Fique conectado

Polícia

Suspeito de jogar gato para ser atacado por cães presta depoimento na delegacia de Cândido Mota

Segundo o delegado, morador que aparece em vídeo que circula nas redes sociais negou a ação; caso está sendo investigado pela Polícia Civil.

Publicado em

985

O homem suspeito de jogar um gato para ser atacado por cães, em Cândito Mota (SP), foi identificado e prestou depoimento na delegacia nesta sexta-feira (4). De acordo com a Polícia Civil, ele negou a ação.

Imagens de circuito de segurança que circulam nas redes sociais mostram o momento em que um gato tenta fugir do ataque de cães e sobe numa árvore.

O suspeito, que estava na companhia dos cachorros, pega um pedaço de pau e derruba o felino, que é violentamente atacado pelos dois cães. (Veja no vídeo abaixo)

De acordo com moradores, o gato foi socorrido e levado a uma clínica veterinária já sem movimentos nas pernas, com sinais de que ficaria paraplégico. Porém, durante o tratamento, ele não resistiu aos ferimentos e morreu na segunda-feira (1º).

Segundo o delegado Gustavo Barbosa Siqueira, que abriu as investigações após perceber a repercussão do caso nas redes sociais, o suspeito afirmou em depoimento que queria apenas ajudar o gato, empurrando o animal mais para o alto da árvore.

O suspeito afirmou que já conhecia os cães, que não são dele, e que não os afastou porque eles estavam muito agressivos e poderiam atacá-lo.

Ainda segundo o delegado, o homem afirmou ainda que possui uma gata em casa e que, por isso, jamais faria uma maldade contra outro gato.

Gato foi levado a clínica sem movimento nas pernas, mas não resistiu aos ferimentos e morreu (Foto: Thiago Xavier)

Segundo o delegado, o suspeito admitiu que sofreu ameaças enviadas através de mensagens pelas redes sociais e foi orientado a registrar ocorrência caso se sinta em perigo.

A partir do depoimento, o delegado explica que vai pedir um exame ou laudo ao médico veterinário que atendeu o gato e pesquisar as demais circunstâncias do caso para definir os rumos da investigação.

O delegado lembra que maus-tratos a animais é caso previsto na Lei de Crimes Ambientais, com pena prevista de três meses a um ano de detenção, que pode crescer em até um terço do tempo no caso da morte do animal.

Polícia

Acidente causa lentidão na Raposo Tavares nas proximidades de Nova Alexandria

Acidente, registrado na noite desta quinta-feira (18), aconteceu durante tentava ultrapassagem.

Publicado em

Do Jornal da Comarca
Acidente causa lentidão na Raposo Tavares nas proximidades de Nova Alexandria (Foto: Sidney Fernandes/Difusora Assis)
Acidente causa lentidão na Raposo Tavares nas proximidades de Nova Alexandria (Foto: Sidney Fernandes/Difusora Assis)

Um acidente ocorrido no final da tarde desta quinta-feira causou lentidão na rodovia Raposo Tavares no trecho entre a comunidade Restauração e o Distrito de Nova Alexandria, em Cândido Mota (SP). O caso ocorreu com colisão traseira entre dois veículos de carga no trecho de subida em sentido Assis-Palmital, logo depois do local conhecido como “baixada da Cesp”.

De acordo com informações, o caminhão Mercedes-Benz azul, com placas de Leopoldina (MG), tentava ultrapassagem e colidiu conta a traseira de outro veículo de carga, que trafegava lentamente na pista da esquerda. O motorista, que reside no Espírito Santo e estava acompanhado do filho menor, não sofreu ferimentos.

O caminhão ficou imobilizado no local, fazendo com que o tráfego ocorresse apenas pela pista da direita, gerando lentidão no trecho e pequeno congestionamento em horário de grande fluxo. A ocorrência foi atendida pela Polícia Rodoviária e pela equipe da Cart.

Acidente causa lentidão na Raposo Tavares nas proximidades de Nova Alexandria (Foto: Sidney Fernandes/Difusora Assis)

Acidente causa lentidão na Raposo Tavares nas proximidades de Nova Alexandria (Foto: Sidney Fernandes/Difusora Assis)

Continue lendo

Polícia

Mulher é encontrada após ser vítima de sequestro em Paraguaçu Paulista

A vítima foi encontrada em um matagal, próximo à pista de caminhada do Centro de Convergência.

Publicado em

Do i7 Notícias
Simone Aparecida Pedro
Simone Aparecida Pedro

Simone Aparecida Pedro, de 41 anos, que estava desaparecida desde terça-feira (16), foi encontrada no início da noite desta quarta-feira, dia 17, em um matagal próximo à pista de caminhada do Centro de Convergência, em Paraguaçu Paulista (SP). Segundo informações, ela havia sido sequestrada.

Populares que encontraram Simone relataram que ela estava muito assustada e chorando muito. Eles entraram em contato com a família da vítima, que foram buscá-la.

Simone contou que na terça-feira foi abordada por três pessoas, que pegaram o seu dinheiro que havia acabado de sacar no banco e a jogaram dentro de um veículo. Outras informações, a vítima não conseguiu passar, devido ao seu estado emocional.

Simone foi encontrada por populares em uma mata próxima à pista de caminhada do Centro de Convergência

Simone foi encontrada por populares em uma mata próxima à pista de caminhada do Centro de Convergência

Continue lendo

Polícia

Mulher suspeita de tráfico de drogas é liberada após teste indicar cocaína falsa

Suspeita foi surpreendida vendendo ‘droga’, em Marília (SP), para um rapaz. Ela confessou que pegou a substância em São Paulo para entregar no interior.

Publicado em

Do G1

Uma mulher foi detida suspeita de tráfico de drogas após ser surpreendida entregando meio quilo de substância parecida com cocaína, em Marília (SP). Segundo a Polícia Militar, a suspeita acabou sendo liberada após o teste indicar que a droga era falsa.

A abordagem da Polícia Militar aconteceu nesta terça-feira (16) na rua Afonso Pena, onde a mulher, que estava com uma criança de colo, se assustou com a chegada da viatura e tentou fugir.

Ela e um rapaz que estava junto foram detidos. Durante a abordagem, os policiais encontraram com a suspeita 500 gramas da substância e um celular. Já com o homem foi encontrado apenas um celular.

Indagada, a mulher confessou que trouxe a substância de São Paulo e entregaria para o homem com quem conversava.

A droga foi apreendida, mas durante o teste o resultado foi “inconclusivo”. Ou seja, a cocaína foi considerada como “falsa”.

Os dois foram encaminhados para a Central de Polícia Judiciária (CPJ) de Marília, mas diante do resultado “inconclusivo” da droga, acabaram liberados.

A criança, que é filha da mulher, chegou a ficar sob os cuidados do Conselho Tutelar, mas com o resultado negativo da perícia, foi devolvida para a mãe.

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Solutudo 300
Publicidade

FaceNews

Mais lidas