Quadrilha que planejava explodir caixa eletrônico em Borá é presa em MG e SP

A prisão da quadrilha fez com que não ocorresse a ação em Borá.

A DIG de Tupã recebeu na última sexta-feira, dia 09/03, a informação de que integrantes de uma organização criminosa cometeriam dois crimes de explosão a bancos, sendo um no estado de Minas Gerais e o outro na cidade de Borá, área desta Seccional de Tupã.

Segundo apurado, o líder do grupo, conhecido como Bomba, detento da Penitenciaria de Tremembé, seria beneficiado com o indulto de Páscoa e lideraria as ações, partindo de Mogi Mirim. As ações passaram a ser monitoradas pela Inteligência da DIG desde a noite de sexta-feira.

Foi realizada uma força-tarefa policial em razão da extensão territorial abrangida nesta ação. As ações do bando foram articuladas no sábado, dia 10/03, e colocadas em prática no domingo, quando parte da organização saiu da cidade de Mogi Mirim, fazendo uso de um VW Pointer e um Fiat Uno. O grupo se encontrou em uma chácara entre as cidades de Cambuí e Senador Amaral, partindo para a ação em Senador Amaral, onde explodiriam um banco.

A equipe de policiais passou para a ação e ali conseguiu interceptar dois veículos e prender sete integrantes do bando. Em poder dos indiciados, foram localizadas bananas de dinamite.

Em poder de três indiciados, foram apreendidas duas pistolas, binóculo e farto material para manuseio no banco. O veículo Fiat Uno, de placas desconhecidas, não foi mais localizado.

A ação na cidade de Borá, prevista para ocorrer nesta quarta-feira, restou frustrada pela ação da polícia.

#MAIS LIDAS DA SEMANA