Juiz de Paraguaçu absolve jovem de Assis acusado de tráfico

Advogado do jovem diz que pedirá indenização de 500 mil reais ao Estado pela ação policial.

O advogado Ernesto Nóbile atuou no processo em que um jovem de Assis que estava residindo com a avó na cidade de Lutécia foi preso por policiais civis e militares, sob a acusação de estar praticando tráfico de drogas. C.A.L. que estava pintando a casa da avó, em cujo terreno existem 3 casas, o mesmo morava com a avó na segunda casa. Drogas foram encontradas no fundo do quintal, dentro de uma cama abandonada e foi acusado de ser o proprietário da droga.

O advogado Ernesto Nóbile fotografou todo o local e apresentou defesa do jovem, bem como quatro testemunhas foram ouvidas. Por insuficiência de provas e pelo princípio de “in dubio pro reo”, o Juiz de Direito da 2ª Vara de Paraguaçu Paulista, Dr. Pedro Luiz Fernandes Nery, absolveu o jovem C.A.L., julgando a ação totalmente improcedente.

A família ficou revoltada com a imprensa e sites de notícias que na época deu grande ênfase à notícia da prisão de C.A.L., não permitindo que a versão da família fosse publicada. E agora com a absolvição pede por questão de justiça que a notícia da absolvição de C.A.L. seja divulgada, para reparar danos causados à sua imagem, pois foi obrigado a retornar para Assis, deixando emprego em Lutécia onde trabalhava como pintor.

Em virtude dos fatos, o advogado Ernesto Nóbile está ingressando com ação de danos morais contra o Estado, pleiteando 500 mil reais de indenização.

#MAIS LIDAS DA SEMANA