Fique conectado

Brasil

PRF apreende quase 580 quilos de cocaína e crack em ônibus de religiosos

Apreensão ocorreu na madrugada deste sábado (4), na BR-277, no Paraná. Ônibus de turismo é de Presidente Prudente.

Publicado em

272

O veículo saiu de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, com destino a uma convenção religiosa em Florianópolis, em Santa Catarina (Foto: Alan Medeiros/RPC)

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Receita Federal apreendem 522 quilos de cocaína e 57 quilos de crack em um ônibus de religiosos na madrugada deste sábado (4), na BR-277, em Cascavel, no oeste do Paraná.

O ônibus de turismo tinha placas de Presidente Prudente, no interior de São Paulo, e levava, além do motorista de 40 anos, 22 passageiros.

Conforme a polícia, o veículo saiu de Foz do Iguaçu, no oeste paranaense, com destino a uma convenção religiosa em Florianópolis, em Santa Catarina.

Durante a fiscalização, os agentes encontraram um fundo falso no assoalho do ônibus, próximo ao banheiro. Nele, encontraram 485 tabletes de cocaína e 54 tabletes de crack.

O ônibus, a droga, o motorista e os passageiros foram encaminhados para a Polícia Federal (PF) de Cascavel.

Brasil

Novo cadastro deverá facilitar processo de adoção no país

Existem 44,2 mil pretendentes cadastrados e 9 mil crianças e adolescentes disponíveis para adoção no Brasil.

Publicado em

Da EBC
(Foto: Divulgação)

A corregedoria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) apresentou ontem (20) uma nova versão do Cadastro Nacional de Adoção (CNA), que entrará em funcionamento no primeiro semestre de 2019 com o objetivo de facilitar a adoção de 9 mil crianças que aguardam por adoção em instituições de acolhimento de todo o país.

“Nós temos informações confiáveis que vão propiciar celeridade e demanda para jovens e crianças que precisam ser adotados. Nós criamos condições para que possamos tirar mais crianças das filas de adoção”, afirmou o corregedor Nacional de Justiça João Otávio de Noronha.

O novo sistema integra informações do antigo Cadastro Nacional de Crianças Acolhidas do CNJ, no qual 47 mil crianças que vivem em instituições de acolhimento em todos os estados estão cadastradas.

“Quando o cadastro foi criado, dez anos atrás, foi uma grande inovação. Na medida em que ele se tornou nacional já foi naquele momento um grande avanço. Essas modificações foram sendo percebidas e sentidas na medida em que foi sendo utilizado. E agora ele veio com uma reposta da tecnologia que, naquele momento, não existia com essa facilidade”, afirma a juíza auxiliar da Corregedoria do CNJ, Sandra Torres.

Para o advogado Hugo Teles, do projeto Aconchego, as informações das instituições de acolhimento proporcionam agilidade ao processo. “Não sendo encontrado o perfil desejado por um pretendente, vai ser acionado o Cadastro Nacional de Crianças Acolhidas para verificar a possibilidade de existência de alguma criança ou adolescente dentro daquele perfil. Uma criança ou adolescente que não está habilitado naquele momento pode ter seu processo agilizado para que ela não perca a chance de ser adotada”, explica.

Atualmente, estão cadastrados no país 44,2 mil pretendentes e 9 mil crianças e adolescentes estão cadastrados para adoção. Na última década, mais de nove mil adoções foram realizadas por intermédio do CNA no Brasil.

Novidades

A nova versão do Cadastro Nacional de Adoção permite que os pretendentes tenham acesso ao próprio cadastro e possam fazer atualizações de suas informações pessoais como endereço, e-mail e telefone. Também foi desenvolvido um sistema de alertas para avisar juízes e a corregedoria do CNJ sobre os prazos de cada processo de adoção.

O sistema também permite a inclusão de fotos, vídeos, desenhos e cartas por parte das crianças e adolescentes como forma de dar visibilidade aos pedidos de adoção.

