Idosas são vítimas do golpe do falso bilhete premiado em Assis

Vítimas foram abordadas por homens no centro da cidade.
Açõs foram registradas e serão investigadas pela Polícia Civil.

Açõs foram registradas e serão investigadas pela Polícia Civil.
Açõs foram registradas e serão investigadas pela Polícia Civil.

Dois casos de estelionato foram registrados com idosas de Assis (SP). A primeira vítima, de 68 anos, foi abordada por um homem na Rua Marechal Deodoro, no centro da cidade. Ele afirmou morar em Palmital e ser analfabeto, mas que precisava receber um prêmio. A mulher ofereceu ajuda, momento quando outros dois homens também ofereceram.

Um deles foi até uma casa lotérica e confirmou os números sorteados. O “ganhador” informou que daria R$ 50 mil para cada um pela ajuda, mas que precisaria de uma garantia em dinheiro.

Os homens e a mulher foram até a casa dela, onde a vítima pegou R$ 3 mil e sacou mais R$ 2,1 mil no caixa eletrônico de uma agência bancária. Em seguida, ela entregou o dinheiro.

O outro homem que também ofereceu ajuda passou o endereço de uma loja e pediu para que a mulher pegasse a outra parte em dinheiro. Ela não encontrou o estabelecimento e, quando retornou à agência, não encontrou o homem. De acordo com informações do boletim de ocorrência, a dupla ficou na companhia da mulher por aproximadamente uma hora.

Outro caso
A segunda vítima, de 72 anos, foi abordada na Rua Capitão Assis, também no centro de Assis. De acordo com o boletim de ocorrência, um jovem moreno de aproximadamente 18 anos caminhava pela calçada e perguntou a ela o endereço de uma casa lotérica.

A idosa informou o endereço e perguntou sobre o que se tratava. O jovem disse que tinha um bilhete premiado, mas que não possuía documento e era morador de Palmital. Uma mulher de aproximadamente 45 anos também foi abordada pelo rapaz.

Ele explicou a mesma história e a mulher ligou para uma casa lotérica, que confirmou os números sorteados. A vítima e a mulher se propuseram a ajudar o jovem. Ele afirmou dar uma quantia em dinheiro pela ajuda, mas que precisaria de uma quantia em dinheiro como garantia.

A idosa foi até uma agência bancária e sacou R$ 10 mil. Em seguida, eles foram à casa da vítima, onde ela entregou joias e mais R$ 3 mil. O jovem afirmou que precisaria de um comprovante de residência da idosa e, quando ela saiu do imóvel a dupla havia ido embora.

Os casos foram registrados na Central de Polícia Judiciária (CPJ) e serão investigados pela Polícia Civil.

#MAIS LIDAS DA SEMANA