Fique conectado

Polícia

Adolescente suspeita de matar pai com facada tem quadro anterior de surto psicótico, diz advogado

Jovem, que foi achada em cima do telhado com faca nas mãos, segue internada no Hospital das Clínicas de Marília e prestou depoimento na última terça-feira (1º).

Publicado em

535

Dentista foi morto pela própria filha (Foto: Arquivo Pessoal)

A adolescente de 17 anos suspeita de matar o pai com uma facada em Marília (SP) já tinha quadros anteriores de surto psicótico, segundo o advogado de defesa da jovem. Aloísio Ahnert Tassara foi encontrado morto na sala de casa, coberto de sangue e com uma faca ao lado corpo.

Ao G1, o advogado Fábio Ricardo Rodrigues dos Santos revelou que a jovem estava passando por tratamento psiquiátrico e que, provavelmente, ela sofre de esquizofrenia paranoide, apesar de não ter o diagnóstico fechado. O advogado relata que no dia do crime, pela manhã, ela deveria passar por uma consulta com um novo psiquiatra.

Segundo o advogado, a adolescente já tinha tido problemas na escola onde estudava em São Paulo e, quando retornava no carro com os pais, o resgate precisou ser acionado. “Na ocasião, ela teve que ser medicada e contida, devido às crises de paranoia e síndrome de perseguição”, explica.

Até o momento, segundo as investigações, a jovem é tida como a principal suspeita do crime, que aconteceu no dia 23 de agosto. Ela foi apreendida em flagrante depois que, segundo informações do boletim de ocorrência, moradores avisaram que a jovem estava no telhado da casa da vizinha com uma faca na mão.

Como ela estava mentalmente desequilibrada, o Samu foi acionado. O serviço de emergência constatou que a jovem estaria em surto psicótico e a encaminhou para o Hospital das Clínicas, onde foi internada na ala de psiquiatria da unidade e permanece até o momento.

Na última terça-feira (1º), a polícia ouviu a adolescente no hospital. No depoimento, segundo a DIG, a jovem disse que se recordava de tudo e relatou em detalhes o que tinha ocorrido.

De acordo com o advogado de defesa da adolescente, a polícia já tinha tentado ouvi-la anteriormente, mas ela não conseguiu prestar depoimento pois estava em crise. Naquela vez, o médicos atestaram, inclusive, que ela não tinha condições de depor.

O advogado contou que a jovem não tem previsão de alta médica e que apresenta quadros de melhora e regressão. Segundo ele, ela sente falta do pai e, em alguns momentos, “chora intensamente e não consegue falar”.

No último depoimento, ela respondeu às perguntas acompanhada de médicos e o questionamento teve que ser interrompido diversas vezes por conta da condição que ela estava, de acordo com o advogado. “Ela também é vítima, toda a família é vítima de uma tragédia”, admite ele.

Diante dos fatos, o delegado responsável pela investigação, Valdir Tramontini, enviou um relatório à Vara da Infância e Juventude e ao promotor, além de sugerir um exame de sanidade mental na adolescente, para verificar se, na data dos fatos, ela tinha capacidade de discernir sobre os fatos que foram praticados.

O advogado afirmou, inclusive, que a defesa vai reforçar a necessidade de realização desse exame. A partir disso, o promotor de Justiça deverá decidir se arquiva o procedimento ou se faz uma representação contra a adolescente.

Para o delegado, essa situação vai depender do exame pericial de sanidade mental.

“Se eventualmente constatar que ela estava plenamente capaz, aí ela está sujeita a uma internação na Fundação Casa. Pelo contrário, se entender que ela estava relativamente capaz ou absolutamente incapaz de ter esse discernimento, eu acredito que deva ser aplicado a ela uma medida de tratamento ambulatorial ou uma eventual internação em casa de custódia para tratamento psiquiátrico”, explica o delegado.

Exame de corpo de delito
A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Marília (SP) também afirmou que a mãe da adolescente teve que passar por um exame de corpo de delito após o crime, procedimento que serve para comprovar eventuais lesões no corpo de uma pessoa.