A nova versão do Cadastro Nacional de Adoção tem como modelo o sistema criado pelo Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES). O Sistema de Informação e Gerência da Adoção e do Acolhimento no Espírito Santo (Siga/ES) foi implantado em 2008. O Siga contém as informações das crianças e adolescentes em acolhimento institucional, em condições ou não de inserção em família substituta assim como informações sobre os pretendentes habilitados à adoção e de todas as instituições de acolhimento do Estado.

Além de Espírito Santo, o CNA já foi testado em oito Varas de Infância dos Estados de São Paulo, Paraná, Bahia e Rondônia.

Falta de estrutura

Teles considera que a implementação da nova versão do cadastro é positiva mas ressalta que ela não soluciona o problema da demora dos processos que envolvem adoção, que ele atribui à falta de estrutura de pessoal do Judiciário, especificamente à equipe técnica formada por psicólogos, assistentes sociais e pedagogos.

“As Varas da Infância Brasil afora têm sofrido muito com a ausência de um número adequado de servidores para atender a demanda atual. São imprescindíveis para dar suporte ao juiz com informações necessárias para que ele decida de forma adequada. É necessário ter uma equipe técnica forte, bem estruturada para que os laudos sejam construídos e as análises psicológicas e sociais sejam bem fundamentadas para que decisões equivocadas não sejam tomadas”, afirma Teles.

Continue lendo

Brasil

Pai de menino do Paraná que emocionou internet com honestidade morre em acidente de trânsito

Alessandro Monteiro de Sousa pilotava uma moto na PR-439, em Santo Antônio da Platina, e foi atingido por um carro. Família participou do Caldeirão do Huck e ganhou prêmio de R$ 30 mil.

Publicado em

Do G1

O pai do menino que, em 2017, emocionou a internet com honestidade morreu em um acidente de trânsito na noite de quinta-feira (16) em Santo Antônio da Platina, no norte do Paraná.

Alessandro Monteiro de Sousa, de 37 anos, pilotava uma moto na PR-439. Um carro acabou batendo contra a moto, de acordo com a Polícia Militar (PM). Os ocupantes do automóvel tiveram ferimentos leves.

O corpo de Alessandro foi sepultado por volta das 17h30 deste sexta-feira (17), no Cemitério Municipal São João Batista. O velório foi realizado na capela da Funerária Santo Antônio.

Alessandro Monteiro era montador de móveis. Em dezembro do ano passado, a família dele participou do quadro “Agora ou Nunca”, do Caldeirão do Huck, e ganhou o prêmio de R$ 30 mil.

Acidente aconteceu na PR-439; carro atingiu a moto que o pai do menino pilotava (Foto: Antonio Picoli/Tribuna do Vale)

Relembre a história

O garoto Alessandro Júnior Rodrigues de Sousa pediu R$ 1 a um funcionário da Companhia Paranaense de Energia (Copel), que tinha ido até a casa da família, em Santo Antônio da Platina, para cortar a luz por falta de pagamento.

O menino ganhou uma nota de R$ 5 para dividir com os irmãos e esperou o eletricista voltar para devolver o troco de R$ 2.

O caso ocorreu em 2016, mas ganhou notoriedade após a publicação nas redes sociais em outubro de 2017, quando o eletricista da Copel João Cândido compartilhou a história.

Eletricista João Neto compartilhou a história de Alessandro em outubro do ano passado o e viralizou nas redes sociais (Foto: Rede Globo/Reprodução)

No texto, acompanhado de uma foto das mãos do menino devolvendo R$ 2, o funcionário relatou que foi cortar a energia da família e, na saída, foi abordado pelo menino que pediu dinheiro.

Ao voltar, no fim da tarde do mesmo dia para religar a luz, foi recebido com entusiasmo pelo menino, que queria lhe devolver o troco.

Para Cândido, a atitude do menino de devolver o troco foi o maior exemplo de honestidade e responsabilidade que ele já tinha visto na vida.

Família mora em Santo Antônio da Platina, no norte do Paraná (Foto: NPDiário)

Participação no programa

No Caldeirão do Huck, o pai do menino disse que a família estava muito feliz com a participação no programa e com o prêmio. “Foi uma benção de Deus”, afirmou.

