Assisense morto na Suíça é enterrado sob aplausos em Rio Preto

Estudante Matheus Henrique Marioto, de 23 anos, morreu afogado.
Jovem estava em uma festa de música eletrônica quando pulou em lago.

Amigos e a família prestam homenagem para Matheus Marioto (Foto: Marcos Lavezo/G1)

O corpo do estudante Matheus Henrique Marioto, que morreu no mês passado em Zurique, na Suíça, foi enterrado na manhã desta sexta-feira (19) no cemitério Jardim da Paz, em São José do Rio Preto (SP). Depois de mais de 40 dias para conseguir a liberação do corpo para retornar ao Brasil, família e amigos o enterraram sob aplausos. “Agora acabou uma etapa dolorida, triste, mas acabou em paz, com a gente conseguindo prestar uma homenagem ao meu filho. Agora começa uma nova etapa, de não ter mais ele com a gente”, disse a mãe, Luiza Sandra Bastos Vidal, ao site G1.

Matheus Marioto (Foto: Reprodução/ Internet)

O corpo do estudante chegou ao Brasil na manhã desta quinta-feira (18). O traslado até Rio Preto foi feito de carro e demorou aproximadamente 10 horas. Para o pai de Matheus, Marcos Augusto Marioto, 45 anos, esta demora e a burocracia para trazer o corpo foram desgastantes. “A dor ia corroendo o coração a cada dia. A cada dia dele distante de nós ia aumentando a nossa dor. Mas agora está tudo em paz, isso é o mais importante. Temos agora de seguir a vida, já que é a vontade de Deus”, afirma.

Durante o trajeto do velório até o enterro, familiares e amigos que acompanhavam o corpo cantaram a música “Gostava Tanto de Você”, de Tim Maia. Apesar de ser natural de Assis (SP), a família preferiu enterrar o corpo em Rio Preto por ter sido a cidade “onde ele se sentia feliz e fez muitos amigos”.

Saiba Mais
Família consegue arrecadar dinheiro para translado do corpo de Matheus
Jovem morto na Suíça tinha cancelado seguro de vida há 2 meses
Morte de assisense desaparecido na Suíça é confirmada em exame de DNA
Corpo encontrado em rio na Suíça pode ser de assisense desaparecido
Buscas por brasileiro desaparecido na Suíça continuam, diz Itamaraty
Em excursão, assisense vai a Suíça e desaparece

Matheus concluiu a graduação em Ciência da Computação na Unesp em 2011 e, desde 2013 era aluno do programa de pós-graduação em Ciência da Computação, no qual trabalhava em projeto de mestrado na linha de engenharia de software e banco de dados. “Fiz a graduação com ele e o mestrado. Estou acompanhando a dor da família desde que ele desapareceu e foi um período muito triste. Mas agora conseguimos pelo menos prestar uma homenagem para ele”, afirma o amigo Diogo Lemos, que morou com Matheus durante a graduação em uma república.

Entenda o caso
Matheus estava em intercâmbio na Alemanha e foi para a Suíça participar de uma das maiores festas de música eletrônica da Europa, a Street Parade, que atrai público de mais de um milhão de pessoas em cada edição. O jovem estava com um grupo de amigos, que contaram que ele não foi mais visto depois de pular no Lago Zurique.

Como Matheus não apareceu no local onde o grupo combinou para pegar o ônibus de volta de para Alemanha, dois amigos dele decidiram ficar em Zurique e procurar a polícia. O jovem foi considerado desaparecido e as buscas começaram no dia seguinte.

A polícia da Suíça localizou no Rio Limmat quase uma semana depois, no dia 8 agosto, um corpo com as características do jovem. A confirmação da identidade de Matheus foi confirmada no dia 11 por meio de um exame de DNA feito com objetos retirados do apartamento de Matheus na Alemanha.

A mãe do jovem contou que os exames toxicológicos apontaram que ele não havia ingerido bebidas alcoólicas e nem feito uso de drogas. Para Luiza ele teve câimbras e acabou se afogando.

Familiares e amigos de faculdade acompanham enterro do estudante (Foto: Marcos Lavezo/G1)

#MAIS LIDAS DA SEMANA