Prefeitura aponta falha humana em acidente que amputou perna de coletor em caminhão de lixo em Assis

Segundo secretário de Meio Ambiente, motorista do caminhão acionou alavanca errada e o trabalhador acabou ferido. Ainda de acordo com Fábio Ávila Nossack, a vítima está em casa e recebe apoio da administração municipal.

O acidente de trabalho que provocou a amputação de parte da perna de um coletor de lixo em Assis (SP) foi consequência de uma falha humana, segundo a Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente da cidade, pasta responsável pela coleta de lixo.

De acordo com o secretário Fábio Ávila Nossack, o serviço de coleta recebeu novos caminhões recentemente e apesar dos colaboradores terem recebido todo o treinamento para o uso desses veículos, no dia do acidente, registrado no último dia 10 de dezembro, o motorista acabou acionando uma alavanca por engano e a plataforma do veículo atingiu o coletor Jefferson Luís dos Santos, de 34 anos.

Ele teve uma perna esmagada e precisou amputar parte do membro. O coletor trabalha na Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis de Assis (Coocassis) que tem um contrato com a prefeitura para coleta seletiva e também para parte do trabalho de coleta do lixo domiciliar.

“Tudo indica que foi um erro de procedimento. Nós tivemos uma mudança de caminhões que trazem sistema de alavancas diferentes dos antigos. Por um equívoco, o motorista acionou a alavanca errada. Ele deveria ter acionado a alavanca da prensa, que recolhe e prensa o lixo, mas acabou acionando a da plataforma e esse coletor estava com uma das pernas no chão e a outra apoiada nessa plataforma que acabou presando a perna dele. Foi uma falha humana, infelizmente e aconteceu essa tragédia”, explica o secretário.

Ainda de acordo com Fábio, o coletor já está em casa se recuperando e tem recebido toda a assistência do município.

“Assim que ficamos sabendo o que houve, fomos apurar tudo como ocorreu e nós já acionamos a assistência social do município para dar todo o apoio necessário. Lamentamos muito o que ocorreu e nossa intenção é que ele se recupere e possa exercer algum tipo de atividade. Acreditamos que ele vai precisar de uma prótese e vamos auxiliá-lo nisso também.”

Segundo a diretora da Coocassis, Sandra Carvalho da Silva, a cooperativa já entrou com o pedido no INSS para o afastamento do coletor durante todo o tratamento que ele precisa fazer e também está auxiliando na aquisição da prótese.

“Já estamos com esse procedimento no INSS porque ele vai ter que ficar um bom tempo afastado para todos os cuidados necessários. Ele não terá condições de voltar no setor que trabalhava, mas estamos dando todo o apoio necessário, inclusive, no deslocamento dele para consultas e outros atendimentos relacionados ao acidente”, esclarece.

O secretário de Meio Ambiente também ressaltou que os funcionários da coleta também devem passar por reforço do treinamento no manuseio do caminhão e outros equipamentos para prevenir novos acidentes.

VEJA TAMBÉM

#MAIS LIDAS DA SEMANA