Fique conectado

Polícia

Justiça aceita pedido de exame de sanidade mental em adolescente suspeita de matar o pai a facadas

Jovem que teria cometido o crime durante um surto psicótico e outras 12 testemunhas foram ouvidas em audiência realizada na sexta-feira (29). Crime aconteceu em setembro, em Marília (SP).

Publicado em

537

A adolescente suspeita de matar o pai a facadas em Marília (SP) passou por audiência nesta sexta-feira (29), no Fórum. Durante a sessão, a Justiça aceitou o pedido de exame de sanidade mental na jovem.

Segundo o advogado de defesa da adolescente, Fábio Ricardo Rodrigues dos Santos, enquanto o exame não é realizado, o processo está suspenso e a jovem aguarda em liberdade. Ela tinha 17 anos no dia do crime e o caso é acompanhado pela promotoria da Vara da Infância e Juventude.

“Foram ouvidas 12 testemunhas dos fatos e, agora, a gente pela defesa, entrou com um incidente de insanidade mental, que visa comprovar que, no momento do desenrolar dos fatos, ela não tinha consciência da ilicitude, e o processo então está suspenso para a realização desse exame”, explica o advogado.

O crime aconteceu no dia 23 de setembro deste ano e, desde então, a adolescente estava internada na ala psiquiátrica do Hospital das Clínicas. No final de outubro, a jovem recebeu alta e foi ouvida pelo Ministério Público.

O dentista Aloisio Ahnert Tassara foi encontrado morto na sala de casa com ferimentos de faca. A filha dele foi localizada logo depois em cima do telhado de uma casa vizinha com uma faca na mão. Por estar em surto, a jovem foi levada para o hospital.

Em entrevista ao G1 no começo de outubro, o advogado de defesa da adolescente disse que a jovem estava passando por tratamento psiquiátrico e que, provavelmente, ela sofre de esquizofrenia paranoide, apesar de não ter o diagnóstico fechado.

Investigação
Segundo as investigações, a jovem é apontada como a principal suspeita do crime. Ela foi ouvida no dia 1º de outubro dentro do Hospital das Clínicas pela equipe da Delegacia de Investigações Gerais e teria detalhado o que aconteceu no dia dos fatos.

De acordo com o advogado de defesa da adolescente, a polícia já tinha tentado ouvi-la anteriormente, mas ela não conseguiu prestar depoimento pois estava em crise. Naquela vez, o médicos atestaram, inclusive, que ela não tinha condições de depor.

Neste depoimento, a jovem respondeu às perguntas acompanhada de médicos e o questionamento teve que ser interrompido diversas vezes por conta da condição que ela estava, de acordo com o advogado. “Ela também é vítima, toda a família é vítima de uma tragédia”, admite ele.

O delegado responsável pelo caso, Valdir Tramontini, enviou um relatório à Vara da Infância e Juventude e ao promotor, além de sugerir o exame de sanidade mental na adolescente.

A jovem recebeu alta e foi ouvida pelo Ministério Público no dia 25 de outubro. No dia 7 de novembro, o promotor fez uma representação contra a adolescente. Desde então, duas audiências foram marcadas, uma no início do mês, de apresentação, e esta de sexta-feira (29).

Agora, a jovem aguarda a realização do exame de sanidade mental, que ainda não tem data marcada. A partir disso, o juiz vai decidir sobre a continuidade do processo.

Exame de corpo de delito
A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Marília (SP) também afirmou que a mãe da adolescente teve que passar por um exame de corpo de delito após o crime, procedimento que serve para comprovar eventuais lesões no corpo de uma pessoa.

Segundo o delegado responsável pelo caso, a polícia apura um segundo “fato grave” que teria acontecido depois da morte do dentista, mas não revela o ocorrido pois o caso segue em segredo de Justiça. De acordo com o advogado de defesa, a mãe também teria sido agredida pela filha no momento do surto, com mordidas e arranhões.

Dinheiro nas roupas da vítima
No dia do crime, a perícia encontrou R$ 2.154,85 no bolso e R$ 16.550 na cueca de Aloísio Ahnert Tassara.

No entanto, o delegado informou que o dinheiro encontrado não tem qualquer relação com o crime, pois segundo familiares e funcionários da vítima, o dentista tinha o costume de guardar o dinheiro do trabalho na cintura, em uma pochete ou saquinhos. “Não era um fato do dia, há mais de ano ele fazia isso, era corriqueiro”, completa o delegado.

Polícia

Casal é preso em Florínea com 64 tabletes de maconha escondidos em carro

No total, 31 quilos da droga foram apreendidos na operação contra o tráfico da Polícia Rodoviária.

Publicado em

Do G1
Casal é preso com 64 tabletes de maconha na caixa de ar do carro em Florínea — Foto: Divulgação/Polícia Rodoviária
Casal é preso com 64 tabletes de maconha na caixa de ar do carro em Florínea — Foto: Divulgação/Polícia Rodoviária

Um casal foi preso em flagrante transportando dezenas de tabletes de maconha escondidas em um carro na Rodovia Miguel Jubran, em Florínea (SP). A prisão foi feita na tarde de quinta-feira (23).

Segundo a Polícia Rodoviária, o casal, de 20 e 26 anos, foi abordado em uma operação contra o tráfico de drogas pela rodovia e apresentou certo nervosismo, o que levantou suspeitas da equipe.

Ao vistoriar o carro, os policiais encontraram na caixa de ar do veículo, próximo a uma das rodas, 64 tabletes de maconha, totalizando 31 quilos da droga.

Os tijolos de maconha foram apreendidos e levados à delegacia, juntamente com o casal. Eles foram presos por tráfico de drogas e levados à Cadeia Pública de Lutécia (SP).

Continue lendo

Polícia

Igreja da comunidade São Francisco é furtada em Cândido Mota

Em menos de um mês, três templos católicos são furtados e vandalizados no município.

Publicado em

De O Diário do Vale
Igreja da comunidade São Francisco é furtada em Cândido Mota (Foto: Reprodução/O Diário do Vale)

Igreja da comunidade São Francisco é furtada em Cândido Mota (Foto: Reprodução/O Diário do Vale)

O furto e o vandalismo de igrejas estão causando preocupação aos religiosos em Cândido Mota (SP). Na madrugada desta quinta-feira (23), a Polícia Civil do município registrou o terceiro crime contra os templos em menos de um mês. Uma porta lateral da igreja São Francisco, no jardim São Francisco, foi estourada, e além de vandalizar o local quebrando gavetas e deixando objetos espalhados pelo chão, os bandidos quebraram o Sacrário e fugiram levando microfones e objetos de metal.

Na madrugada do dia 11, a igreja matriz de Cândido Mota já havia sido alvo de furto e vandalismo. Após entrar pela nave central, quebrando uma das janelas laterais, o bandido furtou uma quantia em dinheiro e deixou vários objetos quebrados. No dia 17, o alvo da vez foi a igreja da comunidade São José, na vila Pires. Após entrarem pelo teto, bandidos furtaram uma TV pertencente à catequese, além de microfones e até um cálice.

“Graças a Deus, em todos os casos ninguém ficou ferido e não mexeram nas hóstias consagradas”, disse frei Décio Pacheco, pároco em Cândido Mota.

Investigação
Segundo o delegado titular em Cândido Mota, Gustavo Barbosa de Siqueira, a Polícia Civil está adotando todas as medidas de investigação, não descartando nenhuma linha de apuração. “Os investigadores irão analisar o material coletado a respeito e verificar o quanto antes o responsável pelos crimes para a sua responsabilização”, disse o delegado.

Igreja da comunidade São Francisco é furtada em Cândido Mota (Foto: Reprodução/O Diário do Vale)

Igreja da comunidade São Francisco é furtada em Cândido Mota (Foto: Reprodução/O Diário do Vale)

Igreja da comunidade São Francisco é furtada em Cândido Mota (Foto: Reprodução/O Diário do Vale)

Igreja da comunidade São Francisco é furtada em Cândido Mota (Foto: Reprodução/O Diário do Vale)

Igreja da comunidade São Francisco é furtada em Cândido Mota (Foto: Reprodução/O Diário do Vale)

Igreja da comunidade São Francisco é furtada em Cândido Mota (Foto: Reprodução/O Diário do Vale)

Igreja da comunidade São Francisco é furtada em Cândido Mota (Foto: Reprodução/O Diário do Vale)

Igreja da comunidade São Francisco é furtada em Cândido Mota (Foto: Reprodução/O Diário do Vale)

Continue lendo

Polícia

Criança de Ipaussu é internada com suspeita de febre maculosa

Secretaria da Saúde aguarda os resultados dos exames para confirmar diagnóstico. Na mesma cidade, uma criança de 11 anos morreu com a suspeita da mesma doença na última segunda-feira (20).

Publicado em

Do G1
Criança de Ipaussu é internada com suspeita de febre maculosa

Uma criança de 8 anos, moradora de Ipaussu (SP), foi internada na Santa Casa de Ourinhos (SP) com suspeita de febre maculosa.

Em nota, o hospital informou que a criança segue na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em estado grave, mas consciente.

Na última segunda-feira (20), um menino de 11 anos morreu na Santa Casa de Ipaussu com suspeita de febre maculosa. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a morte foi confirmada duas horas depois que ele chegou no hospital.

Os casos estão sendo investigados e a Secretaria da Saúde aguarda os resultados de exames pra confirmar as causas.

Nesta quarta-feira (22), o lago municipal de Ipaussu foi interditado pela prefeitura como medida preventiva contra a doença.

A Prefeitura de Ipaussu informou está oferecendo todo o suporte necessário às famílias e que medidas de combate à febre maculosa estão sendo tomadas em relação ao manejo das capivaras, que são os animais hospedeiros do carrapato estrela, transmissor da doença.

Continue lendo
WhatsAssp AssisNews
Publicidade

FaceNews

Mais lidas