Polícia Militar adverte sobre o uso de linha com “Cerol”

Uma pessoa foi autuada em flagrante por vender linhas de “pipa” com cerol na Vila Maria Isabel em Assis.

A fabricação e exposição a venda deste material pode também, gerar responsabilização pelo crime previsto no artigo 278 do Código Penal

Meses de férias e com ventos fortes: eis o panorama propício para vermos disseminadas pelos céus de todo o país as coloridas pipas.

Junto desta recorrente prática existe a preocupação com o “Cerol”; uma mistura de cola com vidro moído que é aplicado em linhas das pipas para servir de abrasivo na brincadeira de cortar a linha de outras pessoas.

Além de perigosa, devido aos inúmeros e potencias riscos de lesão corporal à integridade física de quem o manuseia e à de terceiros, a utilização desta substância pode ser considerada crime de acordo com o contexto em que é utilizada.

O cerol é capaz de provocar cortes profundos que poderão inclusive levar a óbito, desta forma o portador de uma linha de pipa com cerol pode ser responsabilizado pelos crimes de lesão corporal ou homicídio, a depender do caso concreto.

A fabricação e exposição a venda deste material pode também, gerar responsabilização pelo crime previsto no artigo 278 do Código Penal – Outras substâncias nocivas à saúde pública.

No último dia 17 de julho, a Polícia Militar recebeu uma denúncia através do 190 e utilizando esta sistematização de uma ocorrência uma pessoa foi autuada em flagrante, pois estava vendendo linhas de pipa com cerol na rua Belo Horizonte, Vila Maria Izabel no Município de Assis.

Ademais, por causa da presença do ferro, as linhas impregnadas com esta variante de cerol conduzem a eletricidade facilmente. Basta um único contato da linha com os fios de alta tensão para que a pessoa seja eletrocutada.

Para denunciar basta ligar 190.

VEJA TAMBÉM

#MAIS LIDAS DA SEMANA