Homem que matou e decepou moradora de Paraguaçu é condenado a quase 17 anos de prisão

O crime aconteceu no dia 12 de setembro de 2017 e mobilizou a cidade e região devido aos requintes de crueldade.

Manoel de Oliveira Farias foi condenado a 16 anos, 7 meses e 15 dias de reclusão (Foto: Manoel Moreno/i7 Notícias)

Aconteceu nesta quinta-feira (03), o júri popular de Manoel de Oliveira Farias, autor do homicídio de Elizabeth Alvarenga Rodrigues, com 38 anos na época, ocorrido no dia 12 de setembro de 2017, em Paraguaçu Paulista (SP).

O crime mobilizou a cidade e região devido aos requintes de crueldade ocorridos. A mulher foi encontrada em uma propriedade rural nua e com a cabeça decepada.

O júri foi presidido pelo Dr. Tiago Tadeu Santos Coelho, Juiz de Direito da 1ª Vara Cível do Foro da Comarca de Paraguaçu Paulista (SP), que deu a sentença de 16 anos, 7 meses e 15 dias de reclusão para Manoel de Oliveira.

De acordo com o advogado de defesa do réu, Dr. Junior Baptista, foi uma pena justa. “Eu creio que hoje a justiça foi feita, pois a defesa não tem o condão de apenas pedir a absolvição do réu, e sim ela tem o condão de fazer que se faça a justiça. Uma pena de 16 anos e 7 meses pela estrutura que foi o crime, pela gravidade que foi, ao ver da defesa, foi satisfatório”, relatou.

Manoel de Oliveira irá, inicialmente, cumprir a sentença em regime fechado.

A leitura da sentença feita pelo Dr. Tiago Tadeu Santos Coelho, Juiz de Direito da 1ª Vara Cível do Foro da Comarca de Paraguaçu (Foto: Manoel Moreno/i7 Notícias)

O CRIME

O corpo de Elizabeth Alvarenga Rodrigues foi encontrado decepado por volta das 10h do dia 12 de setembro de 2017, em uma propriedade rural de Paraguaçu Paulista.

Segundo informações colhidas no local, um sitiante estava andando pela propriedade rural, que fica próximo à antiga Coimbra, atrás de seu gado, quando urubus lhe chamaram atenção.

Achando que algum dos seus animais estava morto, ele se aproximou e levou um grande susto ao se deparar com o corpo nu e com a cabeça decepada de uma mulher.

A cabeça da mulher foi encontrada após cerca de meia hora, enrolada em uma peça de roupa e jogada em um mata-burro.

O corpo de Elisabeth foi encontrado na manhã desta terça-feira, dia 12

#MAIS LIDAS DA SEMANA