Fique conectado

Polícia

Professor da Unesp é esfaqueado e diz ter sido vítima de racismo no Dia da Consciência Negra: ‘Fui chamado de macaco’

Segundo a PM, confusão entre o docente do curso de jornalismo no campus de Bauru (SP) e um homem aconteceu em um supermercado. Vítima sofreu dois cortes e caso será investigado.

Publicado em

763

Em frente ao Plantão da Polícia Civil, o professor da Unesp mostra a camisa ensanguentada pelos golpes que recebeu — Foto: TV TEM/Reprodução

Em frente ao Plantão da Polícia Civil, o professor da Unesp mostra a camisa ensanguentada pelos golpes que recebeu — Foto: TV TEM/Reprodução

Um professor do curso de jornalismo da Unesp no campus de Bauru (SP) relatou nas redes sociais que foi atacado a golpes de canivete na tarde desta quarta-feira (20) durante uma confusão nas proximidades um supermercado da cidade. Juarez Xavier ainda revelou sua revolta pelo fato de, no Dia da Consciência Negra, ter sido chamado de “macaco” por seu agressor.

Segundo a Polícia Militar, o desentendimento aconteceu entre o professor e um homem que, segundo a PM, estaria “aparentemente embriagado”.

Na discussão, ainda de acordo com a PM, o homem teria feito ofensas de cunho raciais ao professor, que é negro, e os dois entraram em luta corporal.

Durante a briga, o homem sacou de um canivete e desferiu dois golpes contra o professor, que foi atingido no ombro e no braço. Sua camisa acabou ensanguentada.

De acordo com o relato da PM, o professor sofreu ferimentos superficiais. Já o suspeito das agressões, que inicialmente foi contido por pessoas que viram a confusão, acabou preso por policiais militares que estavam na região. Ele foi encaminhado para o plantão da Polícia Civil, onde a ocorrência está sendo registrada.

O professor foi encaminhado para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) da Núcleo Geisel, onde recebeu pontos nos dois cortes que sofreu. Depois, ele seguiu para a delegacia para fazer a denúncia das agressões.

Professor Juarez Xavier é coordenador do Núcleo Negro Unesp para a Pesquisa e Extensão — Foto: TV TEM/Reprodução

Professor Juarez Xavier é coordenador do Núcleo Negro Unesp para a Pesquisa e Extensão — Foto: TV TEM/Reprodução

Vítima de racismo
O professor Juarez Xavier é militante do movimento negro. Com mestrado e doutorado pela USP, ele é professor da Unesp Bauru e coordenador do Núcleo Negro Unesp para a Pesquisa e Extensão (Nupe).

Ao G1, ele relatou sobre preconceito que sofreu quando era aluno e também quando teve sua primeira experiência de ser vítima de racismo como professor, em 2015. A frase “Juarez macaco” foi achada em um dos banheiros da Unesp Bauru.

Na época, segundo o professor, o que mais marcou foi o fato de que as pichações foram achadas no banheiro contra ele e também contra mulheres negras.

“Foi a covardia do ato que me marcou. Pichação no banheiro da universidade, com ofensas extensivas às ou aos estudantes e ao pessoal da limpeza. A forma vil e agressiva contra mulheres simples, trabalhadoras braçais”, afirmou na época.

Após as pichações, uma comissão de professores na Unesp foi formada para investigar as frases encontradas no banheiro. Os professores ouviram algumas pessoas durante quatro meses, mas não identificaram os autores.

Mensagens racistas foram escritas em um banheiro da Unesp em Bauru — Foto: Juarez Tadeu de Paula Xavier / Arquivo pessoal

Mensagens racistas foram escritas em um banheiro da Unesp em Bauru — Foto: Juarez Tadeu de Paula Xavier / Arquivo pessoal

Polícia

Polícia prende suspeito de matar jovem transexual e deixar corpo às margens de rodovia

Segundo a polícia, a jovem de 23 anos era garota de programa e o suspeito seria um cliente. Em depoimento, ele confessou o crime e disse que matou a vítima por asfixia após ela tentar extorqui-lo.

Publicado em

Do G1
Morador encontra corpo de jovem transexual em propriedade rural de Marília — Foto: Facebook/Reprodução
Morador encontra corpo de jovem transexual em propriedade rural de Marília — Foto: Facebook/Reprodução

A Polícia Civil de Marília (SP) prendeu na tarde desta terça-feira (10) um homem de 44 anos suspeito de matar uma jovem transexual. O corpo de Marcelle Brandina, como era conhecida, foi encontrado na altura do quilômetro 348 da Rodovia Rachid Rayes (SP-333) por uma pessoa que colhia mangas na região.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Valdir Tramontini, a vítima era garota de programa e o suspeito seria um cliente dela.

Ainda de acordo com as investigações, os dois se encontraram em um hotel em Vera Cruz na tarde de segunda-feira (9) e homem, que confessou o crime durante depoimento na delegacia, disse que matou Marcelle por asfixia, com um golpe mata-leão, após ela tentar extorqui-lo.

A Polícia Militar e a perícia técnica haviam informado, após o corpo ser encontrado, que havia um ferimento possivelmente causado por tiro nas costas, no entanto, não foi confirmado no exame necroscópico, que apontou a causa da morte por asfixia.

O delegado informou ainda que o homem não tem passagem pela polícia. Ele foi encontrado em uma área rural na região de Marília e tentava suicídio, mas foi impedido pelos policiais.

Ainda segundo Tramontini, a vítima foi morta no hotel e depois o suspeito levou o corpo até a propriedade rural às margens da rodovia.

Corpo foi encontrado às margens de rodovia em Marília — Foto: Arquivo pessoal

Corpo foi encontrado às margens de rodovia em Marília — Foto: Arquivo pessoal

O homem também retornou o hotel para pegar o carro de Marcelle, que foi localizado próximo ao Samu em Marília. Ele teve a prisão temporária decretada e foi encaminhado para a cadeia pública de São Pedro do Turvo.

A família da jovem chegou a procurar a polícia para informar o desaparecimento dela. Contudo, quando os familiares chegaram à delegacia de Tupã, onde moram, foram informados sobre a morte dela.

Continue lendo

Polícia

Corpo de jovem é encontrado com tiro nas costas próximo à SP-333

Vítima foi encontrada por homem que colhia mangas na região. Segundo a polícia, corpo foi encontrado sem sinais de decomposição, o que levanta a suspeita de que ela foi morta há pouco tempo.

Publicado em

Do G1
Morador encontra corpo de jovem transexual em propriedade rural de Marília — Foto: Facebook/Reprodução
Morador encontra corpo de jovem transexual em propriedade rural de Marília — Foto: Facebook/Reprodução

Um morador encontrou o corpo de uma jovem transexual, de 23 anos, em uma propriedade rural próxima a Rodovia Rachid Rayes (SP-333), na manhã desta terça-feira (10), em Marília (SP).

Segundo a Polícia Rodoviária, o corpo de Marcelle Brandina, como era conhecida, foi encontrado na altura do quilômetro 348 da rodovia, por uma pessoa que colhia mangas na região.

A Polícia Militar informou que a vítima tinha uma marca de tiro no lado esquerdo das costas e o corpo foi encontrado sem sinais de decomposição, o que levanta a suspeita de que ela foi morta há pouco tempo.

A família da jovem foi até a Central de Polícia Judiciária de Tupã (SP), durante a manhã, para registrar o desaparecimento dela.

Segundo a polícia, quando os parentes estavam na delegacia, receberam a informação de que ela foi encontrada morta em Marília. A Polícia Civil investiga o caso.

Continue lendo

Polícia

Homem morto em acidente em Palmital é identificado

Vítima tinha 46 anos e era morador de Campos Novos Paulista.

Publicado em

Do Jornal da Comarca
Vinicius dos Santos Francisco, de 46 anos, era morador de Campos Novos (Foto: Arquivo Pessoal)

O motociclista Vinicius dos Santos Francisco, de 46 anos, morreu no início da tarde desta segunda-feira (09) em acidente na rodovia Nelson Leopoldino, em Palmital (SP). Ele era morador de Campos Novos Paulista e pilotava uma moto que se chocou contra uma caminhonete no trevo de acesso à Raposo Tavares. Devido à violência do impacto, teve morte no local. Seu irmão Rosemiro Aparecido Francisco, de 40 anos, estava na garupa e sofreu ferimentos leves.

Segundo informações policiais, o acidente ocorreu por volta do meio-dia, quando a picape VW Saveiro utilizava a alça do quilômetro 418 da Raposo Tavares para entrar na Nelson Leopoldino, em sentido a Palmital. A Yamaha Fazer 250 com os dois irmãos veio de Campos Novos Paulista pela pista oposta e havia passado por baixo do viaduto.

De acordo com registros da polícia, que ainda vai apurar as circunstâncias do acidente, a picape teria entrado na pista da Nelson Leopoldino, sendo atingida na lateral dianteira direita pela moto. A Saveiro, que pertence a uma empresa do município, era conduzido por um motorista de 23 anos que estava acompanhado de um colega de trabalho.

Com a violência da batida, os dois irmãos foram jogados ao solo. Vinicius teve lesões fatais e foi a óbito no local. O corpo da vítima foi levado para o IML de Assis, para necropsia. Posteriormente. Rosemiro foi socorrido pelo Samu até o Pronto-Socorro da Santa Casa de Misericórdia de Palmital. Ele sofreu fratura em uma das pernas e ferimentos de natureza leve, não correndo risco de morte.

A Polícia Rodoviária Estadual fez o primeiro atendimento à ocorrência e acionou a Polícia Civil, que fez a qualificação das partes e acionou o Instituto de Criminalística de Assis, que realizou a perícia no local. Vinicius era casado e deixou três filhos e dois netos.

Motociclista morre em acidente em rodovia de Palmital (Foto: Jornal da Comarca)

Motociclista morre em acidente em rodovia de Palmital (Foto: Jornal da Comarca)

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas