Fique conectado

Polícia

Polícia Civil ouvirá motoristas multados no período de abril a junho de 2017 em Assis

Inquérito policial deve continuar por pelo menos mais 30 dias. Chefe do Departamento de Trânsito da cidade continua afastado.

Publicado em

1.331

Delegado Marcel Ito Okuma (Foto: Divulgação)

No dia 25 de junho deste ano, o Ministério Público (MP) de Assis (SP) instaurou um inquérito policial para apurar possíveis irregularidades praticadas pelo Departamento Municipal de Trânsito de Assis (DMTA) e por um despachante da cidade.

Um pouco mais de 1 mês após o início das investigações, por solicitação do delegado Marcel Ito Okuma, da Central de Polícia Judiciária, o inquérito deve ser prorrogado por pelo menos mais 30 dias.

Novo prazo esse que deverá ser utilizado para a polícia ouvir depoimentos de alguns dos motoristas que foram multados pelo DMTA no período de abril a junho de 2017, que ficou conhecido como a “Fábrica de Multas de Assis”.

“Vamos ouvir alguns motoristas nos próximos dias para saber se houve exagero dos agentes de trânsito, e por isso, aqueles que acreditam não ter cometido infração de trânsito e tenham alguma prova podem nos procurar, contudo, deixamos claro que a polícia não vai cancelar nenhuma multa” explica o delegado.

Ainda de acordo com o delegado, aquele que foi multado corretamente por um agente e procurar a polícia alegando que não cometeu a infração poderá ser processado. “Enfatizo ainda que aqueles que comparecerem na delegacia e for comprovado, documentalmente, que cometerem a infração, poderão ser processados judicialmente”, alerta.

Apreensão

No dia 25 de junho, a Polícia cumpriu mandados de apreensão no DMTA e também na casa de suspeitos.

Dentre os objetos apreendidos na ação, que investiga irregularidades na aplicação de multas de trânsito na cidade, estão documentos, computadores e R$ 5 mil em dinheiro.

A operação foi deflagrada após várias reclamações que começaram a chegar no ano passado, de cidadãos que dizem ter recebido multas em excesso e até autuações de infrações que não teriam cometido.

O dinheiro apreendido, segundo a polícia, foi encontrado na gaveta do chefe do departamento. Ainda conforme a polícia, ele teria dito que o valor seria de um empréstimo pessoal.

Chefe do Departamento de Trânsito de Assis (SP) alegou que dinheiro encontrado era um empréstimo pessoal (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

Afastamento

O diretor do departamento de trânsito da prefeitura de Assis (SP) foi afastado e a Câmara de Vereadores abriu uma CPI para avaliar as possíveis responsabilidades nas denúncias de irregularidades na aplicação de multas na cidade.

O caso é investigado pela Polícia Civil e pelo Ministério Público que cumpriram na terça-feira (26) seis mandados de busca e apreensão no departamento. A operação conjunta recolheu computadores, documentos além de R$ 5 mil que estavam na gaveta do diretor do departamento.

A denúncia ao MP foi feita por uma ex-assessora de gabinete que trabalhou por um ano no departamento de trânsito. Ela definiu o setor como uma “fábrica de multas”.

Vereadores

Durante a sessão da Câmara de Assis (SP), realizada na segunda-feira, 2 de julho, a ex-funcionária pública que denunciou a suposta “Fábrica de Multas” prestou depoimento sobre o caso e deu detalhes de como o esquema funcionava.

Ex-funcionária, Alessandra da Silva, foi ouvida durante uma sessão na Câmara de Assis (Foto: Reprodução/TV TEM)

Segundo Alessandra da Silva, os vereadores da cidade faziam reuniões com o ex-diretor do Departamento de Trânsito, Leonardo de Godoy, e pediam para que multas fossem anuladas.

A ex-funcionária denunciou ao Ministério Público e à Polícia Civil que agentes de trânsito recebiam comissão de R$1,73 por multa aplicada, e que isso teria sido a causa do crescimento acentuado do número de infrações aplicadas na cidade.

Ainda no depoimento, Alessandra disse que havia favorecimento pra que fossem atendidos recursos de multas de apenas um despachante.

Em uma operação realizada pela Polícia Civil, juntamente com o Ministério Público no dia 25 de junho, após a denúncia, foram apreendidos documentos, computadores e R$ 5 mil em dinheiro encontrados na gaveta do chefe do departamento de trânsito.

Enquanto as investigações estão em andamento, a Prefeitura de Assis optou por afastar o chefe do Departamento de Trânsito da cidade, e quem assumiu o cargo interinamente foi o secretário municipal de Obras, Clóvis Marcelino da Silva.

Polícia

Jovem que morreu após cair embaixo de caminhão será sepultado em Paraguaçu Paulista

Rhuan Rafael de Castro Figueiredo iria completar os 30 anos no próximo dia 2 de abril.

