Fique conectado

Mundo

Trump alega ‘crise humanitária’ ao defender muro com o México

Em pronunciamento na TV, presidente dos EUA fez apelo para aprovação de verba para barreira na fronteira. Queda de braço com democratas trava o Orçamento e paralisa o governo.

Publicado em

115

Trump durante pronunciamento na TV nesta quarta-feira (9) — Foto: REUTERS/Carlos Barria

O presidente dos EUA, Donald Trump, defendeu a construção do muro com o México em pronunciamento na noite de terça-feira (madrugada de quarta, no Brasil). Ele disse que há uma crise humanitária e de segurança na fronteira e voltou a culpar os democratas pela paralisia orçamentária.

“Meus compatriotas americanos, esta noite estou falando com vocês porque há uma crescente crise humanitária e de segurança em nossa fronteira sul”, declarou em horário nobre e em rede nacional de televisão.

Trump também atacou a oposição: “quanto sangue americano terá que ser derramado até que o Congresso aprove?”.

O discurso de Trump é uma tentativa de convencer os americanos de que o muro na fronteira com o México, que custará mais de US$ 5 bilhões, é fundamental para a segurança do país.

Por causa desse projeto, Trump trava uma queda de braço com os democratas no Congresso, que resultou na suspensão do financiamento de setores do governo. A paralisação parcial do governo e o congelamento de salários, chamado de ‘shutdown’, entrou no 19º dia e afeta 800 mil funcionários federais.

Porém, Trump não declarou emergência nacional, o que lhe permitiria usar verbas destinadas a obras militares para construir o muro e driblar o impasse com o Congresso.

O presidente americano convidou as lideranças do Congresso para uma reunião nesta quarta-feira, na Casa Branca.

Ultimato pelo muro

Do Salão Oval da Casa Branca, o presidente dos EUA apresentou números sobre a entrada de imigrantes ilegais e a violência na fronteira.

“Uma em cada três mulheres é sexualmente atacada na perigosa caminhada pelo México. As mulheres e as crianças são, de longe, as maiores vítimas do nosso sistema fragmentado. Esta é a trágica realidade da imigração ilegal na nossa fronteira sul.”

Trump disse que os americanos também são vítimas da entrada ilegal de imigrantes.

“Todos os americanos são feridos pela imigração ilegal descontrolada.”

Segundo o presidente, “300 cidadãos americanos são mortos por semana por heroína”, e que 90% da droga vêm pela fronteira sul do país.

As estatísticas e os números apresentados durante o discurso são questionados pela oposição e pela imprensa. Segundo o “New York Times”, que transmitiu o pronunciamento ao vivo em seu site e confrontou as frases de Trump com serviço de checagem de fatos, alguns dados são enganosos.

De acordo com o jornal, apesar do tráfico de heroína pela fronteira sul dos EUA, outras drogas são enviadas diretamente da China por entradas legais.

Trump disse ainda que os EUA não conseguem mais acomodar imigrantes que entram ilegalmente no país. “Estamos sem espaço para segurá-los e não temos como devolvê-los de volta ao país deles”, disse.

Oposição democrata

Chuck Shummer e Nancy Pelosi, líderes democratas — Foto: REUTERS/Jonathan Ernst

Durante o pronunciamento, Trump não declarou emergência nacional, o que lhe permitiria usar verbas destinadas a obras militares para construir o muro e driblar o impasse com o Congresso.

Imediatamente após o discurso de Trump, o líder da minoria democrata no Senado, Chuck Schumer, e a presidente da Câmara Baixa, Nancy Pelosi, reagiram às declarações do presidente e exigiram que o governo fosse reaberto.

Também em rede nacional, os líderes democratas afirmaram que Trump não poderia continuar tratando os americanos como reféns.

“O presidente Trump deve parar de manter o povo americano como refém, deve parar de fabricar uma crise e deve reabrir o governo”, afirmou Pelosi.

Chuck Schumer afirmou também que é favorável a mais segurança na fronteira dos EUA com o México, mas que o muro é desnecessário. “Os democratas e o presidente querem uma segurança mais forte nas fronteiras. No entanto, discordamos fortemente do presidente sobre a maneira mais eficaz de fazê-lo”, disse o senador.

