Fique conectado

Cidade

UPA Assis realiza parto de emergência

Esse foi o primeiro parto realizado na Unidade de Pronto Atendimento desde a sua fundação em Assis, em 2014.

Publicado em

2.317

UPA Assis realiza parto de emergência (Foto: Glaudiana Nunes)

A Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Assis realizou o primeiro parto da unidade, desde seu início de funcionamento, em 2014, na madrugada desta terça-feira, (30) de janeiro de 2019. A gestante chegou de moto à UPA, já em trabalho de parto ativo, acompanhada pelo marido.

A paciente deu entrada na recepção às 00h20 e foi levada imediatamente à triagem, onde a enfermeira constatou sangramento uterino e já a encaminhou diretamente ao consultório, já que ela foi classificada como urgência e emergência. Segundo a mulher, ela estava sentindo dores desde cedo.

No consultório, a médica Dra. Lorrana de Sousa Landim Xavier, que estava de plantão na ocasião, fez o exame de toque e diagnosticou dilatação total de 10 dedos. Imediatamente, o outro médico plantonista, Dr. Rone Eder de Souza Lima, encaminhou a gestante para a sala de emergência, ao mesmo tempo que a ambulância do SAMU foi acionada. Também fazia parte do plantão daquela madrugada, e ficou atenta ao caso, a médica Dra. Berenice Umbelino Gatti.

A paciente chegou à UPA sem nenhum documento e, portanto, os procedimentos da equipe foram de cautela máxima. “Como ela não tinha a carteirinha do SUS e nem o cartão do pré-natal, não era possível saber a idade gestacional. Dessa forma, a equipe de enfermagem já foi acionada e preparou todos os materiais, como oxigênio, caso a criança não nascesse bem e precisasse de socorro”, falou a doutora Lorrana.

Vinte minutos após a entrada da gestante na UPA, o bebê nasceu. Foram feitos os testes e procedimentos normais de um hospital. Embora a Unidade não tenha a estrutura de uma maternidade, todos os procedimentos padrão para um parto foram adotados. “Uma equipe imensa trabalhou, talvez até mais médicos e enfermeiros do que se o parto fosse na maternidade”, disse a médica. Bebê e mãe receberam os primeiros cuidados, como retiramento da placenta, corte do cordão umbilical, e acolhimento adequado à criança. “Nós até desligamos o ar condicionado da sala de emergência para receber o bebê com mais acolhimento”, enfatiza a médica Lorrana.

No momento em que a equipe médica e de enfermagem terminava de acolher a paciente e o bebê, a ambulância do SAMU chegou e encaminhou ambos para a maternidade da Santa Casa de Misericórdia de Assis. A Assessoria de Comunicação da Santa Casa informa que mãe e bebê estão internados e passam bem.

Equipe Médica

Dr. Rone Eder de Souza Silva
Dra. Lorrana de Sousa Landim Xavier
Dra. Berenice Umbelino Gatti

Equipe de Enfermagem

Luis Gustavo Dionisio
Edmeia Gonçalves
Daniele Alves Pereira
Jandira Lopes
Luis Clodoaldo Kechi

Cidade

Padre Vicente é afastado depois de abençoar união homoafetiva

Diocese de Assis (SP) divulgou um documento informando a decisão nesta quinta-feira (12); casamento entre dois homens foi celebrado no último sábado (7).

Publicado em

Do G1
Padre é afastado depois de abençoar união homoafetiva em Assis — Foto: Reprodução/G1
Padre é afastado depois de abençoar união homoafetiva em Assis — Foto: Reprodução/G1

O padre Vicente Paula Gomes foi afastado de suas funções na igreja católica, nesta quinta-feira (12), depois de abençoar um casamento entre dois homens, no último sábado (7), em uma chácara de Assis (SP).

Segundo o documento divulgado pela Diocese, o decreto de medida cautelar foi baseado no Código Canônico e considera “acusações graves” implicando o cânone. O registro foi assinado pelo Dom Argemiro de Azevedo, bispo diocesano de Assis.

Diocese de Assis divulgou um documento comunicando o afastamento do padre nesta quinta-feira (12) — Foto: Diocese de Assis/Reprodução

Diocese de Assis divulgou um documento comunicando o afastamento do padre nesta quinta-feira (12) — Foto: Diocese de Assis/Reprodução

Durante a cerimônia, o padre defendeu o direito do casal ser considerado uma família e abençoou a união entre os dois homens.

“Achamos que lar basta ter um homem e uma mulher. Família não é só isso. Nuclear uma família significa criar condições para uma vida digna. Por isso, é com alegria que estou aqui”, disse o padre durante a cerimônia.

O padre também admitiu que estava nervoso em celebrar o casamento, já que era a primeira vez que ele dava a bênção para um casal homoafetivo.

“Já estou até pensando no que o Dom Argemiro vai falar segunda-feira, mas a bênção não me diminui, nem vai diminuir a igreja, nem vocês”, garantiu o padre.

O documento da Diocese diz que o padre ficará suspenso até o fim dos procedimentos que avaliam a postura dele dentro dos preceitos da igreja. O G1 tentou entrar em contato com a padre Vicente Paula Gomes, mas não obteve retorno.

Outro caso na região

Na região de Bauru (SP), outro padre também foi punido por defender a união entre homossexuais — Foto: Arquivo Pessoal / Fábio Fornaroli

Na região de Bauru (SP), outro padre também foi punido por defender a união entre homossexuais — Foto: Arquivo Pessoal / Fábio Fornaroli

Na região de Bauru (SP), outro padre também foi punido por defender a união entre homossexuais. O Padre Roberto Francisco Daniel, conhecido como Padre Beto, foi excomungado pela Diocese em 2013, depois da divulgação de vídeos na internet nos quais o padre defendia temas polêmicos, como a união entre homossexuais, fidelidade e necessidade de mudanças na estrutura da instituição.

Em 2018, o caso do Padre Beto foi para análise do Supremo Tribunal Federal, que questionou a forma como foi excomungado pela Igreja Católica. Atualmente, o padre fundou uma igreja própria, onde continua celebrando casamentos homoafetivos.

Continue lendo

Cidade

Pelo quinto ano seguido, Assis fica fora da rota da Caravana da Coca-Cola

Cidade recebeu pela última vez a caravana em 2014.

Publicado em

Do AssisNews
Pelo quarto ano seguido, Assis fica fora da rota da Caravana da Coca-Cola
Pelo quinto ano seguido, Assis fica fora da rota da Caravana da Coca-Cola

Todos os anos, as Caravanas Iluminadas da Coca-Cola circulam pelo Brasil espalhando a magia do Natal.

Mas essa ‘magia’, pelo quinto ano consecutivo, não contagiará os assisenses, já que Assis (SP) ficou mais uma vez fora da rota da caravana.

O último ano em que a caravana iluminada junto ao Papai Noel circulou pela cidade foi em 14 de dezembro de 2014, quando durante o trajeto, o ‘bom velhinho’ saiu distribuindo balas e diversos papéis de carta para as crianças escreverem seus pedidos de natal. (Assista abaixo)

Outras cidades da região também ficaram de fora, como Cândido Mota, Palmital, Ourinhos, Santa Cruz do Rio Pardo e outras.

‘Caravana mais próxima’

Segundo a assessoria da empresa, a cidade mais próxima de Assis em que a caravana irá passar é Marília, no dia 22 de dezembro.

Continue lendo

Cidade

Novo frigorífico da Frimesa não será em Assis (SP) e sim em Assis Chateaubriand

Notícia sobre o empreendimento viralizou nesta terça-feira (03).

Publicado em

Do AssisNews
A Frimesa está construindo o maior frigorífico da América Latina, e vai gerar 5 mil empregos diretos e até 15 mil indiretos (Foto: Reprodução/Novo Oeste)
A Frimesa está construindo o maior frigorífico da América Latina, e vai gerar 5 mil empregos diretos e até 15 mil indiretos (Foto: Reprodução/Novo Oeste)

Uma notícia de uma possível vinda de uma unidade do frigorífico Frimesa em Assis (SP) viralizou entre os assisenses nesta terça-feira (03).

No entanto, a instalação da empresa, não será em Assis (SP) e sim em Assis Chateaubriand, no Paraná e irá gerar pelo menos 5 mil vagas de emprego que serão abertas em 2020.

A coordenação do Departamento do Trabalho e Estimulo à Geração de Emprego e Renda da Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho, está alinhando com a diretoria de Recursos Humanos da indústria de alimentos Frimesa o recrutamento e a captação das 5 mil vagas de emprego que serão abertas em 2020 com a instalação de novas unidades frigoríficas no município de Assis Chateaubriand, Oeste paranaense.

“Estamos ajustando com empresas e representantes das Agências do Trabalhador a distribuição das vagas nas Agências do Trabalhador de Assis Chateaubriand e da região para o segundo semestre do próximo ano”, disse o chefe do Departamento do Trabalho, Eder Colaço.

Neste ano, a Secretaria colocou em prática um formato proativo de captação de vagas a serem intermediadas pelas Agências do Trabalhador de todo o Estado.

Os técnicos do Departamento Estadual do Trabalho já se reuniram, desde o início da gestão, com diversas empresas e em vários municípios com o objetivo de aumentar a oferta de vagas de empregos. “Estamos indo até as empresas e firmando novas parcerias e colocamos as Agências do Trabalhador à disposição para intermediar a seleção de pessoal, para gerar mais emprego e renda ao nosso Estado”, disse o secretário Ney Leprevost.

Como resultado desse trabalho, o Paraná liderou em outubro o ranking nacional de vagas ofertadas nas Agências do Trabalhador em relação ao número de inscritos em busca de emprego.

Segundo dados da Secretaria de Políticas Públicas de Emprego do Ministério da Economia, 15 mil vagas foram oferecidas em todo o Estado para aproximadamente 12,8 mil trabalhadores inscritos – ou seja, foi o único estado brasileiro com mais vagas abertas do que o número de trabalhadores buscando colocação no período.

Com informações do Novo Oeste.

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas