Operação da PF combate falsidade ideológica e sonegação fiscal em SP

Operação é realizada em Marília, São Paulo e Ribeirão Preto (SP).
Duas emissoras de rádio foram lacradas na cidade de Marília (SP).

Polícia Federal cumpre mandados de busca e apreensão (Foto: Fábio Conti/ TV Sol/ Divulgação )
Polícia Federal cumpre mandados de busca e
apreensão (Foto: Fábio Conti/ TV Sol/ Divulgação )

A Polícia Federal cumpre 26 mandados, sendo 5 de prisão temporária e 21 de busca e apreensão em Marília, São Paulo e Ribeirão Preto na Operação Miragem, que combate crimes como falsidade ideológica, uso de documentos falsos, sonegação fiscal e evasão de divisas.

Os investigados são suspeitos de participar de uma associação criminosa. Em Marília, a PF lacrou duas emissoras de rádio, a Diário FM e a Dirceu FM, que pertencem ao grupo de comunicação Central Marília de Notícias (CMN); e cumpre três mandados de prisão e 15 de busca e apreensão. O G1 e a produção da TV TEM entraram em contato com o grupo, mas ainda ainda não obtiveram resposta. Foram cumpridos também um mandado de prisão temporária e cinco de busca e apreensão em São Paulo, além de um de prisão e um de busca e apreensão em Ribeirão Preto.

Segundo informações da delegacia da Polícia Federal em Marília, a operação foi desencadeada depois que irregularidades como falsidade ideológica, uso de documentos falsos, atividade clandestina de radiodifusão, sonegação fiscal e lavagem de dinheiro foram descobertas.

De acordo com a polícia, as investigações apontam indícios de crimes contra o Sistema Financeiro Nacional, a partir da utilização de uma empresa que é investigada na Operação Lava Jato para remessa ilícita de dinheiro ao exterior. A Polícia Federal não deu mais detalhes desse caso.

Ainda de acordo com a polícia, a investigação passou a ser realizada com maior força ao final do ano de 2015, quando pessoas envolvidas com a política apresentaram documentação ideologicamente falsificada ao Ministério das Comunicações de São Paulo.

Em junho, foram averiguadas transações financeiras que comprovaram o envolvimento de um grupo de comunicação que envolve duas emissoras de rádio e um jornal de abrangência regional, em Marília.

Os envolvidos responderão por crimes de associação criminosa, falsidade ideológica, uso de documento falso, desenvolvimento clandestino de atividade de telecomunicação, sonegação fiscal e lavagem de dinheiro. Além destes, também será investigada a presença da prática de evasão de divisas em eventuais futuras fases da Operação Miragem.

Operação Miragem é realizada em empresa de Marília (Foto: Fábio Conti/TV SOL/Divulgação)
Operação Miragem é realizada em empresa de
Marília (Foto: Fábio Conti/TV SOL/Divulgação)

#MAIS LIDAS DA SEMANA