Fique conectado

Polícia

Estudante de medicina é presa por tráfico drogas na região

Ação da Polícia Civil foi realizada após dois meses de investigação sobre festas de universitários, onde eram comercializados entorpecentes sintéticos.

Publicado em

790

Drogas apreendidas na Operação Alquimista (Foto: Divulgação)

A Polícia Civil de Adamantina (distante 140 quilômetros de Marília) prendeu em flagrante nesta sexta-feira (10) cinco estudantes de medicina por tráfico de drogas e associação para o tráfico. Entre os detidos está a mariliense Mariana Daher, de 23 anos.

A jovem passaria por audiência de custódia em Tupã neste sábado (11) e, conforme a decisão do juiz, poderia ser encaminhada para uma unidade prisional feminina ou autorizada a responder em liberdade.

As prisões foram feitas na “Operação Alquimista”, com foco no combate ao tráfico de drogas sintéticas, desencadeada após dois meses de investigações da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) e da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise) daquela cidade.

“Apurou-se que durante algumas festas de universitários e outras abertas ao público em geral, eram comercializadas drogas sintéticas trazidas por alguns estudantes de medicina que abasteciam os usuários”, diz nota oficial da Polícia Civil.

Durante as diligências foram levantadas informações de que a chamada “Festa do Blvck” seria regada a drogas.

Representantes do evento afirmaram que “nada tem a ver com isso” e que combatem a entrada e uso de qualquer substância ilícita.

Os policiais identificaram suspeitos que trariam comprimidos de ecstasy para distribuição e, na tarde desta sexta-feira, desencadearam buscas domiciliares que resultaram em nove estudantes detidos.

“Quatro foram presos em flagrante pela prática de tráfico de drogas e associação para o tráfico, sendo dois homens e duas mulheres, em poder dos quais encontrou-se drogas sintéticas como LSD, ecstasy, MD e maconha”, afirma a Polícia Civil.

Em duas residências foram encontradas estufas para plantio de maconha. Outro estudante acabou preso por tráfico por estar em posse de maconha, mas ele não teria ligação com o grupo atualmente.

Outros quatro estudantes terminaram liberados depois de serem autuados pelo porte de drogas para consumo próprio.

No total foram apreendidas 370 gramas de maconha, uma pequena porção de haxixe, uma porção com cristais de MD, dois quadriculados de LSD, 62 comprimidos de ecstasy, além de outros objetos próprios para o tráfico e consumo de drogas e um veículo utilizado para o transporte dos entorpecentes.

Material apreendido (Foto: Divulgação)

Estufa em uma das residências (Foto: Divulgação)

Polícia

Acusado de espancar e matar idoso em Alagoas responderá também por sequestro e cárcere

Homem de 29 anos era procurado pelo assassinato ocorrido em Alagoas. Ele foi preso em flagrante após denúncia da companheira, que conseguiu escapar da casa onde era mantida em cárcere em Cândido Mota.

Publicado em

Do G1
Mulher era mantida trancada em casa em Nova Alexandria, distrito de Cândido Mota, há pelo menos duas semanas, segundo a polícia (Foto: Polícia Civil / Divulgação)

O homem que agrediu até a morte um idoso em Alagoas no mês passado e foi preso em Cândido Mota (SP) nesta quinta-feira (22) vai responder também pelos crimes de sequestro, cárcere privado e falsidade ideológica.

Segundo a polícia, ele é suspeito de sequestrar e manter em cárcere privado a companheira, de 30 anos, com que se relacionava há cerca de 2 meses.

A Polícia Civil de Cândido Mota abriu um inquérito para investigar esses crimes depois que José Antônio de Jesus, de 29 anos, foi preso em flagrante no distrito de Nova Alexandria.

A polícia chegou até ele após a companheira dele conseguir fugir da casa onde eles estavam e denunciá-lo. No momento da abordagem, José Antônio se apresentou com outro nome, por isso deve responder também por falsidade ideológica.

Além do flagrante, a polícia cumpriu dois mandados de prisão contra ele, ambos por homicídio. O mais recente ocorrido em Olho D’ água das Flores em Alagoas, no mês passado.

Segundo as investigações, José Antônio matou Gildo Maximino de Carvalho, 72 anos, com socos e chutes. Ele também era foragido da Justiça em São Paulo pela morte de uma outra companheira.

José Antônio já foi condenado pela Justiça de São Paulo pelo crime de feminicídio, por ter matado em 2017 a ex-companheira, a auxiliar de enfermagem Lucilene dos Santos Silva, 43 anos.

Lucilene dos Santos morta a facadas na casa onde vivia com agressor no bairro Jardins das Hortências, em Itupeva (SP) meses depois de ter contratado um advogado para ajudar José Antônio a sair da prisão.

Ele havia sido preso porque agrediu na rua uma outra mulher com quem tinha um outro relacionamento.

José Antônio também já respondia por tentativa de homicídio por tentar matar em 2015 outra ex-companheira.

Sequestro e cárcere

A mulher que denunciou Jose Antônio é investigada por estar com ele no momento do crime em Alagoas. Câmeras de segurança registraram as agressões e também o momento que o suspeito chega de moto com a mulher na garupa.

