PF cumpre mandados em Marília durante 2ª fase da operação Miragem

Operação combate atividade de telecomunicação clandestina.
Nesta etapa, polícia investiga coação no curso do processo e fraude.

Operação Miragem é realizada em empresa de Marília (Foto: Fábio Conti/TV SOL/Divulgação)
Operação Miragem é realizada em empresa de Marília (Foto: Fábio Conti/TV SOL/Divulgação)

A Polícia Federal em Marília (SP) deflagrou nesta terça-feira (24) a 2ª fase da “Operação Miragem”, que combate crimes como falsidade ideológica, uso de documentos falsos, sonegação fiscal, atividade de telecomunicação clandestina e evasão de divisas, denominada “O 5º mandamento”.

Eles cumpriram dois mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão preventiva. Eles também suspenderam as atividades do jornal impresso que funciona no mesmo local onde duas rádios que foram fechadas há cinco meses funcionavam. Os funcionários do jornal foram dispensados.

Em nota, a direção do jornal Diário informou que não há irregularidade na empresa e que considera a ação arbitrária, violenta e desnecessária. A direção também afirmou que está tomando as providências cabíveis para reestabelecer suas atividades.

Nesta fase os envolvidos são investigados pelos crimes de coação no curso do processo, fraude processual e embaraço à investigação de organização.

Na primeira fase, duas rádios que funcionavam no mesmo prédio no centro de Marília foram lacradas por policiais federais e por funcionários da Anatel, a Agência Nacional de Telecomunicações.

A polícia descobriu que, além das rádios não terem a concessão para funcionar, pessoas usavam nomes de sócios que não estavam mais no negócio. De acordo com a polícia, desde 2013 a rádio Dirceu AM e a Diário FM transmitiam o sinal clandestinamente, sem autorização do ministério das comunicações.

#MAIS LIDAS DA SEMANA