Publicado em

Do AssisNews
Rhuan Rafael de Castro Figueiredo tinha 29 anos (Foto: Arquivo Pessoal)

O jovem motociclista Rhuan Rafael de Castro Figueiredo, de 29 anos, que morreu na tarde desta segunda-feira (18), após cair embaixo de um caminhão na Rodovia Miguel Jubran (SP-333), será sepultado em Paraguaçu Paulista (SP).

Rhuan, era funcionário de uma rede de supermercados de Assis e iria completar os 30 anos no próximo dia 2 de abril.

Seu corpo está sendo velado no Velório Municipal de Paraguaçu Paulista (SP). O sepultamento está marcado para às 17h no Cemitério Municipal da cidade.

Continue lendo

Polícia

Cocaína é encontrada escondida dentro de beterrabas em ônibus

Três suspeitos foram presos; droga estava dentro de malas em bagageiro de um ônibus abordado pela Polícia Rodoviária em Assis (SP).

Publicado em

Do G1

Mais de 26 quilos de cocaína são encontrados escondidos em beterrabas que estavam em ônibus, em Assis — Foto: Polícia Rodoviária/Divulgação

A Polícia Rodoviária apreendeu 26 quilos de cocaína escondidos dentro de várias beterrabas, que estavam dentro de malas no bagageiro de um ônibus abordado no quilômetro 445 da Rodovia Raposo Tavares (SP-270), em Assis (SP).

Segundo a Polícia Rodoviária, após vistoria do veículo, os policiais encontraram a droga e três pessoas foram presas.

Ainda de acordo com a Polícia Rodoviária, a droga pertencia a um passageiro, de 26 anos. O suspeito pediu ajuda de duas mulheres, uma de 43 e outra de 55 anos, no transporte da droga, informou a polícia.

Os três suspeitos foram levados para a Central de Polícia Judiciária de Assis (SP), onde foi decretada a prisão. Os suspeitos devem passar por audiência de custódia. O trio será transferido para a cadeia pública de Itaí.

Polícia Rodoviária de Assis apreende mais de 26 quilos de cocaína escondidos em beterrabas — Foto: Polícia Rodoviária/Divulgação

Continue lendo

Polícia

Vítima de acidente na SP-333 precisa de doação de sangue em Assis

Alice Silveira foi uma das vítimas do grave acidente na rodovia Rachid Rayes (SP-333), em Echaporã (SP) no último domingo.

Publicado em

Do AssisNews
Alice Silveira de 17 anos precisa de doação de sangue em Assis (Foto: Arquivo Pessoal)

Uma das vítimas do acidente ocorrido na rodovia Rachid Rayes (SP-333), em Echaporã (SP) no último domingo (17), precisa de doação de qualquer tipo de sangue. A jovem Alice Silveira de 17 anos está internada no Hospital Regional de Assis (SP).

Ela é uma dos três feridos no acidente, que também causou a morte de sua mãe Sandra Silveira Barbosa da Silva, de 45 anos e da motorista do outro veículo Rosangela Luiz Balbi dos Santos, de 51 anos.

A doação pode ser realizada no Hemocentro de Assis, na Praça Dr. Symphrônio Alves dos Santos, s/n no Hospital Regional. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone: (18) 3302-6000.

O acidente

Uma grave colisão frontal entre dois veículos deixou duas pessoas mortas e outras três feridas na noite deste domingo (17), na rodovia Rachid Rayes (SP-333), em Echaporã (SP).

As motoristas Sandra Silveira Barbosa da Silva, de 45 anos, e Rosangela Luiz Balbi dos Santos, 51, morreram após o acidente.

Segundo a Polícia Rodoviária Estadual (PRE), a bancária Sandra seguia com um veículo Chevrolet Classic LS, com placas de Marília, ocupado por seu marido, Braz Barbo da Silva, 51, e a filha do casal de 17 anos.

Por motivos que ainda não foram esclarecidos, o veículo se chocou frontalmente contra um Volkswagen Gol, placas de Santa Barbara do Oeste, conduzido por Rosangela Luiz Balbi dos Santos e ocupado pelo filho, Thiago Balbi de Oliveira, 30, por volta das 22h20.

O impacto foi tão forte que Sandra não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local. Rosangela foi transferida em estado grave para o Hospital Regional de Assis, onde também não resistiu e morreu.

As outras três vítimas foram socorridas sem risco de morte até a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Assis. A Perícia da Polícia Técnico Científica de Marília compareceu no local do acidente.

O caso foi registrado como homicídio culposo na direção de veículo automotor na Central de Polícia Judiciária (CPJ) de Marília. A Polícia Civil deve apurar o que ocasionou o grave acidente.

Carro ficou completamente destruído após colisão frontal na SP-333 (Foto: Grupo The Brothers)

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Solutudo 300
Publicidade

FaceNews

Mais lidas