Menina morre após ser atendida no Pronto-Atendimento por cinco vezes

Família reclama da demora no atendimento e no diagnóstico em Assis.
Criança, de 10 anos, apresentou grave quadro de infecção.

Emanuele Vitória Costa, de 10 anos, apresentou grave quadro de infecção (Foto: Reprodução/Facebook)

A menina de 10 anos morreu na quarta-feira (18) no Hospital Regional de Assis, depois de passar dois dias na UTI com febre alta, dores e manchas no corpo. Durante quase uma semana, foram pelo menos cinco visitas à unidade de Pronto-Atendimento da cidade. Só quando o quadro clínico se agravou é que a menina foi encaminhada para o setor de pediatria da Santa Casa e, depois, para a UTI do Hospital Regional. “Eu tive que discutir com o pessoal na UPA para arrumarem uma ambulância e a gente pode ir para Santa Casa”, explica o pai Benedito José de Souza.

Emanuele Vitória Costa, de 10 anos, apresentou grave quadro de infecção (Foto: Reprodução/Facebook)

No velório de Emanuele Vitória Costa, nesta quinta-feira (19), a comoção era grande entre os familiares, amigos e professores da escola. “Como era uma turminha bem pequena, era muito unida, e Emanuele sempre foi uma menina muito querida”, conta a professora Maria Alice Pereira.

O documento do hospital aponta várias possibilidades para a morte. A menina teve um quadro grave de infecção, o que levanta suspeita de quatro doenças: leptospirose, meningite, dengue hemorrágica ou febre maculosa.

Enquete

A febre maculosa é transmitida pelo carrapato estrela, e geralmente aparece em locais onde há capivaras. A infecção causa fortes febres, dores de cabeça e musculares, vômitos e desidratação. Para os familiares, o que menos importa são os resultados dos exames. A revolta deles é com o serviço de saúde. “Quando eles viram a alteração nas plaquetas delas já deveriam ter tomado uma atitude, dar um atendimento adequado para a menina, não esperar quatro dias para ela dar entrada na UTI no estado avançado da doença”, afirma a prima de Emanuele, Marcela Margonar.

A secretária municipal de Saúde, Denise Fernandes Carvalho, diz que será feita uma avaliação do prontuário médico da menina para dizer se houve algum tipo de negligência no atendimento. “É importante que a gente fala esse trajeto da criança para que a gente possa definir se houve mesmo uma demora para o diagnóstico e o tratamento ou não”, completa.

Os resultados dos exames com a causa da morte da menina devem ficar pronto em dez dias segundo a Secretaria de Saúde.

#MAIS LIDAS DA SEMANA