Vítima de atropelamento em Paraguaçu concedeu entrevista há 3 anos falando do perigo do local

Ela relatou na reportagem do medo que tinha de ser atropelada ao cruzar a pista da Rodovia Manílio Gobbi.

Maria Aparecida de Oliveira concedendo entrevista à TV Tem há cerca de três anos

Mulher que morreu atropelada em Paraguaçu Paulista (SP) concedeu entrevista há 3 anos falando do perigo do local

Coincidência ou um aviso do destino? Não sabemos! Mas o que a senhora Maria Aparecida sabia era que a travessia que fazia diariamente para seguir do seu bairro aos outros de Paraguaçu Paulista poderia tirar a sua vida, e foi isso o que aconteceu.

No dia 26 de dezembro de 2017, Maria Aparecida Oliveira, na época com de 53 anos, concedeu entrevista à TV Tem, afiliada da Rede Globo, falando do medo que tinha de cruzar a Rodovia Manílio Gobbi para sair do seu bairro, Dona Lina Leuzzi, para ir aos demais bairros de Paraguaçu Paulista, pois no local não há passarela para pedestres ou outros dispositivos de segurança. Clique aqui para assistir a reportagem completa.

“Eu não tenho força muito nas pernas mais. Aí eu tenho medo de cair no meio da rua e o carro me pegar”, relatou a moradora Maria Aparecida.

Quase três anos depois, no último dia 17, o que a senhora mais temia aconteceu. Ela foi atropelada por um carro ao cruzar a rodovia para ir à igreja. Ela não resistiu ao impacto da batida e morreu ainda no local.

Os bairros Dona Lina Leuzzi e Parque das Nações ficam à beira da Rodovia Manílio Gobbi. Os moradores têm acesso a posto de saúde, escola, supermercado, lojas, entre outros, apenas cruzando a pista.

Desde a inauguração dos bairros, moradores reivindicam a Prefeitura Municipal uma passarela de pedestres e outros dispositivos de segurança, como redutor de velocidade e radar.

O I7Notícia conversou com o Cel. Hipólito, diretor de Segurança, Trânsito e Transporte da Prefeitura Municipal, que nos explicou que a construção de uma passarela ou qualquer outro dispositivo de segurança naquele local ou em qualquer outra rodovia é de responsabilidade do Estado.

“Aquele local é competência estadual, do DER – Departamento de Estradas e Rodagem. Agora tem uma concessionária que vai desenvolver um projeto de duplicação. Desde o início da atual gestão, estamos preocupados com a segurança. Já foram solicitadas passarela, redutor de velocidade e lombada. Nós pontuamos que realmente o local é perigoso. O que caberia ao município fazer, o município fez, que é solicitar e indicar o risco que ali ocorre, para que o DER tome as providências devidas, mas infelizmente ocorreu este atropelamento fatal, um resultado que ninguém queria”, explicou o diretor.

Cel. Hipólito disse ainda que a Rodovia Manílio Gobbi será, em breve, duplicada, e que no projeto há a construção da passarela para os pedestres terem acesso aos bairros Lina Leuzzi e Parque das Nações, porém, a execução da obra levará ainda algum tempo.

#MAIS LIDAS DA SEMANA