Segundo o delegado de Cândido Mota, Gustavo Siqueira, a mulher contou que era constantemente agredida e ameaçada de morte por José Antônio e que depois do crime em Alagoas foi obrigada a fugir com ele.

“Os dois estavam na região há aproximadamente duas semanas, e sempre o indiciado a deixava trancada na casa, sendo que, quando saíam juntos, a obrigava a permanecer perto de si, falar pouco e se identificar com nome diverso que realmente possui”, explica o delegado.

Na noite de quinta-feira (22), a mulher conseguiu escapar do imóvel e acionou a Polícia Militar. O suspeito foi preso em flagrante na casa no distrito de Nova Alexandria, em Cândido Mota.

O delegado pediu a conversão da prisão em flagrante em preventiva e o suspeito vai passar por audiência de custódia nesta sexta-feira (23).

Ainda segundo o delegado Gustavo Siqueira, o suspeito está preso em Assis. “Mesmo que o juiz não decida pela prisão preventiva, ele vai permanecer preso por conta dos mandados de prisão que também foram cumpridos dos crimes de homicídio”, completa.

Já a vítima recebeu o atendimento médico e psicológico e está em contato com familiares sobre retorno ao estado de Alagoas.

Continue lendo

Polícia

PM captura homem condenado por se masturbar dentro de Igreja em Palmital

O condenado foi capturado em sua residência, no Conjunto Miguel Huertas (CDHU).

Publicado em

Do Jornal da Comarca

Um homem de 55 anos foi preso na tarde desta quinta-feira (22) pela Polícia Militar após condenação por ato obsceno em local público praticado em 2012. O mandado de prisão para cumprimento de pena em regime semiaberto foi expedido pela Justiça da Comarca. Ele foi flagrado em 2012 quando se masturbava no interior da igreja Matriz de São Sebastião, no centro de Palmital (SP). O condenado foi capturado em sua residência, no Conjunto Miguel Huertas (CDHU), e apresentado na Delegacia da Polícia Civil.

De acordo com registros policiais, o mandado de prisão foi cumprido pouco depois das 16 horas de quinta-feira, quando policiais militares estiveram na residência do homem, na rua Indalécio Marques de Lima, no CDHU. Após a captura, os pms o apresentaram na Delegacia da Polícia Civil, onde houve o registro da ocorrência. Em seguida, ele foi levado para a Cadeia Pública de Lutécia, de onde deverá ser transferido para uma unidade específica para detentos em regime semiaberto.

CASO

Segundo a denúncia apresentada à Justiça, no dia 17 de março de 2012, por volta das 18h45, na Matriz de São Sebastião, o homem praticou ato obsceno em lugar exposto ao público. Conforme o apurado, o denunciado foi surpreendido pelo padre que comandava a Paróquia e por fiéis quando se masturbava no interior da Capela do Santíssimo, que fica dentro da igreja na região central de Palmital.

A defesa alegou que o acusado deveria ser absolvido porque estava “raciocínio e discernimento prejudicados pela influência de álcool, restando ausente o dolo em sua conduta”. Ele também afirmou à época que estava “tirando água do joelho” no local. Porém, relatos dos policiais que atenderam à ocorrência e do pároco indicavam que o acusado praticava ato obsceno na igreja.

Na época da ocorrência, o padre disse que algumas senhoras que chagaram para a missa o chamaram e disseram que o homem estava se masturbando na capela do santíssimo e acionou a polícia. Os denunciantes também afirmaram que o acusado estava com um chapéu no colo e que, quando a peça foi retirada, constataram que ele estava com o pênis na mão.

O acusado foi condenado à pena de 6 meses de detenção em regime semiaberto. A condenação ocorreu por meio de sentença proferida em maio de 2017. Ele recorreu da decisão e continuou em liberdade. Porém, o Tribunal de Justiça negou o recurso e manteve a pena, fazendo com que o processo tivesse trânsito em julgado em maio deste ano. Então, a Justiça da Comarca expediu o mandado de prisão que foi cumprido na quinta-feira.

Continue lendo

Polícia

Dentista é morto pela própria filha em Marília após surto psicótico

Caso aconteceu na madrugada desta sexta-feira (23).

Publicado em

Do Marília Notícia
Dentista foi morto pela própria filha (Foto: Arquivo Pessoal)

O dentista Aloísio Tassara, de 56 anos, morreu na madrugada desta sexta-feira (23) após ser esfaqueado pela própria filha, uma adolescente de 17 anos, na casa deles na região do Aeroporto, zona Leste de Marília (SP).

Segundo as primeiras informações apuradas pelo site Marília Notícia, a adolescente teria problemas psiquiátricos e durante um surto na madrugada, pegou uma faca e desferiu um golpe no peito do próprio pai.

O Samu foi acionado, mas ao chegar ao endereço nada pôde fazer, constatando apenas o óbito. A garota foi levada para o Hospital das Clínicas onde está passando por atendimento médico.

A ocorrência está sendo apresentada na Central de Polícia Judiciária (CPJ). Ainda não há informações sobre o velório e sepultamento. O Marília Notícia acompanha o caso.

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Solutudo 300
Publicidade

FaceNews

Mais lidas