Dona de casa é vítima do golpe do falso sequestro em Palmital

Vítima fez o depósito de R$ 1 mil em conta de bancária em cidade de Minas Gerais.

Uma dona de casa dona-de-casa de 52 anos foi vítima do golpe do falso sequestro em Palmital (SP) na manhã desta terça-feira (19).

A vítima teria sido contatada via telefone por um criminoso que disse ter sequestrado suas duas filhas e, para não mata-las, exigia dinheiro para o resgate.

O golpista demonstrou ter informações sobre toda a família e até teria passado informações sobre o itinerário que a mulher fez até a Lotérica no centro da cidade, onde fez o depósito de R$ 1 mil em conta de bancária na cidade de Caratinga, em Minas Gerais.

O caso foi registrado na Delegacia da Polícia Civil, que vai apurar os fatos.

Um áudio que circula por redes sociais descreve todo o crime. A vítima atendeu ao telefone fixo de sua residência e, na chamada originada em um número restrito, um homem disse que havia sequestrado suas filhas.

Ele pediu R$ 300 mil de resgate para não mata-las e, enquanto a mulher conversava com o criminoso, havia uma pessoa no fundo gritando e pedindo socorro.

Na sequência, o golpista ligou no celular da dona-de-casa dizendo que tinha todas as informações da família, inclusive descrevendo características físicas das jovens que, na verdade, estavam trabalhando na loja da família no centro da cidade, além  de afirmar, corretamente, que o marido estava no sítio.

O criminoso fez várias ameaças e mandou que ela não desligasse, exigindo o dinheiro para o regate das filhas, pois sabia que o marido era sitiante e tinha como pagar o resgate.

Desesperada, a mulher alegou que iria aguardar a chegada do marido para levantar a quantia exigida, mas o golpista teria pedido que ele pegasse tudo o que tinha e fosse até a lotérica fazer o depósito em conta de agência da Caixa de Caratinga, em Minas Gerais. O nome da correntista beneficiária também foi informado à polícia.

A vítima relatou que acredita ter sido seguida por alguma pessoa quando foi fazer o depósito, pois o golpista teria até feito a descrição da roupa que ela usava e o itinerário de sua residência até a Lotérica, no centro da cidade, pedindo para que não passasse em frente à loja das filhas.

Quando ela cruzou com uma viatura da PM, o criminoso fez alerta para que não apresentasse nervosismo que chamasse atenção e que simulasse estar falando com uma das filhas.

O golpista disse ainda que a conta do depósito seria de uma advogada e que o dinheiro seria usado o dinheiro para pagar a cirurgia de um amigo que estava no hospital.

A empregada da casa percebeu que a patroa saiu desesperada e fez contato com as filhas da mulher, que saíram atrás da mãe e a localizaram na lotérica logo depois do depósito.

As vítimas foram até a agência da Caixa para tentar bloquear a operação, mas receberam informações de que o saque já havia sido feito.

O criminoso teria ligado outras duas vezes fazendo ameaças e exigindo mais dinheiro. Os membros da família, por medida de segurança, tiveram de deligar todos os telefones.

A vítima, que é diabética e passou mal devido ao estresse, compareceu à Delegacia de Palmital para registrar o crime.

A equipe da Polícia Civil informou que, nesta semana, foram registrados outros dois casos semelhantes na cidade.

Em áudio divulgado em redes sociais, uma das filhas disse que o criminoso alegou ser de uma facção criminosa que atua no Estado de São Paulo e que os golpes do falso sequestro seriam ações para vingar as mortes ocorridas durante confronto com a PM na semana passada.

#MAIS LIDAS DA SEMANA