Fique conectado

Mundo

Médico ‘opera’ ursinho para agradar paciente de oito anos e imagem viraliza

Publicado em

325

Médico ‘opera’ ursinho para agradar paciente de oito anos e imagem viraliza. (Foto: Divulgação)

Antes de levar o pequeno Jackson McKie, de 8 anos, para o centro cirúrgico, o médico Daniel McNeely realizou um desejo do paciente e comoveu internautas: operar o ursinho de pelúcia do menino.

O neurocirurgião canadense foi performático para atender ao pedido da criança. Colocou luvas, vestiu roupas descartáveis e até instalou máscara de oxigênio no brinquedo. Ao fim do procedimento, o ursinho levou alguns pontos.

De acordo com o canal BBC, MCKie é paciente do cirurgião desde quando nasceu. O garoto é portador de hidrocefalia, doença caracterizada pelo acúmulo de líquido nas cavidades internas do cérebro.

Mundo

Rua fica coberta de chocolate após vazamento em fábrica na Alemanha

Uma tonelada de chocolate tomou a rua e solidificou. O vazamento ocorreu quando um tanque de entrega fazia a transferência para a fábrica, que fica na cidade de Westoennen, em Werl.

Publicado em

Do G1
Imagem obtida nas redes soaciais mostra rua na Alemanha que ficou coberta com chocolate após alimento vazar de fábrica. — Foto: Feuerwehr Werl / Reuters

Uma rua em uma cidade no Oeste da Alemanha ficou coberta por chocolate após o alimento vazar de uma fábrica que produz o chocolate DreiMeister.

O jornal alemão Soester Anzeiger informou que o vazamento ocorreu quando um tanque de entrega fazia a transferência para a fábrica, que fica na cidade de Westoennen, em Werl.

De acordo com o jornal, um “pequeno defeito técnico” teria sido a causa do vazamento.

Uma tonelada de chocolate se espalhou pela rua ao lado da indústria. Como o tempo estava frio, logo o alimento se solidificou – e virou uma imensa barra de chocolate.

Vinte e cinco bombeiros foram chamados e tiveram trabalho para retirar todo o chocolate do chão, usando pás, água quente e tochas para tentar derreter o alimento que, por conter gordura, poderia representar risco para o trânsito na rua atingida.

Bombeiros tiveram trabalho para retirar o chocolate que vazou da fábrica. — Foto: Feuerwehr Werl/Reuters

Continue lendo

Mundo

Ex-presidente dos EUA George H.W. Bush morre aos 94 anos

Pai do ex-presidente George W. Bush comandou o país entre 1989 e 1993. Intervenção dos EUA no Iraque durante guerra do Golfo marcou gestão.

Publicado em

Do G1
George H.W. Bush em 2017 — Foto: REUTERS/Adrees Latif/File Photo

O ex-presidente dos Estados Unidos George H. W. Bush morreu aos 94 anos nesta sexta-feira (30). Chamado popularmente de “Bush pai” após a eleição do filho George W. Bush como presidente, o republicano foi o 41º presidente a ocupar a Casa Branca, entre 1989 e 1993.

O anúncio da morte foi feito por George W. Bush em um comunicado. “Jeb, Neil, Marvin, Doro e eu anunciamos com tristeza que, depois de 94 anos extraordinários, nosso querido pai morreu”, afirmou. Não há ainda informações sobre o funeral do ex-presidente.

George H. W. Bush se destacou por ter decidido pela intervenção das forças norte-americanas no Iraque na guerra do Golfo, depois que as forças de Saddam Hussein invadiram o Kuwait.

Antes de ocupar a presidência, ele foi vice-presidente durante os oito anos da administração Reagan, diretor da CIA e congressista.

Infância e juventude

George Herbert Walker Bush nasceu em Milton, Massachusetts, em 12 de junho de 1924. Pouco depois sua família, que era muito rica, se mudou para o subúrbio de Nova York, onde foi criado.

Bush estudou em escolas privadas, foi líder estudantil e, após se formar no ensino médio, alistou-se para servir na 2ª Guerra Mundial.

Aos 18 anos, tornou-se um dos mais jovens pilotos da história do país e serviu em 58 missões. Em uma delas, o avião em que estava foi derrubado por japoneses e teve que ser resgatado das águas do Pacífico por um submarino americano. Bush chegou ao cargo de tenente antes de ser liberado com o fim da guerra.

Casamento e vida pessoal

O ex-presidente dos EUA George H.W. Bush e sua mulher, Barbara, em foto de 12 de dezembro de 2008 — Foto: Reuters/Larry Downing/File Photo

Em 1945, casou-se com Barbara Pierce. O casal teve seis filhos: George, Robin (que morreu ainda criança), John (conhecido como Jeb), Neil, Marvin e Dorothy. Ficaram casados por 73 anos até a morte da ex-primeira-dama, em 17 de abril de 2018.

Cursou economia na Universidade Yale, formando-se com louvor em 1948. No mesmo ano, se mudou para o Texas e começou a trabalhar na indústria do petróleo do estado, criando uma carreira lucrativa: fundou uma empresa exploradora em 1951 e, na década de 1960, já presidente de outra companhia, tornou-se milionário.

Carreira política

Filho do senador Prescott Bush (eleito por Connecticut, em 1952), Bush se filiou ao Partido Republicano, de perfil mais conservador e economicamente liberal.

Em 1967, tornou-se deputado pelo Texas e ficou no cargo durante duas gestões, até 1970. Entre 1971 e 1974, serviu como embaixador na ONU e passou 14 meses como representante na China. Entre 1976 e 1977, foi diretor da CIA, o serviço de inteligência norte-americano.

Em 1980, Bush tentou se candidatar à presidência, mas perdeu e foi escolhido como vice na chapa do republicano Ronald Reagan. Em seu mandato como vice, de 1981 a 1989, Bush era responsável por programas antidrogas e fez visitas diplomáticas a dezenas de países.

Presidência

George H. Bush recebe Margaret Thatcher em Washington em novembro de 1988. — Foto: Paul Hosefros/The New York Times

Em 1988, foi nomeado candidato à presidência pelo Partido Republicano. Em uma campanha pesada, com ataques pessoais dos dois lados, Bush derrotou o democrata Michael Dukakis. O republicano teve 54% dos votos populares e 426 dos 537 dos votos do colégio eleitoral.

Presidente dos EUA durante o fim da Guerra Fria, seu mandato foimarcado por profundas mudanças na geopolítica, como o desmantelamento da União Soviética.

A política externa teve papel central em seu mandato. Em dezembro de 1989, Bush autorizou o envio de tropas ao Panamá para depor o general Manuel Noriega.

Entre 1990 e 1991, o país enviou tropas com apoio da ONU para remover soldados de Saddam Hussein que invadiram o Kuwait, durante a chamada primeira guerra do Golfo. Quando os soldados foram retirados, ele optou pelo fim da operação militar e não perseguiu Hussein.

Em sua política doméstica, Bush ostentava a promessa de não aumentar impostos, mas chegou a aprovar esta medida em uma tentativa de reduzir o déficit do país.

Bush foi alvo de muita atenção da mídia quando, em 1992, vomitou e em seguida desmaiou durante um jantar diplomático no Japão, com a presença de mais de 100 diplomatas. A cena foi filmada e repercutiu internacionalmente.

O republicano tentou a reeleição e foi derrotado pelo democrata Bill Clinton na eleição de 1992.

Aposentadoria

Após deixar a presidência, ele se aposentou da vida política, mas participou de campanhas para arrecadar dinheiro para vítimas de calamidade pública, como o Furacão Katrina em 2005, e o Furacão Harvey, em 2017. Neste último caso, participou da iniciativa One America Appeal, ao lado de outro quatro ex-presidentes dos EUA: Jimmy Carter, Bill Clinton, seu filho George W. Bush e Barack Obama.

Em 2011, recebeu de Barack Obama a Medalha da Liberdade, maior honraria que pode ser concedida a um civil no país.

Saúde

George H.W. Bush sofria de Parkinson, doença que há muitos anos lhe impedia de caminhar. Mesmo em cadeira de rodas, o ex-presidente continuou fazendo diversas aparições públicas, mas sua saúde foi se tornando cada vez mais frágil.

Em novembro de 2012, ele foi internado e passou quase dois meses hospitalizado por causa de uma bronquite, chegando a passar o Natal no hospital. Em dezembro de 2014, voltou a ter problemas respiratórios e retornou ao Houston Methodist Hospital.

Em julho de 2015, foi tratado em um hospital do Maine após quebrar um osso no pescoço como consequência de uma queda e, em 2017, teve duas internações por pneumonia, uma em janeiro e outra em abril.

Em 2018, foi internado no dia 22 de abril, com um quadro de infecção, um dia após o funeral de sua esposa, Barbara.

O ex-presidente George H.W. Bush, ao lado da mulher, Barbara, durante sua internação, em foto de 23 de janeiro — Foto: Reprodução/Twitter/Jim McGrath

Continue lendo

Mundo

Arqueólogos encontram tumbas com múmias de gato no Egito

Descoberta foi feita em Sacará, a 30km do Cairo. Também foram achadas estátuas de outros animais e múmias de escaravelhos dentro das tumbas, que são do Egito Antigo.

Publicado em

Do G1
Arqueologistas recuperam uma estátua dentro da tumba encontrada perto de Sacará — Foto: Nariman El-Mofty/AP

Arqueólogos egípcios encontraram sete tumbas da Era dos Faraós com dúzias de múmias de gatos em Sacará — sítio arqueológico a cerca de 30km da capital do Egito, Cairo. A descoberta também inclui múmias de escaravelhos — as primeiras a serem encontradas no local, afirmou neste sábado (10) o Secretário-Geral do Conselho Supremo de Antiguidades do Egito, Mostafa Waziri, à agência de notícias americana Associated Press (AP).

O Egito Antigo — época em que os faraós reinaram — reverenciava os felinos e fazia adoração à deusa Bastet, que tinha a cabeça de gato. Além das múmias, também foram encontradas estátuas de madeira retratando outros animais — como um falcão, um leão e uma vaca. Outras 100 estátuas de gato em madeira dourada e uma estátua de bronze, dedicada a dedicada a Bastet, estão entre as descobertas, afirma a Agência France Presse [(AFP).

Segundo a AFP, a descoberta ocorreu “em torno de uma área rochosa em torno do complexo funerário de Userkaf na necrópole (real) de Saqqara”, que era a capital do Reino Antigo, disse o ministro de Antiguidades, Khaled El Enany. Três dessas tumbas, afirma o ministro “datam do tempo do Novo Império e foram usadas como uma necrópole para gatos”.

As outras quatro tumbas remontam ao tempo do Antigo Império (4.300 anos aC), “das quais a mais importante é a de Jufu-Imhat, guardião dos edifícios pertencentes ao palácio real, datando do final da Quinta Dinastia e do início do VI “, segundo o ministro.

Saqqara é uma vasta necrópole da região da antiga Memphis, onde incontáveis tumbas e os primeiros faraós foram encontrados.

O Egito vem aumentando a publicidade em torno de descobertas históricas, destaca a AP, na esperança de recuperar o setor de turismo no país — devastado pela turbulência que se seguiu às revoltas de 2011 que levaram à queda de Hosni Mubarak.

Equipes retiram gatos mumificados encontrados em tumbas no Egito — Foto: REUTERS/Mohamed Abd El Ghany

Arqueologistas recuperam uma estátua dentro da tumba encontrada perto de Sacará — Foto: Nariman El-Mofty/AP

Arqueologista recupera uma estátua dentro da tumba encontrada perto de Sacará — Foto: Nariman El-Mofty/AP

Estátua de gato feita de bronze em exposição na necrópole. — Foto: Nariman El-Mofty/AP

Artefatos em exposição na necrópole. — Foto: Nariman El-Mofty/AP

Arqueologista recupera uma estátua dentro da tumba encontrada perto de Sacará — Foto: Nariman El-Mofty/AP

Gatos mumificados dentro de uma tumba na necrópole perto das pirâmides egípcias, em Sacará. Arqueologistas locais descobriram sete tumbas da era farônica contendo dúzias de múmias de gato e estátuas de animais feitas de madeira. — Foto: Nariman El-Mofty/AP

Continue lendo
Solutudo 300
Banner Star Som
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas