Fique conectado

Polícia

Mãe aguarda há 3 anos por julgamento de PM que matou filho dela em abordagem: ‘Difícil lidar com essa espera’

Brian Bueno morreu aos 22 anos após ser baleado por um policial militar na saída da Feira Agropecuária de Ourinhos (SP), em junho de 2016.

Publicado em

1.257

Brian foi morto por tiro disparado por policial durante abordagem em Ourinhos (SP) — Foto: TV TEM/Reprodução

Três anos após o assassinato de Brian Bueno, de 22 anos, baleado por um policial militar durante uma abordagem na saída de uma feira agropecuária de Ourinhos, a família do jovem ainda espera por justiça.

O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo considerou que o policial militar cometeu o crime de homicídio doloso, quando há intenção de matar, por isso, ficou definido que o policial irá a júri popular, porém, ainda não tem data definida. Enquanto isso, o policial acusado aguarda o julgamento em liberdade.

Para Valdineia Pontes, mãe do Brian, a busca por uma resposta da Justiça tem se tornado angustiante.

“É muito difícil, você não sabe o que fazer, a gente fica esperando, liga para o advogado, não tem nenhuma novidade. É muito complicado e difícil lidar com essa espera”, desabafa.

Desde quando o policial se tornou réu no processo, a Polícia Militar manteve o profissional trabalhando internamente na área administrativa até a conclusão do caso. Apesar da decisão do TJ, a defesa do policial entrou com recurso no Superior Tribunal de Justiça.

Para o Conselho Estadual dos Direitos Humanos, que acompanha o caso, essa é mais uma medida para adiar o julgamento.

O crime que ocorreu em 2016 provocou indignação dos moradores de Ourinhos que organizaram um protesto e foram às ruas pedir por justiça.

Moradores de Ourinhos protestaram pedindo justiça no caso Brian — Foto: Reprodução / TV TEM 

O crime

Brian Bueno, 22 anos, foi baleado na saída da Feira Agropecuária de Ourinhos, na madrugada do dia 9 de junho de 2016. Ele foi abordado por um policial militar porque teria colocado o braço para fora do carro em que estava e derrubado os cones que demarcavam o sentido do trânsito.

Câmeras do circuito de segurança registraram toda a abordagem. As imagens mostram que o policial se aproxima da janela do passageiro e pega a arma. Logo em seguida, dá para ouvir o disparo, quando outro policial se afasta.

Marcas do tiros ficaram no cinto de segurança do carro — Foto: TV TEM/Arquivo

Marcas do tiros ficaram no cinto de segurança do carro — Foto: TV TEM/Arquivo

O tiro acertou o jovem que chegou a ser socorrido, mas não resistiu a gravidade dos ferimentos. O soldado Luis Paulo Izidoro foi quem estava com a arma, que segundo a versão prestada em depoimento, o revólver teria disparo acidentalmente.

Polícia

Assaltante leva dinheiro de adega de bebidas no bairro São José em Palmital

Vítima teve prejuízo de aproximadamente R$ 200,00.

Publicado em

Do Jornal da Comarca

Um assaltante armado e encapuzado atacou uma adega de bebidas que funciona no início da avenida Brasil, em frente à praça do bairro São José, em Palmital (SP).

O crime ocorreu na noite de sábado (13), quando o comerciante de 47 anos se preparava para fechar o estabelecimento e foi rendido pelo ladrão, que subtraiu dinheiro e fugiu a pé. A Polícia Militar foi acionada, mas não conseguiu localizar o autor. O caso também foi registrado na Delegacia da Polícia Civil, que apurará a autoria do crime.

De acordo com registros de ocorrência, o assalto ocorreu por volta das 22 horas, quando o proprietário se preparava para fechar a adega. O comerciante narrou aos policiais militares que o assaltante entrou no estabelecimento usando calça jeans, blusa de moletom cinza, capuz e touca ninja para que suas características não pudessem ser observadas. A vítima disse que o ladrão era magro, mas não conseguiu visualizar sua fisionomia.

O assaltante portava um revólver cromado e exigiu dinheiro do comerciante, que lhe entregou aproximadamente R$ 200,00. Após subtrair os valores, o criminoso fugiu a pé em direção à rua Olímpio Braga, tomando rumo ignorado pela vítima.

A ocorrência foi atendida inicialmente por policiais militares, que realizaram diligências na cidade, mas sem êxito, e depois apresentada na Delegacia de Palmital, para a formalização da queixa e o início dos trabalhos de apuração do delito.

Continue lendo

Polícia

Mulher dá à luz dentro de carro na base da Polícia Rodoviária em Marília

Gestante entrou em trabalho de parto na Rodovia Transbrasiliana e o marido foi até a base para pedir ajuda. Mãe e bebê passam bem.

Publicado em

Do G1
Mulher começou a ter contrações na Rodovia Transbrasiliana em Marília (Foto: Polícia Rodoviária Federal/Divulgação)
Mulher começou a ter contrações na Rodovia Transbrasiliana em Marília (Foto: Polícia Rodoviária Federal/Divulgação)

Um bebê nasceu dentro da base da Polícia Rodoviária Federal de Marília (SP) no domingo (14). Os policiais realizaram o parto da gestante e a situação inusitada teve um final feliz.

Segundo a Polícia Rodoviária, a mulher trafegava pela Rodovia Transbrasiliana com o marido quando começou a sentir contrações. Foi quando o homem parou o carro na base da Polícia Rodoviária que estava próxima e pediu ajuda.

Como não havia tempo hábil, o parto aconteceu dentro do carro, no pátio da base, porque não daria tempo de chegar até a maternidade.

Após o parto, mãe e filho foram encaminhados para o Hospital Materno Infantil de Marília. Os dois passam bem.

Mãe e filho foram encaminhados para o hospital; os dois passam bem — Foto: Polícia Rodoviária Federal/Divulgação

Continue lendo

Polícia

Incêndio às margens de rodovia prejudica visibilidade de motoristas em Marília

Bombeiros foram acionados para controlar as chamas, que atingiram uma grande área de mata no acostamento da pista.

Publicado em

Do G1
Incêndio em mata às margens da rodovia prejudicou a visibilidade dos motoristas em rodovia de Marília — Foto: Claúdio Farneres/TV TEM
Incêndio em mata às margens da rodovia prejudicou a visibilidade dos motoristas em rodovia de Marília — Foto: Claúdio Farneres/TV TEM

Um incêndio em uma área às margens da Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros prejudicou a visibilidade dos motoristas que trafegavam pelo trecho na noite de sábado (14), em Marília (SP).

Os bombeiros foram acionados para conter as chamas. Ainda segundo os bombeiros, o tempo seco contribui para aumentar esse tipo de ocorrência de fogo em mata.

Apesar do fogo ter atingido uma grande área às margens do acostamento e a fumaça ter invadido a pista, não foi registrado nenhum acidente no trecho.

Trecho da Comandante João Ribeiro de Barros foi prejudicado por incêndio. — Foto: Claúdio Farneres/TV TEM

Trecho da Comandante João Ribeiro de Barros foi prejudicado por incêndio. — Foto: Claúdio Farneres/TV TEM

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Solutudo 300
Publicidade

FaceNews

Mais lidas