Odair Donizeti de Oliveir (Foto: Arquivo Pessoal)
Odair Donizeti de Oliveir (Foto: Arquivo Pessoal)

Menos de 72 horas depois do assassinato do agenciador de jogadores de futebol Odair Donizete de Oliveira, o Dairzinho, de 43 anos, a equipe da Polícia Civil de Palmital (SP), comandada pelo delegado Giovanni Bertinatti, identificou e prendeu o autor do homicídio.

A prisão aconteceu no começo da noite desta quarta-feira (04), quando o autor foi conduzido à Delegacia de Polícia, confessou o crime e apresentou a arma usada para matar o agenciador.

Polícia Civil de Palmital identifica e prende assassino de Dairizinho
Polícia Civil de Palmital identifica e prende assassino de Dairizinho

O crime, de grande repercussão na região, foi praticado na noite de domingo, 01, quando Dairizinho estava na casa de uma tia, na Rua Laudelino Batista da Rocha, no Jardim Paulista, e foi chamado à rua. Quando chegou no quintal da residência, cujo portão estava aberto, recebeu um tiro na altura do pescoço e morreu na hora.

O autor do homicídio, que teria chegado e fugido a pé da cena do crime, estava foragido e sem identificação, quando a equipe da Polícia Civil iniciou investigações para elucidação do caso.

Segundo o Delegado Giovanni, a identificação do autor do crime já foi feita na segunda-feira, quando foi pedida sua prisão à Justiça. Colhendo informações, fazendo diligências e mantendo contato com a família, foi iniciado um processo de negociação que culminou com a prisão do trabalhador rural J.A.N, de 32 anos, morador no bairro Água do Capixingui, em Palmital.

Depois de permanecer foragido na região de Marília, o autor do homicídio voltou para casa na tarde desta quarta-feira, quando foi conduzido à Delegacia de Polícia de Palmital e entregou a arma do crime, um revólver calibre 22.

Em depoimento ao delegado, na presença de seu advogado, o rapaz confessou o crime e alegou que a motivação teria sido vingança, pois Dairzinho teria assediado seu filho de 10 anos, que joga futebol, e também “mexido” com sua companheira.

No relato que fez à Polícia, o rapaz disse que não conhecia a vítima, que nunca teve contato pessoal, que sabia apenas de sua “fama” e que soube do assédio há cerca de um mês, quando o menino relatou os fatos e a mulher também contou sobre as investidas que teriam partido de Dairzinho.

No depoimento, o autor do crime disse que ficou muito transtornado com a revelação, que os detalhes não saiam de sua cabeça e que, como soube que Dairzinho estava naquela casa no domingo, decidiu praticar a vingança de morte, que acabou se consumando.

O autor do homicídio foi autuado na Delegacia de Polícia de Palmital por homicídio doloso, com agravante do fator surpresa e impossibilidade de defesa da vítima e pelo porte ilegal de arma, cujas penas somadas podem chegar a 34 anos de reclusão. Depois do depoimento, ele foi conduzido ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Lutécia, onde deve permanecer em prisão temporária de 30 dias.

O Delegado Bertinatti disse que o autor não possui antecedentes criminais, que jamais teve qualquer envolvimento com ilícitos, seja como menor ou depois de completar a maioridade, e que o homicídio de domingo foi o primeiro caso envolvendo seu nome.

O Delegado de Palmital comentou também a sucessão de homicídios e de ocorrências graves registradas na cidade este ano, que já somam sete homicídios, superando até mesmo o número de suicídios, que chegaram a cinco. “Estamos com muito trabalho e atuando com uma equipe reduzida, mas felizmente conseguimos elucidar todos os casos registrados até agora, com 100% de esclarecimento dos homicídios”, finalizou.

Assine nossa newsletter

Receba as notícias do AssisNews diretamente em seu email.

VOCÊ PODE GOSTAR

Grave acidente deixa vítima fatal e uma gravemente ferida

Acidente foi registrado na noite deste domingo, dia 19

Tabletes de crack e de maconha, além de revólver municiado são apreendidos pelo 8º Baep

Cinco homens acabaram presos por tráfico de drogas em duas ocorrências.