Lembranças de Carnaval são usadas em projetos com idosos em Assis

Ação busca exercitar a memória e manter a lucidez de idosos.
‘A gente aprende mais com eles do que com livros’, afirma a coordenadora.

Idosos participam de projeto com estudantes da Unesp em Assis (Foto: Reprodução / TV TEM)

O tema carnaval foi usado por alunos de um projeto de extensão do curso de psicologia da Universidade do Estado de São Paulo (Unesp), de Assis (SP), para exercitar a memória e manter a lucidez de idosos de asilos da cidade. A terapia baseia-se na contação de histórias da vida dos assistidos.

Estudantes e professores desenvolvem o projeto com 47 moradores do lar dos idosos que uma vez por semana deixam a casa de repouso e vão para a universidade. A troca de experiências faz bem tanto para eles quanto para os alunos.  A experiência de vida de cada um deles vira objeto de pesquisa na universidade.

Atividades exercitam memória
(Foto: Reprodução / TV TEM)

“Eu pulava cinco noites no clube recreativo em Assis. Era sexta, sábado, domingo, segunda e terça e ainda trabalhava”, conta a aposentada Clarinda Vieira Boga, de 75 anos. O aposentado Lázaro Nunes, de 88 anos, também lembra quando era um folião e exercita a memória. “Eu pulei quando era moleque novo, 35, 36 anos. Com 40 (anos) não pulei mais.”

O trabalho começou há três anos. Sete estagiários de psicologia ajudam a recuperar boas lembranças. Brincar de fazer máscaras também ajuda a exercitar as mãos cansadas.

Importância para ciência
O projeto já rendeu artigos científicos. As oficinas são para os idosos, mas quem aprende as lições mais valiosas são os universitários.  A aposentada Isolina Arruda de 74 anos avisa os mais novos. “Você sabe que velho vira criança, você vai ver, vai ficar velho um dia”, brinca.

A coordenadora do projeto Marielle Correa diz que o exercício é aprendizado para os dois lados. “Para os idosos é uma oportunidade de resgatar um potencial que eles têm e que muitas vezes fica adormecido. Com isso mostramos para eles que a gente aprende mais com eles do que com qualquer outro livro.”

E depois de exercitar a memória é hora de reviver as festas de carnaval. Isolina gostou da festa. “Está bonito, está legal, tem bastante gente. Me sinto bem, muito contente.”

Idosos se divertem depois do exercício de memória (Foto: Reprodução / TV TEM)

#MAIS LIDAS DA SEMANA