Faixas da Raposo Tavares são liberadas após oito horas de protesto

Caminhoneiros da região de Assis aderiram movimento nacional.
Categoria pede redução do preço do combustível e aumento do frete.

Caminhoneiros interditaram faixas das duas pistas da rodovia (Foto: Guilherme Tavares/ TV TEM)

Os caminhoneiros que interditaram umas das faixas dos dois sentidos da Rodovia Raposo Tavares próximo ao quilômetro 433, na região de Assis (SP) liberaram totalmente a via no final da tarde desta quarta-feira (25) após 8 horas de protesto. Eles aderiram ao movimento nacional que já fechou rodovias em pelo menos 13 estados entre terça-feira e hoje.

Caminhoneiros pedem redução do combustível e
pedágios (Foto: Reprodução / TV TEM)

Os caminhoneiros pedem, entre outras reivindicações, a redução do preço do combustível, das tarifas de pedágio e aumento do valor do frete.

De acordo com a concessionária que administra a via, os caminhoneiros formaram uma fila de cerca de 5 quilômetros em uma das faixas nos dois sentidos da rodovia, que é duplicada. O trânsito fluiu durante todo o dia pelas faixas da esquerda dos sentidos interior-capital e capital-interior.

Apesar disso, tiveram motoristas que foram impedidos de seguir viagem. Um casal que viajava em um caminhão foi um deles. Os dois chegaram a discutir com os manifestantes. Uma grávida de 8 meses também foi impedida de passar e a jovem teve que ser levada para casa pela Polícia Rodoviária.

Ainda pela manhã, os policiais impediram que os manifestantes bloqueassem os dois sentidos da rodovia, eles chegaram a usar pneus para impedir o trânsito, mas foram convencidos a manter apenas uma das faixas de cada lado bloqueada. Fora esses incidentes, o movimento foi pacífico e acompanhado pela Polícia Rodoviária.

Polícia impediu que os motoristas bloqueassem
toda rodovia (Foto: Reprodução / TV TEM)

Bloqueios no país
A Advocacia-Geral da União protocolou ações na Justiça Federal dos estados para o desbloqueio das rodovias.

No estado de o Paulo, o juiz Bruno César Lorencini fixou multa de R$ 50 mil por hora de descumprimento para o sindicato de empresas de logística, além de multa de R$ 100 para cada manifestante que não desbloquear a rodovia.

Os bloqueios nas estradas têm causado desabastecimento de produtos em alguns estados do país, principalmente da região Sul.

#MAIS LIDAS DA SEMANA