Segundo o delegado responsável pelo caso, a polícia apura um segundo “fato grave” que teria acontecido depois da morte do dentista, mas não revela o ocorrido pois o caso segue em segredo de Justiça. De acordo com o advogado de defesa, a mãe também teria sido agredida pela filha no momento do surto, com mordidas e arranhões.

O delegado conta também que a polícia já ouviu 19 pessoas e que, além do exame de corpo de delito, recebeu outros dois laudos para ajudar nas investigações. O laudo pericial local, segundo ele, serve para buscar vestígios no local do crime e comprovar a infração, e o exame necroscópico da vítima fatal, para indicar os ferimentos no corpo do cadáver e identificar a causa da morte.

Dinheiro nas roupas da vítima
No dia do crime, a perícia encontrou R$ 2.154,85 no bolso e R$ 16.550 na cueca de Aloísio Ahnert Tassara.

No entanto, o delegado informou que o dinheiro encontrado não tem qualquer relação com o crime, pois segundo familiares e funcionários da vítima, o dentista tinha o costume de guardar o dinheiro do trabalho na cintura, em uma pochete ou saquinhos. “Não era um fato do dia, há mais de ano ele fazia isso, era corriqueiro”, completa o delegado.

* Colaborou sob a supervisão de Mariana Bonora.

Polícia

Soldador é morto a facadas pelo cunhado em Ibirarema

Crime ocorreu na madrugada deste domingo (23).

Publicado em

Do AssisNews
Cláudio Rigoleto (Foto: Arquivo Pessoal)
Cláudio Rigoleto (Foto: Arquivo Pessoal)

Uma briga na madrugada deste domingo (23), em Ibirarema (SP), resultou no assassinato a facadas do soldador Cláudio Rigoleto, de 44 anos. O crime foi praticado por volta das 5h da manhã, nas imediações do Jardim Silvio Zíglio, onde moram ambos os envolvidos. As informações são do Jornal da Comarca.

De acordo com as primeiras informações, uma viatura da Polícia Militar, que estaria de plantão no recinto do carnaval de Ibirarema, saiu para fazer o atendimento de uma ocorrência em Campos Novos Paulista, quando passou pela rua onde aconteceu a briga e os policiais perceberam a movimentação de pessoas.

Ao se dirigir ao local para verificar o que acontecia, os policias se depararam com uma pequena aglomeração de pessoas, algumas em desespero, e um homem esfaqueando outro na altura da cabeça e do pescoço. Testemunhas tentaram impedir a agressão, mas não conseguiram.

Diante do fato presenciado pelos policiais, o autor do crime, depois identificado como Rodrigo Esperança dos Santos, de 30 anos, foi contido e preso imediatamente. A faca usada para atacar Cláudio Rigoleto, seu cunhado, teria ficado no corpo da vítima.

Para a Polícia, o autor do crime teria dito inicialmente que, ao chegar ao local dos fatos junto com sua namorada, teria presenciado o irmão dela cortando os pneus de seu carro e que, para impedi-lo, foi necessário entrar em luta corporal. Segundo o autor, ele tomou o punhal da vítima e o atacou com golpes na cabeça.

Além de conter e prender o autor das facadas, os policiais acionaram o resgate médico que chegou logo em seguida e constatou a morte de Rigoleto. O local foi isolado para a perícia da Polícia Científica e a médica que compareceu ao local atestou a morte da vítima.

Os policiais encaminharam o autor e as testemunhas até a sede do Grupamento da PM de Ibirarema durante o período em que o local do crime passava por perícia e era definida a unidade policial em que seria apresentada a ocorrência. O corpo de Cláudio foi encaminhado ao IML de Assis para necropsia.

Durante esta manhã, a ocorrência foi apresentada no plantão da Central de Polícia Judiciária de Assis, onde o flagrante ainda era lavrado no início da tarde.

Continue lendo

Polícia

Jovem morre e quatro ficam feridos após carro capotar na volta de festa de carnaval

Grupo voltava de Torrinha quando sofreu o acidente na vicinal que liga Barra Bonita a Mineiros do Tietê. Motorista chegou a ser preso após teste do bafômetro apontar embriaguez, mas foi liberado em audiência de custódia.

Publicado em

Do G1
Carro capotou na vicinal que liga Barra Bonita a Mineiros do Tietê — Foto: Arquivo pessoal
Carro capotou na vicinal que liga Barra Bonita a Mineiros do Tietê — Foto: Arquivo pessoal

Uma jovem de 23 anos morreu após o carro em que ela estava capotar na vicinal que liga Barra Bonita a Mineiros do Tietê (SP) na madrugada deste domingo (23). Maiara Carmargo estava no carro com outras quatro pessoas e o grupo voltava de uma festa de carnaval em Torrinha.

Segundo a Polícia Rodoviária, o carro tinha placas de São Manuel. Uma outra jovem, de 22 anos, foi socorrida em estado grave e levada para Santa Casa de Jaú. Segundo o registro da Polícia Civil, as duas jovens estavam com mais três amigos, quando o motorista perdeu o controle e capotou o carro.

Outros dois passageiros, de 21 e 26, foram socorridos para o Hospital São José de Barra Bonita com ferimentos leves.

Vítima tinha 23 anos e morava em São Manuel — Foto: Facebook/ Reprodução

Vítima tinha 23 anos e morava em São Manuel — Foto: Facebook/ Reprodução

O motorista do carro, de 21 anos, também foi socorrido, ficou em observação e, depois de ser liberado, recebeu voz de prisão porque o bafômetro indicou 0,37 mg de álcool por litro de sangue.

Ele passou por audiência de custódia e vai ser investigado por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, em liberdade.

Carro capotou e uma pessoa morreu na vicinal que liga Mineiros do Tietê a Barra Bonita — Foto: Arquivo pessoal

Carro capotou e uma pessoa morreu na vicinal que liga Mineiros do Tietê a Barra Bonita — Foto: Arquivo pessoal

Continue lendo

Polícia

Suspeito de latrocínio que vitimou aposentado em Rancharia é morto durante abordagem da PM em Iepê

Jonas Campanha da Silva, de 23 anos, foi atingido ao resistir a prisão no Assentamento Nelson Mandela. Ele chegou a ser encaminhado para um hospital, onde o óbito foi constatado.

Publicado em

Do G1
Jonas Campanha da Silva era suspeito de ter cometido o latrocínio contra o aposentado — Foto: Reprodução
Jonas Campanha da Silva era suspeito de ter cometido o latrocínio contra o aposentado — Foto: Reprodução

O suspeito de ter cometido o latrocínio que vitimou um aposentado de 69 anos, em Rancharia (SP), morreu após ser baleado durante uma abordagem da Polícia Militar, na zona rural, em Iepê (SP), na tarde desta sexta-feira (21).

O delegado da Polícia Civil Arlindo Ribeiro Sales informou ao G1 que Jonas Campanha da Silva, de 23 anos, apresentou resistência no momento da abordagem dos militares do 8º Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep) e foi baleado.

Contra ele havia um mandado de prisão temporária de 30 dias, que foi decretado pela Justiça a pedido da Polícia Civil no andamento das investigações do latrocínio.

O documento de identidade de Jonas Campanha da Silva foi encontrado dentro do carro da vítima, segundo Sales.

O delegado da Polícia Civil, em Iepê, Fábio Bonini Ferrão informou à TV Fronteira que a abordagem ocorreu às 17h no Assentamento Nelson Mandela.

Segundo Ferrão, Jonas foi socorrido e encaminhado para o hospital de Rancharia, onde a morte foi constatada.

A investigação sobre o latrocínio prossegue para apurar uma possível co-autoria no crime.

Polícia Militar

Segundo informações da Polícia Militar ao G1, desde o começo da tarde desta sexta-feira (21), o Canil do Baep e outras equipes do batalhão estavam à procura de Jonas Campanha da Silva, pois um morador da área rural de Iepê havia visto o suspeito passando próximo a alguns assentamentos.