Tema central

Um homem hondurenho caminha pelo topo do muro na fronteira que separa o México e os Estados Unidos, em Tijuana, no México — Foto: Gregory Bull/AP

Trump fez da construção do muro o tema central de suas políticas de tom nacionalista. Desde a campanha eleitoral, afirma que a fronteira com o México é uma porta aberta para os criminosos, inclusive narcotraficantes, estupradores, terroristas, pessoas com doenças perigosas e falsos solicitantes de asilo.

Os democratas acusam Trump de inflar a “crise” na fronteira e consideram que o muro é uma manobra política que não vale o dinheiro que exigiria dos contribuintes.

Além do pronunciamento desta quarta, Trump visitará a fronteira dos Estados Unidos com o México na quinta-feira (10), em mais uma tentativa de pressionar o Congresso sobre as negociações sobre o muro entre os dois países que levaram a uma paralisação parcial do governo.

‘Shutdown’

Museu Nacional do Ar e do Espaço, do Instituto Smithsonian, fechado na sexta (4). — Foto: AP Photo/Alex Brandon

Cerca de 800 mil funcionários federais foram afetados pela paralisação parcial de agências da administração do governo, o chamado ‘shutdown’, que ocorre desde 22 de dezembro. Essas agências estão sem recursos e os funcionários impactados sofrem com o atraso de seu pagamento.

Algumas agências de pesquisa americanas — como a Fundação Nacional de Ciência (NSF, em inglês) e até a própria Nasa, a agência espacial dos EUA, vêm sofrendo com a falta de fundos.

Trump disse na sexta-feira que está “preparado” para que a paralisação orçamentária se estenda por mais de um ano, após uma reunião com os líderes democratas do Congresso para tentar alcançar um acordo.

Mundo

Sul-africana é coroada Miss Universo 2019 e fala contra o racismo

Zozibini Tunzi venceu 88 candidatas em Atlanta, nos EUA; brasileira Julia Horta esteve entre as 20 mais bonitas, mas não foi à rodada final.

Publicado em

Do G1
A Miss Universo 2019 Zozibini Tunzi, da África do Sul — Foto: Valerie Macon / AFP Photo
A Miss Universo 2019 Zozibini Tunzi, da África do Sul — Foto: Valerie Macon / AFP Photo

A sul-africana Zozibini Tunzi venceu neste domingo o Miss Universo 2019, em evento realizado em Atlanta, nos Estados Unidos, com 88 candidatas. Ao receber a coroa, fez declarações contra o preconceito, o racismo e o machismo.

“É uma honra absoluta representar, como negra e africana, a inclusão e a diversidade”.

O segundo lugar ficou com Madison Anderson, de Porto Rico, e o terceiro foi para a mexicana Sofía Aragón.

Miss Universo 2019 coroa sul-africana Zozibini Tunzi — Foto: GETTY IMAGES / AFP Photo

Miss Universo 2019 coroa sul-africana Zozibini Tunzi — Foto: GETTY IMAGES / AFP Photo

Tunzi é a terceira sul-africana a levar o título, após as vitórias de Demi-Leigh Nel-Peters (2017) e Margaret Gardiner (1978). Ela também é a primeira negra a vencer o concurso desde 2011, quando Leila Lopes, de Angola, ganhou no Brasil.

Tunzi falou sobre as dificuldades de as mulheres negras de se verem bonitas. “A sociedade foi programada durante muito tempo para não ver a beleza de maneira negra. Mas agora estamos entrando em um tempo em que finalmente as mulheres como eu podem saber que somos bonitas”.

Brasileira
A brasileira Julia Horta ficou classificada entre as 20 mais bonitas, mas não avançou até a rodada final.

Miss Brasil Julia Horta esteve entre as 20 mais bonitas no Miss Universo 2019 — Foto: GETTY IMAGES / AFP Photo

Miss Brasil Julia Horta esteve entre as 20 mais bonitas no Miss Universo 2019 — Foto: GETTY IMAGES / AFP Photo

Continue lendo

Mundo

Golpistas tentam lucrar às custas de filhote que nasceu com rabo na testa

Batizado de Narwhal, o cão foi resgatado por um centro de proteção animal que cuida de animais com necessidades especiais.

Publicado em

Da Vogue
Narwhal: Cachorrinho que possui uma pequena cauda na testa (Foto: Reprodução)
Narwhal: Cachorrinho que possui uma pequena cauda na testa (Foto: Reprodução)

A história do pequeno cão que viralizou nas redes sociais essa semana acaba de ganhar novos capitulos. Narwhal, nome que recebeu no centro de proteção animal pelo qual foi resgatado, também tem despertado o interesse de golpistas online.

