Família de bombeiro que morreu em acidente doa órgãos e salva vidas

Coração, pulmões, rins, fígado, córnea, tecido e ossos foram doados.
Diego Guimarães era casado e deixou um filho de nove anos.

Bombeiro deixou um filho de nove anos (Foto: Reprodução / TV TEM)
Bombeiro deixou um filho de nove anos (Foto: Reprodução / TV TEM)

Vários pacientes que aguardam por transplante de órgãos terão a chance de uma vida nova graças à doação dos órgãos de um bombeiro de Agudos (SP). Diego Rafael Guimarães teve morte cerebral na quinta-feira (12) após um acidente de motocicleta e a família dele autorizou a retirada dos órgãos, que foi feita na sexta-feira (13).

“É um ato de amor ao próximo. A família desse doador conseguiu fazer um gesto magnânimo neste momento de dor e a gente consegue fazer o que mais gostamos que é salvar a vida das pessoas”, afirma o cirurgião transplantador do Instituto do Coração de São Paulo (Incor), Ronaldo Honorato Barros dos Santos.

A cirurgia para captar o coração, os dois pulmões, os dois rins e o fígado do doador durou aproximadamente três horas. A equipe de transplante do Incor chegou ao Hospital de Base em Bauru, para transportar o coração e os dois pulmões à São Paulo onde três pacientes que estão na fila do transplante vão ter oportunidade de ganhar uma nova vida.

“Existe uma corrida contra o tempo especialmente em órgãos sensíveis, como é o caso do coração e dos pulmões. O tempo fora do organismo sem suprimento de oxigênio e sangue é muito curto. O coração tolera até quatro horas, então é uma missão de prioridade”, explica o cirurgião transplantador do Incor.

As equipes de transplante fizeram um grande trabalho de logística para que os órgãos chegassem ao destino no tempo certo. “Nós estamos em uma cidade distante da capital, apesar de termos boas estradas o deslocamento terrestre nos tomaria pelo menos três horas, então nós temos um convênio com a Secretaria de Saúde do Estado para que nós fretemos aviões e isso possibilita que órgãos sensíveis sejam transportados dentro de um prazo adequado sem comprometer a função daquele órgão”, diz o cirurgião transplantador do Incor.

Coração foi levado para São Paulo (Foto: Reprodução / TV TEM)
Coração foi levado para São Paulo
(Foto: Reprodução / TV TEM)

Os outros órgãos foram doados à pacientes de São José do Rio Preto e Botucatu.  Córnea, tecido e ossos também foram retirados para doação.  O velório está sendo feito na Câmara municipal de Agudos. Diego era casado e deixou um filho de nove anos.

Quase 15 mil pessoas no Estado de São Paulo esperam por uma doação de órgão, segundo a Secretaria Estadual de Saúde. Em 2015 foram 2.319 somente no Estado, 141 de coração, 1530 de rim, 530 de fígado, 63 de pulmão e 55 de pâncreas. No primeiro trimestre deste ano já foram feitos 561 transplantes. São Paulo é responsável por 45% dos transplantes feitos em todo o país.

Família doou órgãos de bombeiro (Foto: Reprodução / TV TEM)
Família doou órgãos de bombeiro (Foto: Reprodução / TV TEM)
Órgãos foram levados para transplantes em diferentes cidades (Foto: Reprodução / TV TEM)
Órgãos foram levados para transplantes em diferentes cidades (Foto: Reprodução / TV TEM)

#MAIS LIDAS DA SEMANA