As buscas começaram e, em determinado momento, os militares chegaram em um assentamento, onde um morador disse que o suspeito tinha tomado água e havia entrado em um canavial, que fica ao lado de sua casa.

Conforme a PM relatou ao G1, as equipes realizaram diligências, foram agredidas a tiro, os policiais militares revidaram e acertaram o suspeito.

Jonas foi socorrido por uma Unidade de Resgate do Corpo de Bombeiros e encaminhado para o Pronto-socorro de Rancharia, porém, não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital, segundo a PM.

A Polícia Militar detalhou ainda que, após um cão farejador rastreá-lo por duas horas, uma equipe do 8º Baep ouviu barulho vindo do interior de um canavial, quando o jovem efetuou disparos na direção dos policiais, que revidaram atingindo Jonas que caiu no chão.

Além dos militares do Baep, a operação que resultou no cerco ao suspeito ainda contou com o envolvimento do Canil e do Helicóptero Águia da PM, de policiais civis e de guardas municipais.

Wilsom Simionato foi assassinado em Rancharia — Foto: Reprodução/Facebook

Wilsom Simionato foi assassinado em Rancharia — Foto: Reprodução/Facebook

O caso

Um aposentado de 69 anos morreu após ter sido encontrado amarrado e ferido em uma propriedade rural próxima ao Balneário Municipal de Rancharia (SP) na manhã desta quinta-feira (20).

A vítima, que foi identificada como Wilsom Simionato, chegou a ser socorrida e levada ainda com vida e inconsciente ao Hospital e Maternidade de Rancharia, mas não resistiu aos ferimentos e teve a morte confirmada na unidade de saúde.

De acordo com as informações da Polícia Militar, o aposentado saiu de casa de carro, por volta das 6h30, para levar uma neta à escola e não voltou mais.

Com a demora no retorno dele, os familiares acionaram a polícia para comunicar o desaparecimento do homem.

Os familiares relataram à polícia que o homem tinha o hábito de passar por uma padaria da cidade no período da manhã.

Um funcionário de uma propriedade rural entrou em contato com a PM e relatou que havia encontrado o homem amarrado e ferido, com sinais de agressões, na área que fica na altura do km 45 da Rodovia Brigadeiro Eduardo Gomes (SP-457), próximo a uma mata.

Os militares então dirigiram-se ao local e depararam-se com a vítima, que, segundo a polícia, não tinha ferimentos de perfuração no corpo causados por facada ou tiro.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e resgatou a vítima, que acabou encaminhada ao Hospital e Maternidade de Rancharia para receber atendimento médico, por volta das 12h.

No entanto, o aposentado não resistiu aos ferimentos e morreu na unidade de saúde.

O corpo de Wilsom Simionato foi sepultado na tarde desta sexta-feira (21), no Cemitério Municipal de Rancharia.

Latrocínio

A Polícia Civil trabalha com a hipótese de latrocínio o caso. O delegado Arlindo Ribeiro Sales informou ao G1 não foram localizados os documentos e dinheiro que estavam na carteira da vítima. “Mataram ele para roubar”, declarou.

Ainda conforme o delegado, no local onde a vítima foi encontrada não foi localizado nenhum objeto que possa ter sido usado no crime.

Veículo do aposentado foi localizado em Iepê (SP) — Foto: Mateus Tarifa/TV Fronteira

Veículo do aposentado foi localizado em Iepê (SP) — Foto: Mateus Tarifa/TV Fronteira

Carro localizado

O carro da vítima foi localizado pela polícia após o suspeito se envolver em um acidente. O veículo foi recuperado na noite desta quinta-feira (20), mas o suposto autor do crime conseguiu fugir, nas proximidades de Iepê (SP).

O suspeito estava havia pouco tempo fora da prisão, após cumprir pena pelo crime de tráfico de drogas, em Alfenas (MG), segundo Sales.

Uma pedra, que possivelmente tenha sido usada nas agressões que a vítima sofreu, foi localizada no interior do carro, de acordo com Sales. O material foi encaminhado para perícia.

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas