Prefeitura fiscaliza descarte irregular de lixos e entulhos em áreas de preservação ambiental

População deve ajudar a preservar o Meio Ambiente e denunciar ato que é considerado crime ambiental

A Prefeitura de Assis através da Secretaria Municipal do Meio Ambiente acirrou nos últimos meses a fiscalização contra o descarte irregular de lixo e entulhos na cidade, inclusive aqueles despejados em áreas de preservação ambiental.

De acordo com o secretário Municipal da Agricultura e Meio Ambiente, Fábio Nossacki, mesmo sabendo que o despejo é considerado crime ambiental, muitos moradores ainda realizam o descarte em locais que julgam viáveis por serem de fácil acesso, nesses casos, sempre em pontos que agridam o Meio Ambiente e a natureza.

“Estamos numa força tarefa para conscientizar os moradores quanto à importância do despejo correto desses materiais, fiscalizando semanalmente os pontos de preservação ambiental e que têm sido alvo de muitos carroceiros no processo de descarte irregular”, lembra Fábio.

Ele salienta que na semana passada mais uma área verde foi limpa pela Prefeitura, e uma grande quantidade de lixo e entulho foram retirados do local.

“A população não pode se acostumar que morador jogou, sujou a Prefeitura vem e limpa. Esse cenário precisa mudar e os moradores se conscientizarem da importância em se cuidar do Meio Ambiente e realizar o descarte correto, o qual pode ser feito no Aterro de Inertes localizado no Distrito Industrial”, fala o secretário.

Segundo ele, com base na Lei Municipal nº. 3739 de Outubro 1998 e o Decreto nº 3.428, de novembro do mesmo ano, o descarte irregular pode gerar multas de até R$5 mil.

Em Assis, há cerca de 20 pontos consideráveis de preservação ambiental  e em todos eles  a Secretaria possui um mapeamento e mantém fiscalização acirrada para tentar coibir o despejo irregular desses materiais.

A população também pode ajudar denunciando na Secretaria Municipal de Meio Ambiente, no telefone 3324-9395.

Nos próximos dias, placas de proibição do descarte de lixos e entulhos e a conservação do local serão afixadas em cada área ambiental.

#MAIS LIDAS DA SEMANA