Fique conectado

Polícia

Jovem é condenado a 24 anos de prisão por matar companheira com tiro na cabeça em Ourinhos

Maycon Nunes do Nascimento foi condenado por homicídio doloso com agravante de motivo fútil e feminicídio; ele está preso desde o dia 19 de abril de 2017.

Publicado em

213

Jovem acusado de matar a namorada vai a júri popular em Ourinhos — Foto: Alisson Negrini/TV TEM

O jovem Maycon Nunes do Nascimento, que está preso desde abril de 2017 por atirar e matar a companheira Jessika Batista dos Santosde, de 25 anos, foi condenado a 24 anos de prisão em regime fechado por homicídio doloso com as qualificadoras motivo fútil e feminicídio.

A sentença foi divulgada após júri popular, que foi realizado nesta quinta-feira (14), em Ourinhos (SP). O julgamento durou cerca de oito horas.

O acusado chegou ao tribunal algemado e ficou o tempo inteiro de cabeça baixa. Durante o interrogatório, ele afirmou que no dia do crime Jéssica confessou que o traiu mais de uma vez.

Então, segundo Maycon, os dois discutiram e ela teria tentado esfaqueá-lo. Foi então que ele deu um tiro na vítima.

Para o júri popular, os jurados foram escolhidos por sorteio. A defesa do réu usou as recusas permitidas para negar que três mulheres compusessem o júri. Por fim, as cadeiras foram preenchidas por três jurados homens e quatro mulheres.

Jovem é suspeito de matar a companheira em Ourinhos — Foto: Reprodução/TV TEM

Feminicídio

O crime foi registrado em novembro de 2016. A jovem Jessika Batista dos Santos morreu após ser baleada na cabeça.

A Polícia Militar foi acionada por vizinhos que ouviram o barulho do tiro e encontrou a vítima caída em frente à casa, que fica nos fundos de outra residência.

Jessika chegou a ser socorrida e passou por cirurgia na Santa Casa, mas não resistiu ao ferimento.

O suspeito fugiu após o disparo e se entregou à polícia cinco meses após o crime para prestar esclarecimentos sobre o feminicídio.

Segundo amigos da vítima, Jessika tinha um filho de outro relacionamento e estava com Maycon há pouco mais de um ano e meio.

Polícia

Família procura por jovem de Tarumã desaparecida há mais de uma semana

Isabela Alexandre Catissi tem 16 anos e desapareceu em 13 de março. Família registrou um Boletim de Ocorrência,

Publicado em

Do AssisNews
Isabela Alexandre Catissi tem 16 anos e desapareceu em 13 de março (Foto: Arquivo Pessoal)

Uma família de Tarumã (SP) busca com desespero informações sobre a adolescente Isabela Alexandre Catissi, de 16 anos, que está desaparecida há mais de uma semana.

De acordo com informações a jovem, que desapareceu em 13 de março, foi vista pela última vez na Vila Progresso em Assis (SP). Ainda segundo informações, ela, que saiu apenas com a roupa do corpo, teria vindo para a cidade para morar com uma moça, mas não teria informado a família o local correto.

Os familiares registraram boletim de ocorrência. Informações sobre o paradeiro da menor podem ser informados a Polícia pelo 190 ou a família pelo celular (18) 99803-7310.

Continue lendo

Polícia

Briga de casal acaba com homem morto a facada, em Rancharia

Mulher golpeou o indivíduo e, à polícia, alegou defesa, pois a seu favor havia uma medida protetiva. Ela foi ouvida e liberada.

Publicado em

Do G1

Um homem, de 44 anos, foi morto a facada pela namorada, em Rancharia, na noite deste domingo (24). Conforme a Polícia Civil, a mulher foi ouvida e liberada, pois tinha a seu favor uma medida protetiva e alegou defesa.

De acordo com a polícia, o casal teve uma briga na tarde de domingo (24), por volta das 14h, e a mulher teria esfaqueado o namorado.

O homem chegou a ser socorrido por familiares e levado ao Hospital e Maternidade de Rancharia, onde foi submetido a uma cirurgia, mas não resistiu ao ferimento e morreu na madrugada desta segunda-feira (25).

Já a mulher, de 29 anos, contou à polícia que teve um relacionamento de sete meses com a vítima, possuía uma medida protetiva e alegou defesa.

Segundo a Polícia Civil, ambos são usuários de droga e deixaram a medida protetiva de lado para consumir crack e dormir juntos neste domingo (24).

Ainda conforme a polícia, a mulher disse que foi agredida pelo namorado e acertou-lhe uma facada nas costas.

Ela relatou que ambos haviam se deitado para dormir juntos, após o consumo de crack. Antes disso, a mulher já tinha sido agredida pelo namorado no local. Quando a mulher se levantou para sair da casa onde estavam e, assim, evitar mais problemas, o namorado acordou e voltou a agredi-la, o que a fez se armar com uma faca e a acertar-lhe um golpe.

No entanto, a Polícia Civil só tomou conhecimento da facada na manhã desta segunda-feira (25). Inicialmente, o homem, ao ser socorrido pelos familiares e hospitalizado, alegou que havia se ferido ao cair de um muro.

Na manhã desta segunda-feira (25), familiares da vítima procuraram a namorada e ela admitiu que, após ter sido agredida, desferiu uma facada no homem.

Segundo a Polícia Civil, como não houve situação de flagrante, a mulher foi ouvida e liberada.

Na conclusão do inquérito instaurado para apurar o caso, a Polícia Civil vai avaliar a conveniência de representar judicialmente pela prisão preventiva da envolvida.

Continue lendo

Polícia

Mulher é encontrada morta dentro de quarto de hotel no Centro de Marília

Vítima foi localizada por funcionários com vários ferimentos pelo corpo; Samu foi chamado e constatou a morte no local.

Publicado em

Do G1
Polícia Científica esteve no local para fazer a perícia; Polícia Civil não descarta feminicídio (Foto: Guilherme Lopes/TV TEM)

Uma mulher foi encontrada morta com ferimentos pelo corpo dentro de um quarto de hotel no Centro de Marília (SP), na manhã desta segunda-feira (25).

Segundo a Polícia Militar (PM), a vítima foi encontrada por funcionários do hotel, que chamaram o resgate. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) constatou a morte no local. A Polícia Militar também foi chamada para registrar a ocorrência.

A vítima, que não foi identificada, aparenta ter aproximadamente 40 anos de idade, segundo a polícia. As polícias Científica e Civil foram ao hotel para fazer a perícia e investigar a causa da morte e identificar um possível agressor, e não descarta, a hipótese de feminicídio.

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Solutudo 300
Publicidade

FaceNews

Mais lidas