De acordo com o TMZ, criminosos começaram a surgir querendo roubar dinheiro das pessoas que se sensibilizaram com o caso, e que estão dispostas a ajudar com as despesas médicas do cachorro.

Rochelle Steffen, fundadora do abrigo, conta que desde que Narwhal viralizou, o centro de proteção conseguiu monitorar centenas de contas bancárias falsas surgindo ao redor das redes sociais. Tais informações aparecem sincronizadas à campanhas no Facebook e Instagram pedindo por doações.

Para facilitar e evitar que pessoas sejam enganadas, a ‘Mac’s Mission Animal Rescue’ localizada em Jackson, Missouri – local onde Narwhal aguarda por alguém que queira adotá-lo – criou um link oficial para contribuições em sua própria página do Facebook. A campanha já conseguiu arrecadar, aproximadamente, dois mil doláres.

O filhote de cachorro que nasceu com um rabo “extra” na testa, com apenas 10 semanas de vida foi abandonado nas ruas do estado de Missouri, nos Estados Unidos. Segundo o veterinário que atendeu o cão, não é necessário remover o rabo extra, já que ele não causa qualquer dor ao animal.

Continue lendo

Mundo

Filhote de cão com rabo ‘extra’ na testa é resgatado nos EUA

O cãozinho ‘unicórnio’ foi acolhido por um centro para animais com necessidades especiais.

Publicado em

Do G1
Narwhal foi ao veterinário para checar se estava tudo bem com sua saúde — Foto: Reprodução/Facebook
Narwhal foi ao veterinário para checar se estava tudo bem com sua saúde — Foto: Reprodução/Facebook

Um filhotinho de 10 semanas com um rabo no meio da testa foi resgatado por um centro de proteção de animais no Missouri, nos Estados Unidos.

O cachorrinho foi chamado de Narwhal, uma referência ao narval, uma baleia que aparenta ter um longo chifre saindo da cabeça (na verdade, é um de seus dentes).

Um veterinário informou aos funcionários do centro que não havia “necessidade médica” de remover o rabo extra, porque ele não causa nenhuma dor ao filhotinho.

A popularidade das fotos do pequeno Narwhal no Facebook ajudou a ampliar o alcance do trabalho feito pelo centro.

Sem dor

Rochelle Steffen, que administra o Mac’s Mission, nomeou o centro de resgate em homenagem a um pit-bull terrier que resgatou há sete anos e meio.

Steffen disse à BBC News que Narwhal “não sente dor e brinca o tempo todo”.

No Facebook, Steffen contou que o pequeno Narwhal foi ao veterinário na terça-feira (12/11).

Os raios-x mostraram que seu segundo rabo, que tem um terço do tamanho do seu rabo de verdade, não está conectado a nenhum órgão interno e não tem nenhum osso — e portanto não pode ser ‘abanado’.

Raio-x de Narwhal mostra que o rabo extra não tem ossos — Foto: Reprodução/Facebook

Raio-x de Narwhal mostra que o rabo extra não tem ossos — Foto: Reprodução/Facebook

Narwhal ainda não está disponível para adoção porque os cuidadores do centro querem que ele cresça um pouco mais “para se certificar de que o rabo não será um problema”.

Steffen diz que Narwhal é um de centenas de cachorros abandonados na zona rural do Missouri.

O centro Mac’s Mission recebe os que têm necessidades especiais — deformidades, traumas, fissuras labiais, deficiências — e que normalmente seriam sacrificados.

“Nós damos uma chance a eles”, diz Steffen.

Fotos e vídeos de Narwhal na página do Facebook do centro tiveram dezenas de milhares de curtidas em menos de 24 horas.

Steffen diz que a divulgação do centro é toda feita de forma amadora, pelas redes sociais, e que a atenção que o local vem recebendo é algo “épico”.

“É épico que tantas pessoas descubram esse resgate incrível.”

Narwhal foi ao veterinário para checar se estava tudo bem com sua saúde — Foto: Reprodução/Facebook

Narwhal foi ao veterinário para checar se estava tudo bem com sua saúde — Foto: Reprodução/Facebook

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas