DNA confirma que ossada achada em cafezal era de mulher surda desaparecida na região de Marília

Administrador da fazenda achou os ossos no último dia 22 de março e exames periciais identificaram que pertencem a mulher que havia sumido mais de 20 dias antes. Laudo não apontou lesões.

DNA confirma que ossada achada em cafezal era de surda e muda que estava desaparecida na região de Marília, Thais Julião Righetti — Foto: Facebook/Reprodução
DNA confirma que ossada achada em cafezal era de surda e muda que estava desaparecida na região de Marília, Thais Julião Righetti — Foto: Facebook/Reprodução

A Polícia Civil de Marília (SP) confirmou nesta quarta-feira (27) a identificação da ossada humana encontrada no último dia 22 de março em uma fazenda às margens da rodovia Transbrasiliana (BR-153), em uma estrada vicinal que liga a cidade à zona rural de Ocauçu.

Um teste de DNA comprovou que os restos mortais eram de Thaís Julião Riguette, de 37 anos, que estava desaparecida desde o dia 28 de fevereiro. A mulher, que era surda e não se comunicava por fala, morava sozinha em uma casa no bairro Fragata.

A ossada foi encontrada pelo administrador da Fazenda Santa Ana enquanto ele jogava veneno entre os pés de café da propriedade rural. Roupas femininas foram encontradas próximas ao corpo.

O delegado titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), Valdir Tramontini, afirmou que o laudo necroscópico não apontou lesões. A DIG investigava o desaparecimento da mulher e o encontro da ossada.

Segundo o delegado, a partir da identificação os inquéritos se fundem e a Polícia Civil trabalha para descobrir o que aconteceu.

Ossada humana foi localizada em uma propriedade rural em Marília (Foto: Divulgação)
Tênis e um sutiã foram encontrados ao lado da carcaça humana (Foto: Divulgação)

#MAIS LIDAS DA SEMANA