Prefeitura oferece acolhimento emergencial para moradores em situação de rua

São oferecidos cobertores, lanches e chocolate quente.

Prefeitura oferece acolhimento emergencial para moradores em situação de rua (Foto: Departamento de Comunicação)

Prefeitura oferece acolhimento emergencial para moradores em situação de rua (Foto: Departamento de Comunicação)

A Secretaria de Assistência Social de Assis (SP) está intensificando, por meio do Serviço de Abordagem Social, o programa “Ronda Noturna”, praticado durante todo período inverno com o objetivo de acolher aqueles moradores que ainda insistem em pernoitar nas ruas.

“Devido ao inverno e as madrugadas frias dos últimos dias, nossa equipe está nas ruas realizando abordagem e acolhimento noturno para essa população, além da distribuição de cobertores e lanches com chocolate quente para aqueles que não querem pernoitar na Casa de Passagem”, afirmou a secretária de Assistência Social Nadir Blefari.

Resistência – Com as baixas temperaturas, a Prefeitura intensifica essa ação para proteger do frio os moradores em situação de rua. Entretanto, encontra neles mesmos a maior resistência em deixar as ruas e logradouros públicos.

“Muitas vezes, as pessoas criticam o poder público afirmando que os moradores em situação de rua estão sem atenção da assistência social. Isso não é verdade, nossa equipe faz abordagem em todos os pontos críticos da cidade todos os dias, é um trabalho difícil de convencimento para que esse morador em situação rua possa dormir em local seguro e quente com refeições de qualidade como café da manhã, almoço e jantar, além do banho. Para que eles pernoitarem na Casa de Passagem, é necessário que eles queiram”, afirmou a Secretária.

Segundo ela, muitos não querem ir, pois estão acostumados a ficarem nas ruas pois já se encontram nelas há muitos anos ocasião em que o profissional da ronda noturna argumenta que o frio é coisa séria e que pode matar. Um fator relevante que os impedem de aceitar a ida para o abrigo é o estabelecimento das regras da Casa de Passagem, sendo uma delas o verdadeiro desafio: Não é permitido o uso de álcool e outras drogas. Por outro lado, Nadir Blefari ressalta que existem muitas histórias de pessoas que acolheram o chamado da ronda e após acompanhamento na casa, alguns receberam benefícios de transferência de renda, moradia em ILPIs – Instituição de Longa Permanência para Idosos, encaminhamentos para instituição hospitalar, documentação e muitos que não residem no município recebem passagens para continuar a procura de seu destino.

ASSESSORIA PMA

#MAIS LIDAS DA SEMANA