linhas de financiamento, sendo dez do Desenvolve SP e oito do BNDES, para os temas de: agropecuária, indústria, comércio e serviço, infraestrutura, turismo e aperfeiçoamento da gestão pública.

Foram apontados como projetos estruturantes com potencial de investimento até 2025: no setor do Agronegócio: Centro de excelência da mandiocultura; Fortalecimento da hortifruticultura; Dinamização da cadeia do gado de corte; Integração da piscicultura;  Rede de armazenagem de grãos na região do CIVAP. Também foram apontados projetos de ampliação da Competitividade da Logística ; Desenvolvimento das cadeias de negócios de corte e costura; Turismo regional: Estruturação turismo náutico, gastronômico, lazer, ecológico; Tecnologia: Implantação do Centro de Inovação;  Sistema de Tratamento de Resíduos Sólidos.

Com base nos diagnósticos econômicos locais e regional, nas vocações, nas proposições dos projetos estruturantes e das oportunidades de negócio, o Plano apontou as linhas de financiamento no BNDES e Desenvolve SP e os programas do governo federal e estadual, que apresentam potencial para efetivação de convênios.

O PDEVP ainda indicou três “Planos de Trabalho”, que servirão de base para solicitação de convênios e /ou recursos financeiros visando o desenvolvimento de projetos e ações, são eles: Centro de Inovação de Assis; Implantação de indústria de beneficiamento de mandioca de mesa; e Implantação de unidade de beneficiamento de pescado.

O Plano ainda identificou as Cadeias Produtivas do Agronegócio, sendo: da mandiocultura, da hortifruticultura, do gado de corte e da piscicultura. Também as de Serviços, que em termos potenciais, estão voltadas ao turismo, visto que há atrativos turísticos pouco explorados em convergência a uma demanda local por espaços de lazer. E por fim, o setor de corte e costura, que também se mostrou como uma cadeia produtiva com potencial a ser dinamizado, devido, principalmente, à demanda existente e à geração de emprego e renda para as mulheres da região.

Dentre os resultados algumas ações já estão encaminhadas, foi o que confirmou o presidente do Civap, Ricardo Pinheiro Santana e a representante da secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, Margareth Leal, ao confirmarem em suas falas, a assinatura do Convênio para a implantação do Centro de Inovação Tecnológica em Assis.

Ao final, Ricardo Pinheiro, em nome do Civap, entregou o Plano para os Prefeitos e representantes das instituições de ensino e pesquisa envolvidos.

Ricardo Pinheiro entregou o Plano para os Prefeitos e representantes das instituições de ensino e pesquisa envolvidos (Foto: Assessoria)

Histórico do Plano
 O lançamento do Plano aconteceu em agosto de2013 e os resultados do estudo foram apresentados, na tarde do dia 07 de agosto, em evento realizado no Auditório da Fundação Educacional do Município de Assis Fema, município de Assis/SP.

O Plano foi elaborado pela empresa Geo Brasilis, com o apoio das 22 prefeituras pertencentes ao Civap, secretarias de estado e sociedade civil organizada, sendo: os municípios de Assis, Borá, Campos Novos Paulista, Cândido Mota, Cruzália, Echaporã, Florínea, Ibirarema, Iepê, João Ramalho, Lutécia, Maracaí, Nantes, Oscar Bressane, Palmital, Paraguaçu Paulista, Platina, Quatá, Rancharia, Tarumã, Taciba e Ocauçu. E as instituições: Unip, Fema, Unesp, Unopar, Coopermota, Apta, Cati. Durante a sua elaboração foram realizadas 57 reuniões de trabalho.

O estudo é uma iniciativa inédita do Civap, viabilizado graças ao apoio do Governo do Estado de São Paulo, que disponibilizou recursos por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação – SDECTI.

#MAIS LIDAS DA SEMANA