Obstrução da rede de esgoto provoca vazamento em rio de Assis

Frequentadores do parque onde o rio fica reclamaram do forte cheio.
Sabesp avaliou que, por sorte, os resíduos não contaminaram a água.

Frequentadores do Parque Buracão perceberam que havia algo diferente no local nos últimos dias.  Quem caminhava pelo parque logo sentia o forte cheiro do esgoto que passava pelas galerias. O fluxo era tão grande que pessoas evitavam passar próximo às pontes. “O cheiro está forte. A administração precisa melhorar, pois a gente para cá para se divertir e não para pegar uma doença”, comenta o porteiro Luiz Pereira da Silva.

Além de incomodar os visitantes, o risco maior do esgoto despejado dessa maneira é ambiental já que o destino do esgoto é a nascente Fortuninha que passa por dentro do parque. Após as imagens feitas pela reportagem da TV TEM na terça-feira (5), a Sabesp providenciou a desobstrução da rede de esgoto e resolveu o problema. Segundo a Cetesb, os dejetos não ofereceram riscos para o meio ambiente já que a quantidade despejada foi diluída e não chegou a contaminar a água.

Em nota, os técnicos da Sabesp informaram que entre os objetos mais encontrados na rede de esgoto estão: óleo de fritura descartado nas pias, bitucas de cigarro, absorventes higiênicos, preservativos e pedaços de pano.

Tratamento do esgoto 
O contrato da Sabesp sobre o tratamento de esgoto em Assis continua indefinido. A Câmara de Vereadores ainda trabalha na proposta de concessão da prefeitura à companhia de saneamento básico.

A renovação que deveria ter sido feita há quatro anos esbarra em uma discussão de cláusulas e na falta de entendimento político. O projeto em questão prevê um contrato entre prefeitura e Sabesp de R$ 46 milhões pela concessão dos serviços por mais 30 anos.

Por sorte, dejetos foram diluídos e não prejudicaram o meio ambiente (Foto: Reprodução/TV Tem)

#MAIS LIDAS DA SEMANA