Fique conectado

Polícia

Justiça aceita pedido de exame de sanidade mental em adolescente suspeita de matar o pai a facadas

Jovem que teria cometido o crime durante um surto psicótico e outras 12 testemunhas foram ouvidas em audiência realizada na sexta-feira (29). Crime aconteceu em setembro, em Marília (SP).

Publicado em

491

A adolescente suspeita de matar o pai a facadas em Marília (SP) passou por audiência nesta sexta-feira (29), no Fórum. Durante a sessão, a Justiça aceitou o pedido de exame de sanidade mental na jovem.

Segundo o advogado de defesa da adolescente, Fábio Ricardo Rodrigues dos Santos, enquanto o exame não é realizado, o processo está suspenso e a jovem aguarda em liberdade. Ela tinha 17 anos no dia do crime e o caso é acompanhado pela promotoria da Vara da Infância e Juventude.

“Foram ouvidas 12 testemunhas dos fatos e, agora, a gente pela defesa, entrou com um incidente de insanidade mental, que visa comprovar que, no momento do desenrolar dos fatos, ela não tinha consciência da ilicitude, e o processo então está suspenso para a realização desse exame”, explica o advogado.

O crime aconteceu no dia 23 de setembro deste ano e, desde então, a adolescente estava internada na ala psiquiátrica do Hospital das Clínicas. No final de outubro, a jovem recebeu alta e foi ouvida pelo Ministério Público.

O dentista Aloisio Ahnert Tassara foi encontrado morto na sala de casa com ferimentos de faca. A filha dele foi localizada logo depois em cima do telhado de uma casa vizinha com uma faca na mão. Por estar em surto, a jovem foi levada para o hospital.

Em entrevista ao G1 no começo de outubro, o advogado de defesa da adolescente disse que a jovem estava passando por tratamento psiquiátrico e que, provavelmente, ela sofre de esquizofrenia paranoide, apesar de não ter o diagnóstico fechado.

Investigação
Segundo as investigações, a jovem é apontada como a principal suspeita do crime. Ela foi ouvida no dia 1º de outubro dentro do Hospital das Clínicas pela equipe da Delegacia de Investigações Gerais e teria detalhado o que aconteceu no dia dos fatos.

De acordo com o advogado de defesa da adolescente, a polícia já tinha tentado ouvi-la anteriormente, mas ela não conseguiu prestar depoimento pois estava em crise. Naquela vez, o médicos atestaram, inclusive, que ela não tinha condições de depor.

Neste depoimento, a jovem respondeu às perguntas acompanhada de médicos e o questionamento teve que ser interrompido diversas vezes por conta da condição que ela estava, de acordo com o advogado. “Ela também é vítima, toda a família é vítima de uma tragédia”, admite ele.

O delegado responsável pelo caso, Valdir Tramontini, enviou um relatório à Vara da Infância e Juventude e ao promotor, além de sugerir o exame de sanidade mental na adolescente.

A jovem recebeu alta e foi ouvida pelo Ministério Público no dia 25 de outubro. No dia 7 de novembro, o promotor fez uma representação contra a adolescente. Desde então, duas audiências foram marcadas, uma no início do mês, de apresentação, e esta de sexta-feira (29).

Agora, a jovem aguarda a realização do exame de sanidade mental, que ainda não tem data marcada. A partir disso, o juiz vai decidir sobre a continuidade do processo.

Exame de corpo de delito
A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Marília (SP) também afirmou que a mãe da adolescente teve que passar por um exame de corpo de delito após o crime, procedimento que serve para comprovar eventuais lesões no corpo de uma pessoa.

Segundo o delegado responsável pelo caso, a polícia apura um segundo “fato grave” que teria acontecido depois da morte do dentista, mas não revela o ocorrido pois o caso segue em segredo de Justiça. De acordo com o advogado de defesa, a mãe também teria sido agredida pela filha no momento do surto, com mordidas e arranhões.

Dinheiro nas roupas da vítima
No dia do crime, a perícia encontrou R$ 2.154,85 no bolso e R$ 16.550 na cueca de Aloísio Ahnert Tassara.

No entanto, o delegado informou que o dinheiro encontrado não tem qualquer relação com o crime, pois segundo familiares e funcionários da vítima, o dentista tinha o costume de guardar o dinheiro do trabalho na cintura, em uma pochete ou saquinhos. “Não era um fato do dia, há mais de ano ele fazia isso, era corriqueiro”, completa o delegado.

Polícia

Polícia apreende celulares e eletrônicos sem nota fiscal com trio em rodovia de Florínea

Um homem e duas mulheres foram abordados na SP-333, em Florínea (SP), com material vindo do Paraguai escondido no para-choque e no painel. Eles foram levados para PF e liberados.

Publicado em

Do G1
A maior parte da apreensão foi de aparelhos celulares, 42 no total; havia também perfumes e componentes de computador — Foto: Polícia Rodoviária/Divulgação
A maior parte da apreensão foi de aparelhos celulares, 42 no total; havia também perfumes e componentes de computador — Foto: Polícia Rodoviária/Divulgação

Três pessoas foram detidas e levadas para a Polícia Federal (PF) de Marília (SP) após serem surpreendidas na rodovia Miguel Jubran (SP-333), na noite desta terça-feira (10), com material eletrônico sem nota fiscal escondido no carro.

A abordagem aconteceu no km 450 da rodovia, em Florínea (SP), onde policiais pararam um veículo com placas de Foz do Iguaçu (PR).

Segundo a polícia, o motorista de 41 anos apresentou nervosismo e durante fiscalização foi encontrado o material ilegal escondido no painel e no para-choque do veículo.

No total, foram apreendidos 42 aparelhos celulares, seis perfumes, 470 cartões de memória e uma placa para computador, todos vindos do Paraguai e sem nota fiscal.

Além do motorista, no carro estavam duas mulheres, de 32 e 34 anos. O trio e o material foram encaminhados para a PF. As três pessoas que estavam no carro foram indiciadas por descaminho, ouvidas e liberadas.

Policial durante revista ao veículo que tinha produtos sem nota fiscal escondidos dentro do para-choque — Foto: Polícia Rodoviária/Divulgação'

Policial durante revista ao veículo que tinha produtos sem nota fiscal escondidos dentro do para-choque — Foto: Polícia Rodoviária/Divulgação

Continue lendo

Polícia

Idoso morre após passar mal durante golpe de falso sequestro em Marília

Filho da vítima relatou à polícia que criminosos pediram R$ 5 mil para libertar sua irmã. Idoso ficou inconsciente no carro, quando os dois iam fazer a transferência, e parte do dinheiro foi depositada.

Publicado em

Do G1

A Polícia Civil investiga as circunstâncias da morte de um idoso de 66 anos que passou mal após ser vítima de um golpe de falso sequestro em Marília (SP). O filho de Luiz Antonio Lopes registrou um boletim de ocorrência de extorsão na terça-feira (10).

De acordo com o registro da Polícia Civil, o filho do idoso contou aos policiais que, no dia 1º de dezembro, seu pai havia recebido uma ligação, na qual criminosos diziam que tinham sequestrado a filha dele. Para libertá-la, a vítima precisaria fazer uma transferência de R$ 5 mil.

Após a ligação, pai e filho foram de carro até a agência bancária para fazer o depósito, mas no meio do caminho, o idoso passou mal e perdeu a consciência. Segundo a polícia, neste momento, o filho pegou o celular e começou a falar com um dos dois criminosos, que se identificou como integrante de uma facção criminosa.

Ainda de acordo com o boletim de ocorrência, o filho levou o idoso ao pronto-socorro e continuou andando de carro pela cidade. Pelo celular, ele fez duas transferências para os criminosos, de R$ 2 mil e de R$ 1,7 mil.

Depois das transferências, segundo o homem relatou à polícia, um parente conseguiu entrar em contato com a filha do idoso, que informou que não tinha sido sequestrada.

No entanto, o idoso que foi levado ao pronto-socorro não resistiu ao “trauma que sofreu”, segundo o boletim de ocorrência, e morreu devido a um infarto.

Continue lendo

Polícia

Motociclista atropela criança na faixa de pedestre e foge sem prestar socorro em Assis

Menina de 11 anos sofreu fraturas e passará por cirurgia; caso aconteceu em frente a uma escola na Vila Triangulo.

Publicado em

Do AssisNews
Motociclista atropela criança na faixa de pedestre e foge sem prestar socorro em Assis (Foto: Google Street)

Uma menina de 11 anos sofreu fraturas pelo corpo após ser atropelada por um motociclista enquanto atravessava a faixa de pedestre por volta das 17h20 desta terça-feira (10).

O caso aconteceu em frente a escola Maria Amélia Castro Burali, na Vila Triangulo em Assis (SP).

A vítima foi socorrida por uma unidade de resgate do Corpo de Bombeiro e levada à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Assis. Ela sofreu fraturas e passará por cirurgias.

O motociclista, que pilotava uma Honda/CG Titan 150, fugiu do local sem prestar socorro a vítima.

A Polícia vai investigar o caso.

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas