Artesp fiscaliza situação do transporte intermunicipal durante a pandemia na região de Assis

Fiscais revisaram documentação, itens de segurança e protocolos de higiene por causa do coronavírus. Um ônibus ficou detido e outros dois veículos foram multados.

Artesp fiscaliza situação do transporte interurbano durante a pandemia na região de Assis — Foto: TV TEM/Reprodução

A Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) realizou fiscalização nesta quarta-feira (16) na região de Assis (SP) para verificar a situação do transporte intermunicipal durante a pandemia de coronavírus.

A operação começou no fim do dia em frente à base da Polícia Rodoviária de Assis, o horário que tem maior movimento no transporte coletivo, com as pessoas voltando para casa.

No primeiro ônibus parado, os fiscais da Artesp flagraram uma infração de trânsito. O motorista levava 10 trabalhadores de Palmital a Tarumã, mas o veículo não tinha autorização da agência para realizar o serviço. Por causa disso, o dono foi multado e os passageiros precisaram esperar a chegada de outro ônibus para terminar a viagem.

Ao todo, a Artesp informou que fiscalizou 16 ônibus e um deles ficou retido por transporte irregular de passageiros. Outros dois veículos foram multados, um por estar sem a capa do estepe e outro por não estar com o contrato de serviço.

Durante a abordagem, os fiscais também levaram em conta os protocolos sanitários por restrições causadas pela pandemia, como o uso de máscaras obrigatório para todos os passageiros e a possibilidade de superlotação nos veículos.

Segundo o superintendente da Artesp, Ronaldo Raitz Leandro, com a abertura da economia, as empresas precisam disponibilizar mais ônibus para as linhas mais procuradas e evitar aglomerações.

“O regular que é o rodoviário de longo percurso pode ir com todos os passageiros sentados, lotação máxima. os suburbanos, além dos sentados, podem ir dez passageiros em pé”, explica Ronaldo.

Depois de revisar a documentação dos veículos e itens de segurança, os fiscais reforçavam as orientações de segurança a cada parada, como a necessidade de usar máscaras de proteção e cinto de segurança.

Segundo Ronaldo, se um passageiro for flagrado sem máscara precisa sem desembarcar do veículo e a empresa é notificada. Em caso de reincidência, a empresa é autuada.

Fiscais revisaram documentação, itens de segurança e protocolos de higiene na região de Assis — Foto: TV TEM/Reprodução

#MAIS LIDAS DA SEMANA