Militares dizem ter tomado o poder na Turquia

A emissora de televisão turca TRT foi tomada pelos militares. O acesso ao Facebook, ao Twitter e ao Youtube está restrito, afirmam grupos de monitoramento da internet.

Militares turcos fecham o acesso à Ponte do Bósforo em Istambul, na Turquia (Foto: Stringer/Reuters)
Militares turcos fecham o acesso à Ponte do Bósforo em Istambul, na Turquia (Foto: Stringer/Reuters)

O primeiro-ministro da Turquia, Binali Yildirim, afirmou que o país sofreu uma tentativa de golpe militar. Yildirim disse à emissora local NTV que a ação está sendo levada a cabo por um grupo de militares “fora da cadeia de comando”, segundo a Reuters.

Ainda de acordo com a agência de notícias, as Forças Armadas turcas afirmaram, em um comunicado, que os militares tomaram o poder “em prol da ordem democrática” e que os direitos humanos vão permanecer. O comunicado afirma ainda que todas as relações exteriores existentes vão continuar e que o respeito às leis deve ser prioridade.

O presidente Tayyip Erdogan disse à CNN turca, por telefone, que se trata de uma tentativa de revolta de uma minoria dentro das forças militares, um ato encorajado por uma “estrutura paralela” e que terá a resposta necessária.

Erdogan convocou o povo a ir às ruas. “Iremos superar isso”, afirmou. Ele disse ainda que aqueles que estão tentando um levante irão pagar preços altos na corte e que em curto período de tempo a situação deve ser resolvida. O presidenTe disse ainda que está voltando para Ancara.

Caso a tentativa de derrubada de Erdogan, que governa a Turquia desde 2003, tenha sucesso, seria uma das maiores mudanças de poder no Oriente Médio nos últimos anos.

A CNN diz ainda que reféns foram tomados em quartéis militares de Ancara. Segundo a agência estatal Anadolu, o chefe das Força Armadas está entre os reféns.

A emissora de televisão turca TRT foi tomada pelos militares. A rede foi tirada do ar. Jornalistas que estavam dentro do prédio relataram que tiveram os telefones confiscados.

Uma fonte de União Europeia disse que os militares tomaram o controle de aeroportos e outros pontos estratégicos em Istambul. Um piloto disse à agência Reuters que todos os voos foram cancelados no Aeroporto Ataturk, o principal de Istambul e do país.

Autoridades dos Estados Unidos, Reino Unido, França, Israel e Rússia alertaram seus cidadãos que estão na Turquia a não deixarem suas casas e hotéis.

O acesso ao Facebook, ao Twitter e ao Youtube está restrito, afirmam grupos de monitoramento da internet.

Apoiadores do presidente Recep Tayyip Erdogan protestam na frente de soldados na praça Taksim em Istambul, na Turquia (Foto: Emrah Gurel/AP)
Apoiadores do presidente Recep Tayyip Erdogan protestam na frente de soldados na praça Taksim em Istambul, na Turquia (Foto: Emrah Gurel/AP)

#MAIS LIDAS DA SEMANA