‘Sonho interrompido’, diz amigo de piloto que morreu após queda de avião em Itápolis

Amigo de quarto do rapaz que fazia voo de treinamento diz que ele estava ‘realizado e supersatisfeito’. Investigação do acidente que matou neto do prefeito de cidade do Tocantins deve durar 30 dias.

O corpo do jovem de 23 anos que morreu após um acidente aéreo em um canavial de Itápolis(SP), nesta terça-feira (14), foi levado na tarde desta quarta-feira (15) para Lagoa da Confusão, no estado de Tocantins, cidade onde ele morava.

Um dia depois da tragédia, amigos de Nélson Alves Moreira Neto, que é neto do prefeito de Lagoa da Confusão (TO), ainda lamentavam a queda do avião no qual o piloto fazia um treinamento como parte do curso de especialização em pulverização agrícola.

Para o piloto João Carlos Delmaschio Cotta, amigo de curso e colega de quarto de Nelson, o acidente representou o fim de um sonho e de um longo período de investimentos, financeiro e pessoal.

“Ele estava a todo momento falando com familiares sobre o quanto estava feliz e por estar voltando para casa. Ele falava que estava realizado, pois já tinha solado o avião que ele sempre sonhou pilotar, que era o Pawnee. O Nelson estava supersatisfeito”, relata João Carlos Cotta.

Piloto João Carlos Cotta, amigo de quarto de Nelson Neto: “Ele estava muito feliz e só falava em voltar para casa” (Foto: Reprodução / TV TEM)

Segundo os colegas, Nelson Neto já tinha experiência como piloto da aviação comercial. Para fazer o curso de aviação agrícola eram necessárias pelo menos 370 horas de vôo.

O rapaz se preparava para trabalhar com o pai, dono de uma empresa de aviação agrícola na região Norte do país. O avô é prefeito de Lagoa da Confusão (TO), cidade onde a família mora.

Nesta quarta, um tio do piloto fez o reconhecimento do corpo, que foi levado à tarde para a cidade da família. O velório será realizado em Lagoa da Confusão (TO) e o enterro será às 10h desta quinta-feira (16).

Investigação

Técnicos do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aéreos) estiveram nesta quarta-feira no local da queda para começar as investigações e descobrir o que causou o acidente.

Os investigadores recolheram documentos e tiraram fotos no local da querda. As investigações podem durar 30 dias ou mais, dependendo do que os técnicos encontrarem. O motor do avião vai ficar no Aeroclube de Itápolis a pedido do Cenipa, enquanto durarem as investigações.

Técnico do Cenipa investiga acidente em Itápolis que deixou um morto (Foto: Reprodução / TV TEM)

#MAIS LIDAS DA SEMANA