Proprietário de madeireira de Assis responderá por crime ambiental

Polícia realizou fiscalização no dia 08 de março. Na empresa foi constatado a existência de 4,9892 metros cúbicos de madeira nativa em excesso.

A 4ª Companhia de Policia Militar Ambiental de Marília realizou na última quinta-feira (8), uma operação de fiscalização pátios madeireiros, visando coibir a prática de crimes ambientais. A operação mobilizou todo o contingente operacional da Polícia Militar Ambiental.

No município de Assis (SP), em uma das empresas fiscalizadas, foi constatado a existência de 4,9892 metros cúbicos de madeira nativa em excesso, sem constar no saldo virtual da empresa, e 33,34 metros cúbicos de madeira nativa faltantes, o que denota que a saída do produto da empresa não foi acobertada pelo respectivo documento de origem florestal (DOF).

Diante dos fatos foram elaborados 02 Autos de Infração Ambiental, um “por ter em depósito 4,9892 metros cúbicos de madeira, sem licença válida para o armazenamento, outorgada pela autoridade competente”, no valor de R$ 1.496,79; e o outro “por vender 33,34 metros cúbico de madeira, sem licença válida para todo o tempo da viagem, outorgada pela autoridade competente, no valor de R$ 10.002,00.

O empresário responderá por crime ambiental, cuja pena é de detenção de seis meses a um ano, e multa

A Polícia Militar Ambiental orienta que as denúncias sejam feitas através dos telefones 0800-0555-190, 181 (Disque Denúncia), EMERGÊNCIA 190, ou ainda diretamente às unidades da Polícia Militar Ambiental pelos telefones: (14) 3592-1200 – Marília; (14) 3496.5884 – Tupã; (18) 3302-3450 – Assis; (14) 3322.3077 – Ourinhos.

Empresário é multado e pode ser preso por crime ambiental (Foto: Divulgação/Polícia Militar Ambiental)

#MAIS LIDAS DA SEMANA