Durante o programa, o apresentador Luciano Huck elogiou a educação das crianças, mesmo em meio a tantas adversidades

“A gente está no caminho certo e a gente não pode parar por aí”, declarou o pai ao G1, logo após a exibição da reportagem no Caldeirão do Huck.

Família de menino que emocionou a internet pela honestidade participou do quadro ‘Agora ou Nunca’, do Caldeirão do Huck, em dezembro do ano passado (Foto: Rede Globo/Reprodução)

Continue lendo

Brasil

Polícia procura enfermeira suspeita de atropelar cachorros em São Luís; vídeo repercute nas redes sociais

Órgãos de defesa dos animais compartilharam o vídeo do atropelamento, que ganhou repercussão nacional. Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares anunciou o afastamento da enfermeira.

Publicado em

Do G1

Imagens de câmera de segurança de uma residência no bairro Residencial Pinheiros, em São Luís, mostram o momento em que uma mulher atropela dois cachorros. O caso foi registrado na terça-feira (14), mas só nesta quinta-feira (16) o vídeo viralizou nas redes sociais e causou revolta nos internautas.

A suspeita de ser a motorista do carro é a enfermeira Gisele Atan, que trabalha na Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH). O G1 procurou a enfermeira, mas ela ainda não foi encontrada.

Polícia investiga atropelamento de cachorros em São Luís (Foto: Reprodução/Instagram)

No vídeo, o condutor aparece em um veículo de cor prata acelerando e passando por cima dos animais, que são da raça pastor alemão. Após o atropelamento, é possível ver o carro indo embora. Em seguida, os cachorros aparecem nas imagens sangrando e mancando. Um dos cachorros morreu e um outro, chamado ‘Peppe’, sobreviveu, mas teve várias fraturas.

Cachorro ‘Peppe’ sobreviveu ao atropelamento (Foto: Luiza Mell)

Repercussão na internet

Após a divulgação das imagens, o caso repercutiu e causou revolta por parte dos internautas. Nas redes sociais, as cantoras Anitta e Preta Gil, o humorista Marcelo Adnet e a atriz Giovanna Ewbank foram algum dos artistas que se manifestaram sobre o atropelamento dos dois cachorros.

“Como é que essa pessoa consegue dormir depois?”, comentou o Padre Fábio de Melo.

Artistas se posicionaram sobre o atropelamento dos cachorros em São Luís (Foto: Reprodução/Instagram)

O vídeo também foi compartilhado pela ativista dos animais Luisa Mell e ganhou a atenção da Comissão de Defesa dos Animais da Ordem dos Advogados do Brasil do Maranhão (OAB-MA).

De acordo com a presidente da comissão, Luciana Lauande, a Delegacia Especial de Meio Ambiente já foi acionada e suspeita está sendo procurada pela polícia para prestar esclarecimentos. A Comissão de Defesa dos Animais da OAB acompanha o caso.

O presidente da EMSERH, Vanderley Ramos, se pronunciou no Twitter e anunciou o afastamento da enfermeira Gisele Atan da empresa.

“A respeito do episódio envolvendo a empregada da EMSERH, Gisele Atan, apesar de ocorrido no ambiente de sua vida privada, quero expressar o sentimento de toda a empresa de profunda indignação e desaprovação, informando que a empregada já se encontra suspeira de suas funções”, afirmou Vanderley.

Por meio de nota pública, o Conselho Regional de Enfermagem do Maranhão (Coren-MA) repudiou o ato supostamente praticado pela enfermeira e afirmou que está tomando providências para punir a suspeita no caso.

Veja a nota completa abaixo.

“O Conselho Regional de Enfermagem do Maranhão (Coren-MA) vem através da presente nota esclarecer que repudia veemente o ato supostamente praticado pela profissional inscrita nesse Conselho onde ocasionou o atropelamento de dois cachorros em via pública, no dia 14 de agosto de 2018, conforme imagens divulgadas em redes sociais. Ato contínuo, informamos que iremos tomar as providências cabíveis em face a profissional envolvida no presente caso; Por fim, estaremos aguardando os desdobramentos do caso e acompanhando o trabalho das autoridades competentes para auxiliar no que for cabível”.

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas